A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
CC 3 estacio

Pré-visualização | Página 1 de 1

DIREITO EMPRESARIAL APLICADO II - CCJ0134 
Título 
Caso Concreto 3 
Descrição 
CASO CONCRETO: 
 
(VIII Exame Unificado da OAB – 2ª Fase – Empresarial – Prático-Profissional – 2012) 
 
Pedro emite nota promissória para o beneficiário João, com o aval de Bianca. Antes do 
vencimento, João endossa a respectiva nota promissória para Caio. Na data de vencimento, 
Caio cobra o título de Pedro, mas esse não realiza o pagamento, sob a alegação de que sua 
assinatura foi falsificada. Após realizar o protesto da nota promissória, Caio procura um 
advogado com as seguintes indagações: 
 
A) Tendo em vista que a obrigação de Pedro é nula, o aval dado por Bianca é válido? 
 
Resposta: Sim, em razão do principio da autonomia das obrigações cambiais, a obrigação 
do avalista se mantem mesmo no caso de a obrigação que ele garantiu ser nula, desde que 
não seja por vicio de forma, art. 32 ou art 7 do Dec 57663/66 (LUG) 
 
B) Contra qual(is) devedor(es) cambiário(s) Caio poderia cobrar sua nota promissória? 
 
Resposta: Poderá cobrar do avalista Bianca ou do João, nos termos do art. 47 do Dec 
57663/66 (LUG) 
 
 
Responda, justificadamente, empregando os argumentos jurídicos apropriados e 
indicando os dispositivos legais pertinentes. 
. 
QUESTÃO OBJETIVA : 
 
(MAGISTRATURA/MG – VUNESP – 2012) É correto afirmar que o cancelamento do 
protesto, após quitação do débito: 
 
a) é ônus do credor 
b) é ônus do devedor >> (art. 26 da lei 9492/97) 
c) é ônus do tabelião de protestos, que deverá proceder de ofício. 
d) dependerá sempre de intervenção do Poder Judiciário, mediante alvará ou 
mandado, conforme seja jurisdição voluntária ou contenciosa