A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
32 pág.
Ciclo de Krebs - Ciclo do ácido cítrico

Pré-visualização | Página 2 de 2

Succinato desidrogenase
3
4: Malato desidrogenase
4
Ciclo do ácido Cítrico
Produção de energia do ciclo
Ciclo do ácido Cítrico
Produção de energia do ciclo
Controle do Ciclo do ácido Cítrico
A entrada é regulada:
 Piruvato desidrogenase
 Citrato sintase
O Ciclo de Krebs também é regulado:
Reação da isocitrato-desidrogenase
 Reação da α-cetoglutarato-desidrogenase
Pontos de controle
Relacionados aos principais metabólitos
 Acetil-CoA, oxaloacetato e NADH
3 fatores controlam a velocidade do ciclo:
 Disponibilidade de substrato
 Inibição pelos produtos acumulados
 Inibição alostérica por 
retroalimentação das enzimas de catalisam as 
etapas iniciais do ciclo
Controle do Ciclo do ácido Cítrico
- ADP e Ca2+ ativam a isocitrato desidrogenase
- Ca2+ ativa a fosfatase da Piruvato-desidrogenase
ativando-a 
Vários pontos de controle
- Acetil-CoA e oxaloacetato não saturam a Citrato
sintase
- Falta de NADH aumenta a formação de oxaloacetato
e Acetil-CoA
- NADH e FADH2 são oxidados somente se ADP é 
simultaneamente fosforilado a ATP
ATP  inibe a Citrato sintase, isocitrato
desidrogenase e α-cetoglutarato desidrogenase
- Resulta em acumulo de Citrato
- Logo, a necessidade/disponibilidade de ATP 
garantem o funcionamento do ciclo de Krebs
NADH  inibe a Piruvato-desidrogenase, citrato
sintase, isocitrato desidrogenase e α-
cetoglutarato desidrogenase
Succinil CoA  inibe a citrato sintase  ocupa 
sítio da Acetil-CoA
Ciclo do ácido Cítrico
O papel em outras vias
- é uma via anabólica ou anfibólica  oxaloacetato para a gliconeogênese e esqueletos de 
carbono para aminoácidos
Ciclo do ácido Cítrico
O papel em outras vias 
Fornece blocos de construção para outras vias  anaeróbicas
Não possuem α-cetoglutarato-
desidrogenase  não conseguem 
realizar a via completa das 
reações do Ciclo de Krebs
Inversão do 
sentido oxidativo 
(normal) da via
NADH produzido 
pela oxidação do 
isocitrato
Reciclado a NAD+
pela redução do 
oxaloacetato a 
succinato
Ciclo do ácido Cítrico
REAÇÕES ANAPLERÓTICAS
Intermediários do ciclo de Krebs são removidos por vias biossintéticas  repostos por 
reações anapleróticas
REAÇÃO ANAPLERÓTICAS MAIS IMPORTANTE
Fígado e rins de mamíferos: carboxilação reversível do piruvato pelo CO2 para a 
formação de oxaloacetato
Piruvato-carboxilase
Acetil-CoA  modulador alostérico positivo
	Número do slide 1
	Número do slide 2
	Número do slide 3
	Número do slide 4
	Número do slide 5
	Número do slide 6
	Número do slide 7
	Número do slide 8
	Número do slide 9
	Número do slide 10
	Número do slide 11
	Número do slide 12
	Número do slide 13
	Número do slide 14
	Número do slide 15
	Número do slide 16
	Número do slide 17
	Número do slide 18
	Número do slide 19
	Número do slide 20
	Número do slide 21
	Número do slide 22
	Número do slide 23
	Número do slide 24
	Número do slide 25
	Número do slide 26
	Número do slide 27
	Número do slide 28
	Número do slide 29
	Número do slide 30
	Número do slide 31
	Número do slide 32

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.