Tratamento da Insuficiência cardíaca congestiva
3 pág.

Tratamento da Insuficiência cardíaca congestiva


DisciplinaFarmacologia Médica523 materiais6.410 seguidores
Pré-visualização1 página
Tratamento da Insuficiência cardíaca congestiva
1. - Diuréticos
Reduzem sintomas, porém tem pouca influência sobre mortalidade
a. Diuréticos de alça
- Inibem a reabsorção de Na/K/Cl no segmento espesso da alça ascendente de Henle
- Diuréticos de alça disponíveis
- Furosemida
- Bumetanida
- Beneficio
- Promover diurese e ajuste volêmico
- Efeitos colaterais
- Hipovolemia
- É necessário um enchimento ventricular adequado para o bom funcionamento
do coração
- Distúrbios hidroeletrolíticos
- Alcalose metabólica
- Você vai estar perdendo H e K
- Ototoxicidade
- Evento mais raro
- Ocorre por alteração nos canais da córnea
b. Diuréticos tiazídicos
- Bloqueio do transporte Na/Cl no túbulo contorcido distal
- Disponíveis
- Hidroclorotiazida
- Clortalidona
- Uso da dose em maiores concentrações em pacientes com IRC
- Benefício clinico
- Otimizar natriurese com resistência aos diuréticos de alça
- Efeitos colaterais
- Hipovolemia
- Distúrbios hidroeletrolíticos
- Hipocalemia
- Uso crônico
- Hiperglicemia
- Hipertrigliceridemia
2. Digitálicos -------------- - Digoxina
a. Ações:
i. - Inibem ação da proteína de membrana. Na/K ATPase
ii. - Aumenta a concentração de Ca intracelular (O Ca é um cofator essencial na
contração muscular)
iii. - Efeito inotrópico positivo
b. Efeitos colaterais-
Bradicardia graves - principalmente ocorre se houver a presença de outro indutor
bradicardico, como inibidor dos canais de cálcio
- Taquiarritmias :
- Taquicardia atrial associado a bloqueio atrioventricular variado, induzido
pela intoxicação por digitálicos
- Hipocalemia predispõe a esse tipo de taquiarritmia
Intoxicação digitálica
- Potencialmente fatal
- Quadro clinico : mal-estar geral, náuseas e vômitos, alterações do nível de
consciência.
- Anticorpo anti FAB
- No ECG: segmento ST em colher de pedreiro com a concavidade voltada
para cima (infra de ST)
Benéfico clinico
- Melhora de sintomas em pacientes com disfunção ventricular em uso de
tratamento otimizado
- Controle de FC em pacientes com fibrilação atrial e disfunção ventricular em
tratamento otimizado
c. A digoxina está indicada em pacientes com IC com disfunção sistólica, associado à
freqüência ventricular elevada na fibrilação atrial, com sintomas atuais ou prévios188. Em pacientes
com ritmo sinusal e disfunção sistólica, principalmente se sintomáticos, os resultados do estudo DIG
TRIAL mostraram que o emprego da digoxina se associa à redução de hospitalizações, sem impacto na
mortalidade
- Esse ponto é controverso, trabalhos nos últimos 2 anos mostram
aumento de mortalidade em pacientes que usam digoxina
3. Inibidores da recaptação de angiotensina
a. Have been shown to delay development of symptomatic CHF in patients with
asymptomatic LV dysfunction
b. Disfunção de ventrículo esquerdo assintomática - melhora da hopitalização e
mortalidade
c. São contra-indicações para o uso de IECA: potássio sérico > 5,5 mEq/l, estenose de
artéria renal bilateral, história de angioedema documentado com uso prévio de IECA, hipotensão
arterial sistêmica sintomática, estenose aórtica grave. Precauções devem ser tomadas ao iniciar IECA
em pacientes com nível de creatinina sérica > 3 mg/dl ou hipotensão arterial sistêmica sistólica
persistente inferior a 80 mmHg141.
d. EA :
i. tosse,
ii. hipotensão arterial,
iii. angioedema
iv. insuficiência renal.
4. Bloqueadores de receptor da angiotensina II
5. Beta-bloqueadores
a. Exemplos: carvedilol, bisoprolol e succinato de metoprolol. Recentemente, o nebivolol
teve a sua eficácia demonstrada em idosos.O bisoprolol150 e o nebivolol151 têm maior seletividade,
seguidos pelo succinato de metoprolol.Carvedilol tem maior atuação sobre o sistema nervoso
central e broncoconstritora.
b. Nos pacientes assintomáticos, somente no grupo com disfunção ventricular pós-infarto
do miocárdio, é que se tem comprovado o benefício dos BB na redução da mortalidade total e
cardiovascular
c. Não é para fase aguda - so para longo prazo
d. Os BB devem ser iniciados em pacientes em classe funcional de I a IV da NYHA, com
disfunção sistólica, em ritmo sinusal ou fibrilação atrial, sem hipotensão sintomática.
6. Bloqueadores de respector de angiotensina
a. Mais prescritas para os pacientes com IC: mais prescritas para os pacientes com IC:
Losartana Losartana 100 mg/dia
Valsartana Valsartana 160 mg/dia
Candesartana Candesartana 24 mg/dia
Irbesartana Irbesartana 300 mg/dia.
b. De forma geral, os BRA têm sua principal indicação em pacientes portadores de IC
crônica com fração de ejeção (FE) reduzida intolerantes aos IECA, reduzindo morbi-mortalidade
c. EA: hipotensão arterial, piora da função renal e hiperpotassemia. O angioedema e a tosse
também são observados com uma freqüência menor que os IECA.
7. Hdralazina e Nitratos
a. Os nitratos induzem vasodilatação ao regenerar o radical NO livre ou um congênere de
NO, S-nitrosotiol (SNO). Os efeitos globais na musculatura lisa são a redução da concentração de
cálcio no citosol e redução na fosforilação da miosina de cadeia leve, o que leva à
vasodilatação179,180. Doses baixas de dinitrato de isosorbida (30 mg três vezes ao dia) dilatam
preferencialmente o sistema venoso. Vasodilatação arterial é tipicamente associada a doses maiores.
b. Hidralazina é um dilatador seletivo da musculatura arterial. Embora o exato mecanismo
mediando a vasodilatação arterial ainda seja motivo de dúvidas, tem sido demonstrado que a
hidralazina está mais provavelmente envolvida com a liberação de catecolaminas intravesiculares,
dentro de neurônios183,184. A hidralazina tem sido também descrita como capaz de reparar a
atividade da ALDH-2 vascular, o que pode prevenir a tolerância ao nitrato
8. Ivabradina
a. A ivabradina é um inibidor específico e seletivo da corrente "If" do nódulo sinoatrial,
modulando o influxo das correntes iônicas e determinando como consequência uma redução da
frequência cardíaca, no repouso e no esforço
b. As evidências recomendam associação da ivabradina à terapêutica padrão, incluindo BB,
com o objetivo de melhorar a função ventricular
c. A dose-alvo é de 7,5 mg de 12/12 horas.
9. Inibidor do receptor de neprilisina
a. Ao bloquear o receptor da neprilisina, o medicamento promove um aumento dos níveis
de peptídeo natriurético, substância vasodilatadora e também promotora de diurese. Este duplo
mecanismo de ação promove maior vasodilatação arterial e se contrapõe a um dos mecanismos
fisiopatológicos mais importantes para a manutenção da IC. Aumentando a vasodilatação, melhora o
débito cardíaco, o que resultou em redução de 20% na mortalidade em relação ao enalapril durante o
seguimento dos pacientes
b. Sacubritil - BRA+ ini neprilisina
c. Inibe remodelação cardíaca
	Tratamento da Insuficiência cardíaca congestiva