A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
16 pág.
CÂNCER DE PELE - MELANOMA - METASTASE

Pré-visualização | Página 3 de 4

primários múltiplos. Foram constatadas alterações cromossomais 
4ª Etapa – Modulo I – Problema 3 Medicina Unicid 
 
 
Amblessa Marques – Turma XX 
do braço curto do cromossomo 1, bem como dos dois braços dos 
cromossomos 6 e 7 em tumores e na linhagem celular do 
melanoma. 
 
 TIPOS DE MELANOMA 
Há quatro classificações de acordo com os padrões de crescimento 
(crescimento superficial, nodular, lentigo maligno e lentiginoso acral). 
 Melanoma de Crescimento Superficial ou Plano (MCS): Ocorre 
em 70% dos casos. Geralmente surge em um nevo ou nevo 
displásico preexistente; se desenvolve de 3 a 5 anos. O formato 
modifica-se e a margem torna-se irregular. A superfície exibe áreas 
escuras com variação de cor e ele torna-se rugoso ou mesmo 
ulcerado. 
 Nodular: Ocorre em 10-20% dos casos, segundo tipo mais comum 
e o mais agressivo. Geralmente surge na pele normal e cresce 
rapidamente; seu volume pode duplicar em poucos meses. 
Tipicamente é azul/preto, elevado ou em forma de cúpula, e pode 
parecer colado na pele. Margens são bem demarcadas. A exceção 
a isto é quando há desenvolvimento de um nódulo em um 
melanoma de crescimento superficial, embora a velocidade de 
crescimento do nódulo seja agressiva. 
 Melanoma do Lentigo Maligno (MLM): Ocorre em 4-10% dos 
melanomas, é observado na pele exposta ao sol, principalmente 
em face de pessoas idosas e frequentemente em mulheres. 
Origina-se em um lentigo maligno (sarda melanótica) antigo. 
Lesões planas têm formato irregular e são grandes; a cor tende a 
variar de castanho-claro a escuro. 
 Melanoma Lentiginoso Acral (MLA): Ocorre em 2-8% em 
brancos e 35-60% em negros. Acometi as palmas das mãos, 
plantas dos pés, e geralmente é grande e agressivo. As lesões 
iniciais podem ser semelhantes ao MLM, mas as lesões avançadas 
têm uma fase rápida de crescimento, com ulceração e crescimento 
esponjoso. 
4ª Etapa – Modulo I – Problema 3 Medicina Unicid 
 
 
Amblessa Marques – Turma XX 
 APRESENTAÇÃO CLÍNICA 
Clinicamente as lesões tornam-se maiores, mais escuras e 
desenvolvem gradualmente um contorno irregular. Também se tornam 
mais espessas e elevam-se gradualmente acima da superfície cutânea 
para tornarem-se palpáveis. Há invasão da derme, para obter acesso 
precoce aos vasos linfáticos e à corrente sanguínea, permitindo 
disseminação sistêmica para outros órgãos como o fígado, os pulmões, o 
encéfalo e o osso. 
As áreas escuras representam doença com crescimento ativo e 
produzem pigmento em excesso, enquanto as áreas adjacentes, de cor 
clara, sofrem regressão com algum desaparecimento do pigmento. Pode 
haver sangramento da superfície, representando um sinal tardio, pois 
indica disseminação dérmica e envolvimento vascular. 
 
 DIAGNÓSTICO CLÍNICO 
O diagnóstico se baseia na aparência. Não se esperando sintomas 
nas lesões incipientes. 
O exame clínico deve incluir pesquisa de lesões satélites na pele 
entre a lesão e os linfonodos regionais, aumento de linfonodos, 
metástases cutâneas distantes ou hepatoesplenomegalia. 
Existem quatro critérios (ABCD) para diagnóstico de melanoma em 
um nevo: 
 A: assimetria de formato 
 B: irregularidade da margem (bem definida e irregularmente 
serrilhada) 
 C: escurecimento (castanho, preto ou azul-escuro com 
distribuição irregular) 
 D: aumento do diâmetro 
 
 
 
 
 
4ª Etapa – Modulo I – Problema 3 Medicina Unicid 
 
 
Amblessa Marques – Turma XX 
 ESTADIAMENTO 
Estádio Descrição 
I A Melanoma localizado 0,75mm ou nível II** (T1N0M0) 
I B Melanoma localizado 0,76-1,5 mm ou nível III** (T2N0M0) 
II A Melanoma localizado 1,5-4 mm ou nível IV** (T3N0M0) 
II B Melanoma localizado > 4 mm ou nível V** (T4N0M0) 
III Metástases nodais limitadas envolvendo apenas um território de 
linfonodos regionais ou menos de cinco metástases em trânsito sem 
metástases nodais (qualquer T.N1M0) 
IV Metástases regionais avançadas (qualquer T.N2M0) ou qualquer 
paciente com metástases distantes (qualquer T, qualquer N, M1 ou 
M2) 
 
 OBS: Nível 1 (melanoma in situ) situa-se totalmente na derme e não 
exibe invasão. A invasão da derme papilar é observada no nível 2, até 
o limite da derme papilarreticular corresponde ao nível 3, até a derme 
reticular é nível 4, e finalmente até a gordura subcutânea é nível 5. 
 
 PROGNÓSTICO 
 Profundidade (espessura): a sobrevida de pacientes com 
melanomas até 0,75 mm é excelente. Quanto mais profunda for a 
lesão, pior o prognóstico. 
 Sexo: a incidência tende a ser igual em ambos o sexos, quando a 
exposição solar é o fator predominante. As mulheres têm um 
melhor prognóstico. 
 Idade: é extremamente raro na infância, afeta adulto jovens. 20% 
ocorrem na faixa 15-39 anos. Homens com mais de 50 anos 
possuem pior prognóstico. 
 Local: os cânceres de pele não melanomatosos ocorrem 
principalmente na cabeça e pescoço. Já os melanomas são 
registrados em locais não expostos; nos homens, o local mais 
comum é o tronco e nas mulheres, o membro inferior. 
4ª Etapa – Modulo I – Problema 3 Medicina Unicid 
 
 
Amblessa Marques – Turma XX 
 Ulceração: sinal de mau prognóstico, principalmente se for 
acompanhada por sangramento. 
 Estádio: lesões finas, têm melhor prognóstico que as espessas. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
4ª Etapa – Modulo I – Problema 3 Medicina Unicid 
 
 
Amblessa Marques – Turma XX 
METÁSTASE 
 
Os tumores, dependendo de suas características celulares e 
morfológicas, podem disseminar-se por diversas vias e alojarem-se em outros 
tecidos que não o de origem. A este processo, damos o nome de metástase que 
significa, em outras palavras, o desenvolvimento de uma segunda população 
tumoral a partir da primeira, mas sem uma conecção direta entre as duas. 
Ocorre quando um tumor primário localizado em uma dada região é submetido a 
uma proliferação celular neoplásica e ainda sofreria uma expansão clonal (as 
células se multiplicariam) e, decorrente disto, iria surgir um subclone que teria 
capacidade de invadir a membrana basal. Ocorrendo o rompimento desta 
membrana basal, as células neoplásicas migram através dos tecidos até 
alcançar as paredes dos vasos, invadindo-os e caindo na circulação onde 
sofrem ação de células do sistema imunitário. Sobrevivendo a ação das células 
imunológicas (por meio do mecanismo de escape tumoral), as células 
neoplásicas continuam migrando até chegar a um novo sítio de instalação. 
Para que o processo de metástase se estabeleça é necessário uma série 
de ações pelas células tumorais e pelo sangue. No local onde ocorre o 
extravasamento a distância, ocorre a liberação de fatores angiogênicos que 
promovem a nutrição do tumor e seu crescimento. Por isto é importante tratar o 
tumor o quanto antes, prevenindo o surgimento de um subclone metastásico. 
A disseminação da população tumoral pode ocorrer por meio dos 
seguintes mecanismos: 
 Disseminação Por Contiguidade: ocorre quando o tumor localizado em 
um órgão alcança outra estrutura graças às relações anatômicas de 
proximidade entre os dois órgãos acometidos. Como por exemplo, um 
câncer de estomago