A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
140 pág.
APOSTILA CDI 1 FUNCOES CAP1 DONIZETTI 06marco2012

Pré-visualização | Página 28 de 33

79
	1,80
	61
	67
	1,80
	67
	80
	1,82
	62
	68
	1,82
	69
	82
	1,84
	63
	69
	1,84
	70
	83
	1,86
	64
	70
	1,86
	74
	88
	1,88
	65
	71
	1,88
	78
	89
	1,90
	66
	72
	1,90
	79
	90
Nota: Essa tabela não foi construída usando o IMC, e sim a partir de dados empíricos (experimentais).
QUESTIONÁRIO:
Qual é a sua altura, em metros?
Qual é a sua massa, em quilogramas (kg)?
Qual é o seu IMC (índice de massa corpórea)?
Qual é a sua classificação, em relação ao IMC?
Com relação a tabela da massa ideal, como você está? 
Levando em consideração a sua altura atual, determine o intervalo de massa ideal, usando o IMC e a tabela de massa ideal. Ambos apontam na mesma direção? Dica: Min: m=20h2 e Máx: m=25h2
Apresente a sua crítica aa utilização deste tipo de avaliação. Justifique.
Percentuais de Gordura para determinadas modalidades esportivas (COSSENZA)
	
	Homem
	Mulher
	Fundista
	De 4 até 11
	De 6 até 15
	Basquete
	De 8 até 12
	De 12 até 16
	Ciclismo
	8
	15
	Remo
	De 11 até 14
	9
	Tênis
	De 12 até 16
	De 15 até 20
	Saltadores
	7
	17
	Arremessadores
	De 16 até 20
	De 24 até 28
	Natação
	Velocista
	De 6 até 10
	De 8 até 12
	
	Fundista
	De 8 até 12
	De 10 até 14
ANEXO IV - ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO (MUNICÍPIO)
O IDHM de cada município é fruto da média aritmética simples de três sub-índices: somam-se os valores e divide-se o resultado por três, ou seja:
Nota: Para melhorar o IDHM é necessário aumentar o L E R.
A fórmula matemática para a determinação do IDHM, é dada por:
 
A seguir, tem-se uma breve explicação do índice longevidade, índice este mais ligado a área de saúde. 
Longevidade (L)
Para a avaliação da dimensão Longevidade (L), o IDH municipal considera o mesmo indicador do IDH de países: a esperança de vida ao nascer. Esse indicador mostra o número médio de anos que uma pessoa nascida naquela localidade no ano de referência (no caso, 2.000) deve viver.
Para transformar esse número de anos em um índice, usam-se como parâmetro máximo de longevidade, 85 anos, e, como parâmetro mínimo, 25 anos. Assim, se o município em questão tem uma esperança de vida ao nascer de 70 anos, seu IDHM-L será:
Logo, o IDHM-L do município será 0,750.
Exemplo real:
Pato Branco ( 
Francisco Beltrão ( 
- Projeção de crescimento populacional (VER MEU ARTIGO PUBLICADO EM 2006)
Pato Branco => 1,86% ao ano
Itapejara => 0,70% ao ano
Palmas => 5,38% ao ano
Francisco Beltrão => 0,52% ao ano
Nota: Em 10 anos a população do sudoeste do Paraná reduziu-se de aproximadamente 467.000, para 450.000 (aproximadamente).
�
O índice de desenvolvimento humano em Pato Branco
Uma ótima para Pato Branco foi a recente publicação do relatório apresentado pela ONU (organização das Nações Unidas), em que mais uma vez nossa cidade se destaca entre os melhores municípios do Brasil para se viver, sendo que desta vez, aumentamos a nossa posição de 400 lugar para 360 lugar em termos de índice de desenvolvimento humano (IDH). Vale lembrar que no Paraná três municípios ocuparam posições de destaque entre os melhores do país: Curitiba, Quatro Pontes e Pato Branco.
Para entender melhor esse índice de desenvolvimento humano, é preciso saber que ele é composto de três variáveis que são: renda (Produto Interno Bruto PIB per capita), longevidade (esperança de vida ao nascer) e educação (alfabetização, taxa de matrícula e de frequência escolar).
Diante dessas variáveis, segundo o relatório da ONU, Pato Branco destacou-se com índice de educação (IDHM – E) de 0, 937, o maior deles, segundo do índice de longevidade (IDHM – L) de 0, 851, e índice de renda (IDHM – R) de 0, 758, atingindo assim a média de 0, 849, que coloca mais uma vez como terceiro melhor município do Estado do Paraná para se viver.
Aliás, esse dados fazem parte do Novo Atlas do Desenvolvimento Humano do Brasil, um projeto do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), da Fundação João Pinheiro (MG) e do Programa das Organizações Nações Unidas (ONU) para o desenvolvimento (PNUD), que todo ano é divulgado em Brasília-DF, e com base também nos dados apresentados pela Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) do ano anterior. 
Para refletir: Famintos já são 840 milhões
Segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU), a fome aumentou no último ano (2002) e já atinge 840 milhões (lembre-se: a população mundial é de aproximadamente 6,2 bilhões de habitantes) de pessoas em todo o mundo, apesar do crescimento da produção agrícola. Em contexto global, os progressos para frear a fome no mundo diminuíram. A cada sete segundos uma criança com menos de dez anos morre de fome, o que pode ser classificado como “assassinato”.
O planeta poderia alimentar suficientemente, ou seja, com um mínimo de 2.700 calorias por pessoa ao dia, cerca de 12 bilhões de pessoas, frente aos 6,2 bilhões de seres humanos que vivem atualmente. Não há nenhuma fatalidade que possa justificar a fome, e por incrível que pareça: as comunidades rurais, que deveriam produzir os alimentos, são as mais afetadas pelos problemas de desnutrição, particularmente nos países em desenvolvimento.
Condições de vida
No período 1.992-2.000, tivemos uma significativa melhora nos índices de educação e saúde. Entretanto a excessiva concentração de renda prejudica o desempenho geral do país que está classificado em 65o lugar com um IDH (0,777), no relatório de desenvolvimento humano 2.001, da ONU. Veja na tabela a seguir os principais indicadores sociais e na próxima tabela a distribuição de renda no Brasil.
	Mortalidade infantil
(por mil)
	Analfabetismo
(percentual)
	EXPECTATIVA DE VIDA (EM ANOS)
	
	
	1.992
	2.000
	2.003
	1.996
	2.003
	1.992
	2.000
	H
	M
	H
	M
	H
	M
	33,22
	24,36
	17,2
	12,8
	64,6
	72,3
	64,8
	71,6
	67,25
	74,5
Fonte: IBGE. Síntese dos indicadores 2.000. Rio de Janeiro, 2.003
Comentando a expectativa de vida, temos:
Homens => 67 anos e 3 meses; Mulheres => 74 anos e 6 meses
Considerando 50% homens e 50% mulheres, temos uma média de 70 anos 10 meses e 15 dias.
Nota: O CENSO 2.000 revelou que quase metade da população brasileira vive em apenas 244 dos 5.507 municípios do país.
LISTA DE QUESTÕES PROPOSTAS PARA A REVISÃO DOS CONCEITOS
1) DE QUE TAMANHO FICARÃO AS CRIANÇAS?
Aprenda a calcular, aproximadamente, a altura que seus filhos terão na idade adulta.
Procedimento de cálculo:
Some a altura do pai e da mãe e divida por dois.
A partir da idade média dos pais:
- Some 10 cm se a criança for menino.
- Subtraia 4 cm se a criança for menina.
Nota: Esta regra vale para um casal em que a média de idade entre o homem e a mulher é de 30 anos. Se fosse de 20 anos, os valores mudariam para 9 cm a mais no caso do menino e 3 cm a menos para a menina.
Publicado pela Revista Veja de 17/07/96.
Fonte: Ambulatório de Crescimento do Hospital das Clinicas de São Paulo
Exemplos:
I) Considere a idade média dos pais igual a 30 anos e as seguintes alturas: Pai = 1,75 m; Mãe = 1,65 m. Determine:
a) A altura do filho.
b) A altura da filha.
II) Considere a idade média dos pais igual a 20 anos, sendo as seguintes alturas: Pai = 1,75 m; Mãe = 1,65. Determine
a) A altura do filho.
b) A altura da filha.
III) Utilize a sua altura e de seu (sua) pretendente e determine a altura provável de seu filho e de sua filha. Considere primeiramente que a idade média do casal é 30 anos e depois de 20 anos.
2) JÁ PENSOU NISSO?
Uma pessoa que fuma um maço de cigarros por dia, todos os dias durante 20 anos:
a) Já fumou cerca de quantos metros de cigarro? E, quantos quilômetros?
b) Dizem as más línguas que cada cigarro fumado tira uma hora da vida de uma pessoa. Quantos dias foram “perdidos” pelo nosso fumante? E, quantos

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.