A RADIOATIVIDADE E O SER HUMANO: As consequências a exposição a radioatividade e os piores acidentes nucleres.
28 pág.

A RADIOATIVIDADE E O SER HUMANO: As consequências a exposição a radioatividade e os piores acidentes nucleres.

Disciplina:Radioatividade45 materiais153 seguidores
Pré-visualização1 página
Docente: Genival Junior

Discentes da Graduação de Licenciatura em Química:

Alyne de Oliveira Brito
Eduardo Aquino Santos
Geovane de Jesus Silva
Jaqueline Rocha Veloso
Joyce Pazitto Dos Santos

Leudinaura Rossi Barbosa
Victor da Silva Lima

 A radioatividade é definida como a capacidade que
alguns elementos instáveis possuem de emitir energia
sob forma de partículas ou radiação eletromagnética.
Um núcleo instável emite partículas e ondas para
atingir a estabilidade.

 A radiação provoca dois tipos de danos ao corpo,
 que são:

 A destruição das células com o calor.

 Ionização e fragmentação (divisão) das células.

 O calor emitido pela radiação é tão forte que pode
queimar bem mais do que a exposição prolongada ao
sol.

 A ionização e fragmentação celular implicam em
problemas de mutação genética durante a gestação
de fetos.

 Doenças crônicas causadas por alterações no DNA
das células se manifestam ao longo de gerações de
descendentes de indivíduos expostos à radiação

 A radiação tem a capacidade de alterar a
característica físico-química das células

 Os efeitos da radiação são classificados como agudos
ou crônicos

 Os crônicos se manifestam ao longo de anos após uma

exposição não direta mas significativa de radiação.

 Por exemplo: Câncer de pulmão de pele,
leucemia, problemas na tireóide e esterilidade

 Já os agudos são imediatos. Ocorrem naqueles
indivíduos que tiveram contato com material
radioativo ou que se expuseram a grande quantidade
de radioatividade.

 Por exemplo: de queimaduras nas mucosas até
alterações na produção do sangue além de queda na
resistência imunológica.

 Incidentes nucleares são recentes na história. Por isso,
ainda não é possível conhecer todos os efeitos que a
radiação pode causar a longo prazo, nas próximas
gerações.

 Esse acidente ocorreu na Ucrânia e resultou na liberação de
material radioativo 100 vezes superior a explosão das bombas
de Hiroshima e Nagasaki.

 Cerca de 800 mil pessoas acabaram se expondo à radiação, 25
mil morreram e 70 mil ficaram com sequelas graves, e das 25
mil que perderam a vida, 20% cometeram suicídio . o acidente
acabou provocando a morte por câncer de mais de 90 mil
pessoas em todo o mundo.

 As mulheres grávidas foram orientadas a realizarem aborto,

para que seus filhos não nascessem com problemas graves de
má formação.

 A saúde física e psicológica das pessoas afetadas pelo
acidente nuclear é, até hoje, um dos maiores
problemas de saúde pública do mundo.

 De todo o material liberado no acidente, 97% continua
no local. Além disso, a estimativa é que mais de 5
milhões de pessoas vivam em regiões consideradas
contaminadas pelo acidente.

 A cidade elaborada para ser moradia dos
trabalhadores da usina, teve seus habitantes mortos ou
evacuados. Animais, rios e florestas também foram
contaminados e diversas anomalias genéticas se
deram na região.

ite Uou .
com

Fonte: Blog Histórianovest

Fonte: Blog Histórianovest

Fonte: Site Uou . com

 Esse desastre radioativo ocorreu aqui no Brasil,
aconteceu em 1987, na cidade de Goiânia.

 Dois catadores de papel foram os responsáveis por
desencadear um dos maiores acidentes envolvendo o
isótopo Césio-137.

 Os dois catadores de lixo encontraram um aparelho
de radioterapia abandonado. Eles levaram o
dispositivo para casa, o que acabou resultando no
envenenamento e na morte de centenas de pessoas.

Fonte: Site Jornal Opção

Fonte: Site Portal do Meio Ambiente da UFRN

 A II Guerra Mundial foi cenário de imensas
atrocidades por militares governamentais de
ambos os lados.

 O bombardeamento das cidades japonesas de
Hiroshima e Nagasaki pode ser considerado o maior

atentado terrorista da história da humanidade.

 Durante a II Guerra Mundial houve a única
utilização na história de bombas atômicas em
guerras.

 Foram utilizadas duas bombas nucleares uma de
Urânio que foi despejada na cidade de Hiroshima e
matou mais de 140 mil pessoas.

 E uma bomba de Plutônio que foi despejada em
Nagasaki e matou mais de 40 mil pessoas.

 Além das mortes em decorrência da ação direta das
duas bombas, dezenas de milhares morreram
posteriormente em decorrência da radiação.

Fonte: Site Cultura Japonesa

Fonte: Site Professor Roberto Fernandes

 XAVIER, Allan Moreira et al. Marcos da história da

radioatividade e tendências atuais. Química Nova, 2007.

 MERÇON, Fábio; QUADRAT, Samantha Viz. A

radioatividade e a história do tempo presente. Química Nova

na Escola, v. 19, p. 27-30, 2004.

 DE SOUZA CRUZ, Frederico Firmo. Radioatividade e o

acidente de Goiânia. Caderno Brasileiro de Ensino de

Física, v. 4, n. 3, p. 164-169, 1987.

 Acidentes Nucleares Professor Roberto Fernades, disponivel
em:http://profrobertofernandes.blogspot.com/2012/08/acident

e-nuclear-de-chernobyl.html> . Acesso em 08 ago. 2018.

 Radioatividade Portal do Meio Ambiente da UFRN,

disponivelem:<http://www.meioambiente.ufrn.br/?s=Radioati

vidade> . Acesso em 08 ago. 2018.

 Hiroshima e Nagasaki Cultura Japonesa, disponivel em

<http://www.culturajaponesa.com.br/index.php/tag/hiroshima-

e-nagasaki/> . Acesso em 08 ago. 2018.

 Césio Jornal Opção, disponivel em:

<http://www.jornalopcao.com.br/posts/ultimas-

noticias/acidente-com-cesio-137-completa-25-anos>. Acesso

em 08 ago. 2018.

 Radioatividae Uou, disponivel em:

https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/quimica/definindo-

radioatividade.htm> . Acesso em 08 ago. 2018.