A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
67 pág.
AULA 5 Fisiologia renal

Pré-visualização | Página 1 de 1

FISIOLOGIA RENAL
ANATOMIA DO SISTEMA URINÁRIO
RINS – 11 e 12ª costelas; atrás da cavidade peritoneal – retroperitoneal; recebem 20 a25% do DC
2
FUNÇÕES DOS RINS
 regulação do volume e da osmolaridade
 regulação do balanço eletrolítico 
 regulação do pH (equilíbrio ácido-base)
 excreção de metabólitos endógenos
 secreção de hormônio, p.ex. eritropoetina
 URÉIA – produto do metabolismo de proteínas
 ÁCIDO ÚRICO – produto do metabolismo de ácido nucléico
 CREATININA - produto do metabolismo da creatina muscular
UROBILINA – produto do metabolismo da Hb
Metabólitos endógenos
NÉFRON – unidade funcional 1 RIM = 1.000.000 néfrons
80% córtex - corticais
20% medula – justamedulares (regulação da osmolaridade)
NÉFRON (elementos vasculares + elementos tubulares)
CORPÚSCULO RENAL
6
TEORIA BÁSICA DA FUNÇÃO RENAL
 Depurar o plasma sanguíneo de substâncias tóxicas
 FILTRAÇÃO 
 REABSORÇÃO 
 SECREÇÃO 
 EXCREÇÃO 
FILTRAÇÃO
 Primeiro movimento para formação da urina
 Movimento do plasma para o lúmen do néfron SEM AS PROTEÍNAS
 Processo dependente de Pressão
 LOCAL: Corpúsculo Renal (Cápsula de Bowman + Glomérulo)
 Filtrado – interior do néfron (elementos tubulares)
 Fração de filtração – 20% do plasma
 Muitas substâncias filtradas podem ser reabsorvidas e o que não foi
filtrado, pode secretado!
CARGA EXCRETADA
FRAÇÃO DE FILTRAÇÃO
Barreiras de filtração: 
 - endotélio capilar
 - lâmina basal 
- epitélio da Cápsula de 
Bowman
O QUE DETERMINA A FILTRAÇÃO ATRAVÉS 
DOS CAPILARES GLOMERULARES?
 P capilar sanguínea - do sangue ao longo dos capilares
 P coloidosmótica – pressão exercida pelas proteínas
 P do líquido capsular
Pressão Efetiva de Filtração
TAXA DE FILTRAÇÃO GLOMERULAR
 (TFG)
125 mL/min = 180L/dia
Volume de plasma = 3L
Filtração = 60 vezes/dia
FATORES DETERMINANTES PARA A TFG
 P de filtração
 Coeficiente de filtração
Fluxo sanguíneo renal e P sanguínea
Área de superfície glomerular
e permeabilidade da interface
Capilar/C. Bowman
TFG tende a ser constante!!
Fluxo renal diminui
Diminuição de TFG
Sangue represado
P hidrostática aumenta
 Aumento TFG
Fluxo renal aumenta
P capilar – aumenta
TFG - aumenta
Exercício – tudo aumenta
21
MECANISMOS DE CONTROLE DA 
RESISTÊNCIA DAS ARTERÍOLAS
 Fatores humorais
Inervação simpática
Modificações do fluido via Mácula densa 
CONTROLE POR FEEDBACK NEGATIVO
 - feedback tubuloglomerular - 
 APARELHO 
JUSTAGLOMERULAR
 - Renina
- Sensível ao Na
REABSORÇÃO
 Passagem de substâncias do lúmem do néfron para o sangue
 99% reabsorção
 Local: Túbulo proximal e distal
 Túbulo distal = reabsorção seletiva de água e íons – homeostase
 transporte ativo ou passivo
Glicose
 Proteínas *
 Aminoácidos
 Vitaminas
 Fosfato
 Bicarbonato de cálcio
 Sódio
 Potássio
SUSBSTÂNCIAS REABSORVIDAS NO TÚBULO PROXIMAL
TRANSPORTE ATIVO DE SÓDIO
 Fator determinante da reabsorção
 Duas etapas:
 1. Proteína de membrana – gradiente eletroquímico
 2. Bomba de Na+/K- ATPase
Membrana apical membrana basolateral
Transporte ativo secundário: simporte com Na+
 Na+ é responsável pelo transporte de outras substâncias
 Glicose, aminoácidos, íons etc
REABSORÇÃO PASSIVA DE URÉIA
Difusão
REABSORÇÃO DE PROTÉINAS
Poucas são filtradas pelo glomérulo
 Transcitose
 Megalina
SECREÇÃO
 Remove substâncias do sangue para o filtrado
- Transportadores especiais
 Secreção aumenta a excreção de uma substância 
 pelo néfron!
Filtrado X e sem reabsorção de X = excreção eficiente
Filtrado X, sem reabsorção de X e secreção de X= excreção MAIOR
PENICILINA/ PROBENECIDE
EXCREÇÃO
Taxa de excreção : 1) taxa de filtração
 2) reabsorção e secreção
 Capacidade dos rins de limpar o plasma de várias substâncias
 Taxa que mede o volume excretado de uma substância por unidade de tempo
CLEARANCE (depuração)
Clearance da Inulina
Plasma totalmente
depurado da inulina!
Para qualquer substância que é livremente filtrada, mas não é reabsorvida
e nem secretada, sua depuração é igual TFG!!!!
Creatinina – estimar a TFG – FUNÇÃO GLOMERULAR DOS RINS
A depuração plasmática por min da inulina é igual a TFG!!!!
Para pensar......
Se aparece menos de uma substância na urina do que foi filtrado, ocorreu uma
............................................
Se aparece mais de uma substância na urina do que foi filtrado, ocorreu 
..........................................
Se a mesma quantidade filtrada é excretada, essa substância pode ser a
..........................................
REABSORÇÃO
SECREÇÃO
INULINA
Para não esquecer......
 Substâncias essenciais ao organismo são reabsorvidas.
 Substâncias em excesso ou tóxicas são secretadas!
 Diferentes partes do néfron participam dos processos de reabsorção
e secreção de diferentes substâncias.
REFLEXO DA MICÇÃO
 Filtrado - - - - - URINA (1,5 L/dia)
 Pelve renal – ureteres – bexiga
 Reflexo simples (controle consciente e inconsciente) 
 Esfincteres interno e externo
HOMEOSTASE HÍDRICA E ELETROLÍTICA
 H2O e Na+ = volume e osmolaridade do LEC
 K+ = função cardíaca
 Ca2+ = exocitose, contração muscular, coagulação etc
 H+ e HCO3- = pH do corpo
EQUILÍBRIO DA ÁGUA
O RIM NÃO CONSEGUE REPOR ÁGUA PERDIDA, CONSEGUE SOMENTE CONSERVAR!
49
 Eliminação de excesso de água – diurese
 Excesso de água = urina com baixa osmolaridade
 Excesso de sal = urina com alta osmolaridade
 Osmolaridade Plasmática= 300mOsm/L
 
 Movimento de água livre
Como eliminar água do organismo sem alterar a passagem de íons?
Céls. Intersticiais mais concentradas q o líquido q flui dentro do túbulo – medula renal mais concentrada permite q a urina seja concentrada a medida q flui pelo ducto coletor
50
NÉFRONS JUSTAMEDULARES
Longos
Vasos retos
Regulação osmolaridade
51
Pré-requisito básico para manipular água-livre: medula renal - hipertônica
Ramo descendente – permeável á agua e o descendente – permeável aos íons
52
SISTEMA MULTIPLICADOR DE CONTRACORRENTE
Fluxo do filtrado e do sódio opostos
Concentrações de soluto progressivamente maiores
Processo que gera hipertonicidade medular à custa da reabsorção de 
sódio para o interstício sem que ocorra reabsorção de água
VASOPRESSINA (ADH)
 Neuro-hipófise
 Adição ou remoção de poros de água no ducto coletor – aquaporina
 Plasma hipertônico – osmorreceptores hipotalâmicos – liberação ADH
 Variações em até 10% são corrigidas
 Superior a 10% - outros mecanismos – Ex. sede
 Permeabilidade variável – ajustada à necessidade do corpo
Alta osmolaridade – ativa ADH; baixa osmolaridade – cessa ADH
58
EQUILÍBRIO DO SÓDIO
ALDOSTERONA
Córtex supra-renal
EQUILÍBRIO ÁCIDO-BASE
pH ácido 
Maior concentração de H (Acidose)
pH alcalino 
Menor concentração de H (Alcalose)
pH extracelular 
pH intracelular 
7,3 – 7,4
(potencial Hidrogênico)
Controle de pH
 Tampões 
 Ventilação pulmonar
 Regulação renal de H+ e HCO3-
 Resposta mais lenta
 Eficiente
 Ação direta – excreção ou reabsorção de H+
 Ação indireta – excreção ou reabsorção do HCO3-
 Células intercaladas do ducto coletor
REGULAÇÃO RENAL
ACIDOSE = maior excreção de H+ e reabsorção de HCO3-
HIPERPOTASSEMIA HIPOPOTASSEMIA
ALCALOSE = secreção de HCO3- 
e reabsorção de H+