A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Fichamento Analise Estrategica de Portfolios de Investimentos

Pré-visualização | Página 1 de 1

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ
MBA EM ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA
Fichamento de Estudo de Caso
Trabalho apresentado à disciplina de Analise Estratégica de Portfolios de Investimentos, MBA em Administração Estratégica, da Universidade Estácio de Sá.
Tutor: Prof. Geraldo Gurgel Filho.
Cascavel
2018
Estudo de Caso de Harvard:
Análise de Investimento e Lockheed Tri Star
Referência: 
EDLESON, Michael E.. Harvard Business School. Rev: 17 de novembro de 1993. 
Texto do Fichamento:
LOCKHEED TRISTAR: PREMISSAS
Mercado Total: 775 unidades;
Fatia da Lockheed: 40%;
Vendas previstas: 310 unidades;
Preço Unitário: 15.5 milhões;
Início Vendas: 3 anos;
Investimento Inicial: 900 milhões;
Custo Variável Unit.: 11.8 milhões;
Vendas: 3 por mês;
Ponto de Equilíbrio: 286 unidades
PRINCÍPIOS DE APLICAÇÃO DO CAPITAL
Determine as alternativas viáveis;
Converta os resultados das alternativas para um denominador comum;
Só as diferenças entre as alternativas são relevantes;
O valor do dinheiro no tempo deve ser considerado sempre;
Decisões separáveis devem ser tomadas isoladamente;
Considerar incerteza associada as previsões;
Leve em conta também os efeitos não monetários do projeto.
MÉTODOS DE AVALIAÇÃO DE PROJETOS
Taxa Interna de Retorno (TIR): É a taxa de desconto que faz o VPL ser zero.
Reconhece o valor do dinheiro no tempo;
Pode induzir a erro em projetos longos;
Em determinados casos conflita com o VPL. Nesse caso, usar a TIRM
Taxa Interna de Retorno Modificada (TIRM)
Utilizada quando o cálculo da TIR conflita com o VPL, falha ou não é confiável;
Cálculo: Cria-se outro fluxo de caixa, equivalente ao original, onde todos os fluxos negativos são agrupados no instante zero, e todos os fluxos positivos no último período, utilizando-se a taxa de desconto do projeto. A TIRM é a TIR desse novo fluxo Payback (Payout): É o nº de períodos que leva para o projeto repor o capital investido nele.
Dá indicações sobre o risco do projeto;
Ignora os fluxos posteriores ao período de corte;
Penaliza projetos longos;
Não maximiza valor para o acionista.
1