A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
55 pág.
Aula sócio cultura

Pré-visualização | Página 19 de 19

muito mais sofisticadas do que eles 
imaginam. 
O filme ainda mostra as práticas ilegais que Nathan faz no processo de construção de Ava, como 
hackear bilhões de celulares para pegar gravações de expressões e linguagem corporal para que 
ela fosse o mais real possível. O que vemos é o desenrolar da história entre esses três 
personagens, cada um com um interesse. 
Se em “Her” a relação entre humanos e inteligência artificial tem um viés romântico, em “Ex 
Machina” a situação é mais tensa, mas ainda assim trata de algo que no futuro todos enfrentarão 
de alguma maneira: nossa relação com as máquinas e como elas estão cada vez mais 
sofisticadas. Será possível mesmo se apaixonar por um robô? São eles que irão suprir nossa 
solidão no futuro? Até onde o homem deve ir nesse tipo de experimentação? O filme trabalha 
essas questões e a frase que abre o trailer dá assunto para pensar: “Apagar a linha entre o 
homem e a máquina é obscurecer a linha entre o homem e os deuses”. 
A trilha, a direção de arte e o figurino ajudam a compor essa teia entre presente-futuro e a manter 
um clima misterioso no ar. Vale destacar a atriz sueca Alicia Vikander (Ava) e o processo feito 
para dar vida a ela: uma robô com aparência humana, mas com partes transparentes em que 
vemos que é, na verdade, um androide. O diretor Alex Garland tinha desde o início uma ideia de 
como Ava deveria ser: uma mulher magra, porém curvilínea, um mix de carne, ossos, aço e 
circuitos. “Ele queria algo que parecesse com o que o androide tem por debaixo da ‘pele’”, conta a 
figurinista Sammy Sheldon, que teve 10 semanas para desenvolver a “roupa” de Ava. Para isso, 
ficou o processo todo em contato com o departamento de efeitos visuais. 
 
54 
 
 
A personagem Ava, no filme “Ex Machina” ©Reprodução 
Muita tecnologia digital foi usada, além de manipulação de engenharia de tecido. A criação deste 
figurino começou a partir de uma ideia de algo bem justo, uma segunda pele que revela os 
contornos do corpo. A roupa que ela usa nas filmagens é um modelo cinza de mergulho. O 
resultado é impactante, assim como o visual do filme em geral, que conta com ótimas 
apresentações de Alicia e Oscar Isaac (do ótimo “Inside Llewyn Davis”). 
Disponível em: <http://ffw.uol.com.br/lifestyle/cultura/filme-ex-machina-aborda-relacao-entre-humano-e-inteligencia-artificial/> Acesso 
em: 02 out 2017. Adaptado. 
 
 
 
55 
 
Considerações Finais 
 
 
 
A tecnologia, sem dúvida, torna nosso cotidiano mais intenso em virtude de sua dinâmica, sua 
complexidade e funcionalidade, o que não significa que a vida tenha se tornado mais intensa... 
Sendo assim, é sempre importante pararmos por alguns instantes para observarmos os detalhes 
mais ricos de significado deste universo tão propenso a nos fazer esquecer do essencial. É 
preciso olhar e, de fato, enxergar as pessoas por detrás das máquinas de última geração e, 
sobretudo, resgatar os valores éticos essenciais à construção e desenvolvimento das relações 
humanas. 
 
Se, por um lado, o meio acadêmico nos impele ao conhecimento e, portanto, na direção do mundo 
contemporâneo conectado a tudo o que a tecnologia nos oportuniza, por outro, somos igualmente 
responsáveis por sabermos, ou não, processar esse conhecimento com sabedoria, atitude 
reflexiva, autocrítica e com propostas que engrandeçam a vida humana, levando-nos a 
compreender e atribuir diferentes 
sentidos para as pequenas e 
grandes coisas, bem como a viver 
com mais intensidade, dispostos a 
criar, conhecer, modificar e, também, 
conviver, compartilhar, sentir, 
desfrutar, consolidar, relacionar... 
 
Desfrutemos, sim, de todos os 
benefícios que a tecnologia nos 
proporciona, mas não nos 
esqueçamos de que seus avanços 
estão a serviço da vida, da qualidade 
de vida, da dignidade humana que, talvez, deva ser o principal alvo a ser alcançado, o que 
obrigará a humanidade a manter o olhar fixo no ser, não a tornando refém de si mesma e de suas 
invenções. Nesse sentido, esperamos que este material tenha lhe permitido conhecer mais, 
informar-se melhor, sobretudo, fazendo-lhe questionar os meios, os fins, o processo, a vida! 
 
 
Seja feliz! 
 
Organizadoras

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.