SÍNTESE E CARACTERIZAÇÃO DO COMPLEXO  CLORETO DE HEXAAMINNÍQUEL (II) [Ni(NH3)6]Cl2
13 pág.

SÍNTESE E CARACTERIZAÇÃO DO COMPLEXO CLORETO DE HEXAAMINNÍQUEL (II) [Ni(NH3)6]Cl2


DisciplinaQuímica Inorgânica Experimental II175 materiais828 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Moisés Machado de Oliveira
Márcio José Travain 
André Muniz
SÍNTESE E CARACTERIZAÇÃO DO COMPLEXO 
CLORETO DE HEXAAMINNÍQUEL (II)
[Ni(NH3)6]Cl2
Relatório de Química Inorgânica apresentado ao IFPR \u2013 Instituto federal do Paraná - como requisito parcial para obtenção de conceito bimestral 
 Prof. Dr. Agrinaldo Jacinto do N. Junior
PARANAVAÍ
2016
1 Introdução 
Complexação é uma reação entre uma base de Lewis (ligante) e um ácido de Lewis (íon metálico). Dessa forma, o conceito mais adequado para um complexo é o de uma espécie poliatômica, consistindo de um íon metálico (ácido de Lewis) e de um determinado número de ligantes (base de Lewis), circundando o íon metálico. Os metais de transição possuem forte tendência a formar complexos com outros íons e/ou moléculas. Geralmente os complexos formados são coloridos, e muito mais estáveis do que os seus sais. 
O elemento de transição Níquel (Ni) de número atômico 28 e de massa atómica 58,7, à temperatura ambiente, encontra-se no estado sólido, é um elemento de transição situado no grupo VIII B, 4º período e bloco d da Classificação Periódica dos Elementos. Foi isolado pela primeira vez em 1751, é duas vezes mais abundante que o cobre na crosta terrestre, apresenta cor branca prateada com tons amarelos e possui como característica marcante a capacidade de se transformar em um imã quando em contato com campos magnéticos. Nos compostos simples, é predominantemente iônico e bivalente, existindo como Ni (II) na maioria de seus complexos que são comumente quadrados planares ou octaédricos.
Possui relativa resistência à oxidação e à corrosão, é mais duro que o ferro e forma ligas, de diversas utilizações na indústria, para melhorar as propriedades da maioria dos metais a que se associa. Ao todo, mais de três mil ligas de níquel encontram aplicação industrial ou doméstica. Cerca de metade da produção do metal é utilizada em ligas de ferro. Os compostos de níquel são úteis na proteção de materiais, em forma de niquelados, e na fabricação de pólos elétricos em cubas eletrolíticas, catalisadores, esmaltes e recipientes de armazenamento dos derivados de petróleo.
O níquel apresenta uma riquíssima química de coordenação onde são conhecidos complexos com estados de oxidação que vão de 1-- até 4+, cujo estudo contribuiu para o desenvolvimento da ciência na área dos compostos de coordenação.
Em solução aquosa, o metal apresenta o estado de oxidação mais comum o 2+. O íon Ni2+ encontra-se coordenado às moléculas de água em uma geometria octaédrica, formando o íon complexo hexaaquaniquel (II) [Ni(H2O)6]2+, de cor verde. Quando coordenado as moléculas de amônia forma o complexo octaédrico hexaaminníquel (II) e fica na cor azul.
 
Em muitos casos, a formação de outros complexos ocorre através de reações de substituição das moléculas de água por outros ligantes (\u201cmoléculas neutras\u201d: NH3, etilenodiamina; observação: na verdade essas moléculas são parcialmente polarizadas devido às Forças de London), ou (ânions: Cl-, OH-,). 
[Ni(H2O)6]2(aq) + 6NH3(aq) \u2192 [Ni(NH3)6]2+(aq) + 6H2O(l)
A reação de formação do complexo cloreto de hexaaminoníquel (II) - [Ni(NH3)6]Cl2, resulta da troca de moléculas de água por moléculas de amônia, no complexo octaédrico [Ni(H2O)6]2+. Quando amônia é adicionada a uma solução aquosa de Ni (II), as moléculas de amônia competem com as da água para se ligar ao Ni2+. Esta reação é possível, pois o níquel (II) forma um grande número de compostos com aminas, no caso do composto acima hexaamina. O níquel estabiliza-se melhor com as aminas que com a água, por isso ocorre à formação do cloreto de hexaaminoníquel (II).
NiCl2.6H2O(s) + 6NH3(aq) \u2192 [Ni(NH3)6]Cl2(s) + 6H2O(l)
O cloreto de níquel (II), NiCl2, é sal anidro amarelo, mas o mais familiar é o hexa hidrato NiCl2·6H2O de cor verde.. Em geral cloreto de níquel (II), em várias formas, é a mais importante fonte de níquel para sínteses químicas.
O cloreto de hexaaminoníquel (II) é um sólido formado por cristais de cor azul-violeta, com estrutura cristalina cúbica, solúvel em água e em solução aquosa de amônia, mas insolúvel em amônia concentrada, álcool etílico e éter. Sendo um complexo octaédrico onde os ligantes são as amônias (NH3) e íon central o Ni2+ e os íons Cl- os contra íons do complexo, para a formação do composto neutro.
Observação: Produto Químico tóxico. Prejudicial se inalado ou ingerido.
Classe de risco 6.1 \u2013 Sólido Tóxico, Inorgânico.
2 OBJETIVOs 
2.1 OBJETIVO GERAL
Sintetizar, caracterizar e calcular o rendimento do complexo [Ni(NH3)6]Cl2
2.1 OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Caracterizar Ni2+;
Caracterizar Cl-;
Caracterizar NH3;
3 MATERIAIS E MÉTODOS
3.1 EQUIPAMENTOS, UTENSÍLIOS E MATERIAIS
TABELA I: Materiais utilizados no experimento.
	
MATERIAL
	
QUANTIDADE (unid.)
	Papel tornassol vermelho e azul.
	algumas fitas
	Béquer de 50e de 100 mL;
	2
	Proveta de 10, de 50 e de 100 mL;
	1
	Bastão de vidro;
	1
	Tubos de ensaio;
	6
	Espátula;
	1
	Vidro de relógio;
	1
	Pissete;
	1
	Suporte para tubos de ensaio;
	1
	Conta-gotas;
	1
	O funil de Büchner;
	1
	Kitassato;
	1
	Papel de filtro;
	1
	Trompa d\u2019água;
	1
	Cápsula de porcelana grande (para banho de gelo);
	1
	Balança;
	1
	Centrífuga;
	1
	Frascos para guardar o produto obtido.
	1
3.2 REAGENTES
 
TABELA II: Reagentes utilizados no experimento.
	
REAGENTE
	
QUANTIDADE (gotas/mL) 
	NH4Cl; 
	uma ponta de espátula
	NH4OH concentrado;
	20 mL aproximadamente
	Ni(NO3)2 . 6H2O;
	3,3 gramas
	Éter;
	10 mL
	Álcool Etílico 92,8 % m/v;
	10 mL
	Solução de AgNO3 0,10 mol/L ; 
	3 gotas
	Solução de HNO3 3 mol/L; 
	Algumas gotas
3.3 METODOLOGIA 
3.3.1 Sintetizar o Complexo [Ni(NH3)6]Cl2
Inicialmente, foi preparada uma solução amoniacal de cloreto de amônio - NH4Cl da seguinte forma: 
Foi dissolvido um pouco de cloreto de amônio - NH4Cl em 2,5 mL de hidróxido de amônio - NH4OH dentro de um béquer, até que a solução fosse saturada;
Após, a solução foi transferida para uma proveta e seu volume foi completado para 5 mL com NH4OH concentrado;
A solução foi deixada em repouso até o momento de seu uso, tampada com um vidro de relógio;
A um béquer pequeno foi adicionado 3,3 g de dinitrato de níquel hexaidratado (II) Ni(NO3)2.6H2O, sal previamente pesado em balança analítica;
Em seguida, foi adicionada uma mínima quantidade de água destilada, gota a gota, até que o sal fosse totalmente dissolvido;
A este béquer adicionou-se gradualmente, 12,5 mL de solução concentrada de amônia NH4OH, nesse momento a solução ficou azul;
Esfriou-se a solução em água corrente e adicionou-se 5 mL de solução amoniacal de cloreto de amônio - NH4Cl, preparada no inicio do experimento;
 Deixou-se então a solução em repouso pro 15 minutos em banho de gelo;
Os cristais obtidos foram filtrado a vácuo e lavados usando uma porção de 5 mL de NH4OH concentrado, seguida de pequenas porções de álcool e finalmente de éter;
Depois de secos, os cristais obtidos foram pesados e anotados os resultados;
Calculou-se o rendimento prático da obtenção.
3.3.2 Caracterizar o Complexo cloreto de hexaaminníquel (II) - [Ni(NH3)6]Cl2
Preparou-se uma solução estoque (ou suspensão) aquosa do complexo, sintetizado anteriormente, aproximadamente 0,05 mol/L.
Caracterizou-se os componentes do produto, obtido acima, em tubos de ensaio através das reações a seguir. 
3.32.1 Caracterização do Ni2+(aq)
Foi aquecida cuidadosamente 10 gotas da solução estoque do composto, após esfriar verificou-se o pH com papel tornassol vermelho.
Adicionou-se gotas de solução 3 mol/L de ácido nítrico HNO3 à solução anterior até observar o desaparecimento