Advocacia Privada - Resumo
1 pág.

Advocacia Privada - Resumo


DisciplinaDireito Processual Civil I34.624 materiais670.083 seguidores
Pré-visualização1 página
0
Teoria geral dos processos - Resumo
FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA:
ADVOCACIA PRIVADA
Introdução
Em regra, não se pode estar em juízo sem a assistência de um advogado . Para
que alguém pratique atos processuais, é preciso que essa pessoa tenha
capacidade processual. CPC, art. 76.
Atuação
A parte poderá ser representada em juízo por advogado regularmente
inscrito na Ordem dos Advogados do Brasil, sendo lícito à parte postular em
causa própria quando tiver habilitação legal (art. 103, CPC).
Para exercer a advocacia, não basta ter se formado em Direito, nem mesmo
aprovado no Exame de Ordem. Para ter reconhecida a capacidade postulatória,
é preciso estar inscrito nos quadros da Ordem dos Advogados do Brasil.
Fim do Mandato
Se o cliente revogar o mandato, deverá, nesse mesmo ato, constituir um outro
advogado, ou no prazo máximo de 15 (quinze) dias. Caso não o faça, haverá um
defeito de representação, aplicando-se o rito disposto do art. 76, CPC;
Se o advogado renunciar ao mandato, podendo fazê -lo a qualquer tempo,
deverá comprovar que comunicou seu cliente, continuando a representar o
mandante pelos 10 (dez) dias se guintes à renúncia, desde que necessário para
evitar prejuízos à parte.
Essa comunicação é dispensada se a procuração tiver sido outorgada a vários
advogados e a parte continuar representada por outro, apesar da renúncia, sob
pena de falha na representação, que poderá ser reconhecida de ofício pelo juiz.