A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
simulado civil VI 6ª aula (1)

Pré-visualização | Página 1 de 1

DIREITO CIVIL VI
6a aula
		
	 
	Lupa
	 
	 
	
Vídeo
	
PPT
	
MP3
	 
	
	 
	Exercício: CCJ0147_EX_A6_201408273829_V2 
	11/05/2018 10:41:02 (Finalizada)
	Aluno(a): IRAN BARROS DA SILVA
	2018.1
	Disciplina: CCJ0147 - DIREITO CIVIL VI 
	201408273829
	 
	Ref.: 201409175774
		
	
	 1a Questão
	
	
	
	
	(FCC 2012/ DPE-PR DEFENSOR PÚBLICO) Sobre o Direito das Sucessões, é correto afirmar:
		
	 
	Credor de herdeiro, que vem a ser prejudicado pela renúncia de seu devedor à herança pode, mediante autorização judicial, vir a aceitar a herança pelo renunciante.
	
	Nos termos da lei civil, a companheira do falecido participará da sucessão quanto aos bens adquiridos onerosamente na constância da união estável e, concorrendo apenas com dois descendentes só do autor da herança, caberá à companheira quota equivalente a que couber a cada um dos filhos do de cujus.
	
	É eficaz a cessão, pelo co-herdeiro, de seu direito hereditário sobre bem singularizado que compõe a herança ainda não partilhada.
	
	Para renunciar à herança, o herdeiro deve o fazer expressamente, por meio de termo judicial ou instrumento público ou particular.
	 
	A herança responde pelo pagamento das dívidas do falecido, mas após a partilha por este débito responderão os herdeiros, independente da proporção recebida de herança por cada qual, cabível o posterior direito de regresso.
	
Explicação:
CPC:
Art. 616.  Têm, contudo, legitimidade concorrente:
I - o cônjuge ou companheiro supérstite;
II - o herdeiro;
III - o legatário;
IV - o testamenteiro;
V - o cessionário do herdeiro ou do legatário;
VI - o credor do herdeiro, do legatário ou do autor da herança;
VII - o Ministério Público, havendo herdeiros incapazes;
VIII - a Fazenda Pública, quando tiver interesse;
IX - o administrador judicial da falência do herdeiro, do legatário, do autor da herança ou do cônjuge ou companheiro supérstite.
	
	 
	Ref.: 201408382218
		
	
	 2a Questão
	
	
	
	
	(Questão 29 123º Exame OAB-SP) Bernardo faleceu, deixando uma soma de dinheiro depositada em banco, ações de uma companhia, 2 automóveis e os utensílios domésticos de sua residência, no valor total de R$ 300.000,00. Neste caso, pode-se afirmar que
		
	
	a cessão de direitos hereditários, pelo herdeiro de Bernardo, deve ser feita por escritura pública, sendo a herança, sob cogitação, imóvel e indivisível, até a partilha.
	 
	a cessão de direitos hereditários, pelo herdeiro de Bernardo, pode ser feita por instrumento particular, sendo a herança, sob cogitação, móvel e divisível, podendo ser antecipada a partilha.
	
	a cessão de direitos hereditários, pelo herdeiro de Bernardo, deve ser feita por escritura pública, sendo a herança, sob cogitação, imóvel, mas divisível, até a partilha.
	 
	a cessão de direitos hereditários, pelo herdeiro de Bernardo, pode ser feita por instrumento particular, sendo a herança, sob cogitação, móvel, embora indivisível, até a partilha.
	
	 
	Ref.: 201408384527
		
	
	 3a Questão
	
	
	
	
	Joaquim e Maria são casados pelo regime da comunhão universal e nunca tiveram filhos. Ao tempo de sua morte, em 2009, ele tinha adquirido um patrimônio avaliado em 1 milhão de reais. Além de sua esposa, deixou sua mãe e os avós paternos. Diante disso, quem terá direito de receber os deixados por Joaquim:
		
	
	A Maria não poderá sucedê-lo em razão do regime de bens, ficando tos os bens para a mãe.
	 
	Além da meação, Maria terá metade da herança, ficando a outra metade somente para a mãe do morto.
	 
	Todos dividirão a herança igualmente, resguardada a meação da viúva.
	
	O patrimônio será dividido entre Maria e a mãe do morto, por cabeça, e os avós partilharão por estirpe.
	
	 
	Ref.: 201408382207
		
	
	 4a Questão
	
	
	
	
	(Questão 29 129º Exame OAB-SP) Sobre o Direito das Sucessões, é errado afirmar:
		
	 
	as testemunhas do testamento não podem ser nomeadas herdeiras.
	
	os filhos do herdeiro renunciante herdam por representação.
	
	é lícito a José ceder os direitos que possui na sucessão do seu pai, Joaquim, que já faleceu.
	
	Pedro pode nomear como herdeira testamentária sua sobrinha, que nem sequer foi concebida.
	
	 
	Ref.: 201408382196
		
	
	 5a Questão
	
	
	
	
	(Questão 30 130º Exame OAB-SP) Quanto à sucessão colateral, é correto afirmar que
		
	
	a única hipótese de representação será em favor dos filhos de irmãos do falecido.
	
	o Código prevê a concorrência entre o irmão do falecido e a viúva do falecido.
	 
	não há distinção entre irmãos bilaterais ou unilaterais do falecido.
	 
	deixando o falecido apenas um tio e um sobrinho, a herança se divide ao meio.
	
	 
	Ref.: 201409187272
		
	
	 6a Questão
	
	
	
	
	Fernando, casado com Laura pelo regime da comunhão parcial de bens, falece sem ter tido filhos, deixando um único imóvel adquirido na constância do casamento. Sabendo-se que os pais de Fernando ainda são vivos, e que Fernando não deixou dívidas, após a partilha do único bem, a fração total do imóvel que caberá à Laura será de:
		
	
	5/6
	
	1/2
	
	3/5
	
	2/4
	 
	2/3
	
Explicação:
2/3
	
	 
	Ref.: 201408382175
		
	
	 7a Questão
	
	
	
	
	(Questão 39 24º Exame OAB-RJ) Tício faleceu deixando muitos bens, tendo tido 3 (três) filhos, Semprônio, Cornélio e Pôncio. Qual a opção que representa corretamente a divisão da herança de Tício, considerando que Semprônio é pré-morto, tendo deixado 2 (dois) filhos menores, que Cornélio, com um filho maior, foi declarado indigno, por sentença transitada em julgado, e que Pôncio, com 9 (nove) filhos, renunciou à herança de Tício?
		
	 
	Metade da herança de Tício cabe ao filho de Cornélio, enquanto a outra metade cabe aos filhos de Semprônio
	
	A totalidade da herança de Tício pertence aos dois filhos de Semprônio
	 
	A herança será dividida em quotas iguais para os netos de Tício, sendo 1/12 avos para cada neto
	
	Nenhuma das resposta anteriores
	
	 
	Ref.: 201409055774
		
	
	 8a Questão
	
	
	
	
	Abre-se o processo de inventário:
		
	 
	Em, no máximo, 60 dias após o falecimento do autor da herança
	
	No momento em que primeiro juiz tomar conhecimento do pedido de abertura da sucessão, tornando-se este o juízo prevento para processar aquela herança
	
	Em, no máximo, 30 dias após o falecimento do autor da herança
	
	Se a sucessão for totalmente testamentária, no momento da leitura do testamento para identificar quem serão os herdeiros
	 
	No exato momento da morte do autor da herança
	
Explicação:
Art. 611, CPC

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.