A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
RESUMO HISTORIA DA ARTE

Pré-visualização | Página 1 de 6

����
	PEDAGOGIA
SÍNTESE- HISTÓRIA DA ARTE
	
 PERÍODOS E MOVIMENTOS ARTÍSTICOS: SÍNTESE
PRÉ-HISTÓRIA: 25000/ 9000 a.C. Um dos períodos mais fascinantes da história humana. Tudo o que sabemos é o resultado da pesquisa de antrpólogos, historiadores, que reconstruíram a cultura do homem. Utilizavam as pinturas rupestres, isto é feitas em rochedo e no interno das cavernas. Realizavam também trabalhos em escultura. O homem neste período era nômade. Os artistas do Paleolítico Superior realizavam também trabalhos em esculturas, mas tanto na pintura quanto na escultura, nota-se a ausência de figuras masculinas.
EGITO: 4000/ 1200 a.C. Preocupou-se em mostrar toda a riqueza e o poder de seus governantes, destacando-se a arquitetura monumental, a decoração de templos e túmulos com relevos, pintura e estátuas, a confecção de vasos de pedra e a ourivesaria. As figuras seguiam normas da lei da frontalidade. A pintura era harmoniosa, assim como a escultura e arquitetura. Eram utilizadas formas piramidais e simétricas.
GRÉCIA: 776/ 60 a.C. A arte grega ligava-se a inteligência e volta-se para o gozo da vida presente.Contemplando a suas manifestações. Na sua constante busca da perfeição, o artista grego cria uma arte de elaboração intelectual em que predominam o ritmo, o equilíbrio, a harmonia ideal. Eles tem como característica: o racionalismo, amor pela beleza, interesse pelo homem e a democracia. Na pintura destaca-se a arte decorativa da cerâmica, representando cenas mitológicas e costumes gregos.Nas esculturas inspiravam-se nos temas rurais, nos sentimentos humanos, em cenas desportivas e demais aspectos da vida diária. No período arcáico começam a esculpir em mármores, grandes figuras de homens. E no período clássico passam a se preocupar com o movimento nas estátuas, para isso começam a usar o bronze.
ARTE BIZANTINA: Ano 1 ao 476. O mosaico é a expressão máxima do bizantino. Se destinava não só a enfeitar as paredes e abóbodas, mas sim em instruir os fiéis mostrando-lhes cenas da vida de Cristo. Na arquitetura foi colocada a cúpula sobre uma base quadrada, construída sobre tambor cilíndrico que se apoaiava em arcos plenos. A Arte bizantina deixa seu esconderijos nas catacumbas. São construídos mausoléus e templos decorados com mosaicos e pinturas que usam a história do antigo e novo Testamento.
IDADE MÉDIA: 570/ 1306 . Deus era tudo e o homem apenas a criatura sem qualquer valor individual, vivendo sempre numa instituição coletiva, fosse a família, a cavalaria ou a Igreja. A arquitetura em Igrejas do estilo românico se desenvolveu em toda a sua plenitude. Surge assim uma arquitetura abobadada, as paredes sólidas, colunas terminadas em captéis cúbicos. A escultura associada a arquitetura possui um aspecto ornamental. O estilo gótico é identificado como a Arte das Catedrais.e reflete o desenvolvimento das cidades, porém deve-se entender o desenvolvimento da época ainda preso a religiosidade, e caracterizada pela verticalidade e por maior exatidão em seus traços, porém com o objetivo de expressar a harmonia divina. A pintura gótica pretendeu transmitir não apenas as cenas tradicionais que marcam a religião, mas a leveza e a pureza da religiosidade, com o objetivo nítido de emocionar o expectador. Caracterizada pelo simbolismo e naturalismo, utilizou-se principalmnete de cores claras.
RENASCIMENTO: 1308/ 1543. Os elementos da Antiguidade clássica voltam a servir de referência cultural e artística. O humanismo coloca o homem como centro do universo. São características desta época: uso da técnica de perspectiva, uso de conheciemtnos científicos e matemáticos para produzir a natureza com fidelidade. Na pintura novas técnicas passam a ser utilizadas: uso de tinta a óleo, po exemplo, buscava aumentar a ilusão da realidade. A escultura é marcada pela expressividade e pelo naturalismo.A xilogravura passa a ser muito utilizada. 	Entre as pinturas destacam-se Monalisa e a última Ceia de Leonardo da Vinci, A escola de Atenas de Rafael Sanzio, e o teto da Capela Sistina de Michelangelo.
BARROCO E ROCOCÓ: 1660/1800. As obras barrocas rompem o equilíbrio entre o sentimento e a razão, ou entre a arte e a ciência. A arte barroca destaca a cor e não o formato do desenho. As técnicas utilizadas dão um sentido de movimento ao desenho. Os efeitos de luz e sombra são utilizados constantemente como recurso para dar vida e realidade à obra.Os temas que saparecem são : a paisagem, a natureza-morta e cenas da vida cotidiana. As obras mais conhecidas são A Ronda noturna de Rembrandt, As meninas de Dieguo Velásquez, A Descida da Cruz de Rubens. e a Céia em Emaús, de Caravaggio. O estilo rococó é marcado pelas pinturas em tons claros, com linhas e curvas e arabescos. O estilo é decorativo, os artistas conhecidos Jean-Hanoré Fragonard e François Boucher.
NEOCLASSICISMO: 1890. A arte neoclássica busca inspiração no equilíbrio e na simplicidade, bases da criação na Antiguidade. As características marcantes são o caráter ilustrativo e literário, marcados pelo formalismo e pela linearidade, poses escultóricas, com anatomia correta e exatidão nos contornos, temas "dignos" e clareza. A arte neoclassica nasceu na Europa, nas últimas décadas do século XVIII e nas três primeiras décadas do século XIX, foi uma reação ao barroco e ao rococó.Não foi apenas um movimento artístico mas também cultural que refletiu as mudanças que ocorriam na época marcadas pela ascensão da burguesia. Este estilo procurou expressar e interpretar os interesses, a mentalidade e os habitos da burguesia manufatureira e mercantil da época da revolução francesa e do Império Napoleonico. Principais características do Neoclassicismo formalismo e racionalismo, exatidão nos contornos, harmonia do colorido, retorno ao estilo greco-romano, academicismo e técnicas apurada sculto a teoria de Aristóteles, ideal da época : democracia, pinceladas que não marcavam a superfície
ROMANTISMO: 1895 . Segundo Giulio Carlo Argan na sua obra Arte moderna. O Romantismo e o Neoclassicismo são simplesmente duas faces de uma mesma moeda. Enquanto o neoclássico busca um ideal sublime, objetivando o mundo, o romântico faz o mesmo, embora tenda a subjetivar o mundo exterior. Os dois movimentos estão interligados, portanto, pela idealização da realidade (mesmo que com resultados diversos). As primeiras manifestações românticas na pintura ocorreram quando Francisco Goya passou a pintar depois de começar a perder a audição. Um quadro de temática neoclássica como Saturno devorando seus filhos, por exemplo, apresenta uma série de emoções para o espectador que o fazem se sentir inseguro e angustiado. Goya cria um jogo de luz-e-sombra, linhas de composição diagonais e pinceladas "grosseiras" de forma a acentuar a situação dramática representada. Apesar de Goya ter sido um acadêmico, o Romantismo somente chegaria à Academia mais tarde.
O francês Eugène Delacroix é considerado um pintor romântico por excelência. Sua tela A Liberdade guiando o povo reúne o vigor e o ideal românticos em uma obra que estrutura-se em um turbilhão de formas. O tema são os revolucionários de 1830 guiados pelo espírito da Liberdade (retratados aqui por uma mulher carregando a bandeira da França). O artista coloca-se metaforicamente como um revolucionário ao se retratar em um personagem da turba, apesar de olhar com uma certa reserva para os acontecimentos (refletindo a influência burguesa no romantismo). Esta é provavelmente a obra romântica mais conhecida. A busca pelo exótico, pelo inóspito e pelo selvagem formaria outra característica fundamental do Romantismo. Exaltavam-se as sensações extremas, os paraísos artificiais, a natureza em seu aspecto mais bruto. Lançar-se em "aventuras" ao embarcar em navios com destino aos polos, por exemplo, tornou-se uma forma de inspiração para alguns artistas. O pintor inglês William Turner refletiu este espírito em obras como Mar em tempestade onde o retrato de um fenômeno da Natureza é usado como forma de atingir os sentimentos

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.