Licitação
68 pág.

Licitação

Pré-visualização15 páginas
Introdução às Contratações Públicas
Módulo I - Introdução às contratações públicas
Unidade I - Aprendendo a escolher a melhor opção
Não há dúvida: esta é a parte mais importante deste curso. Isso porque não adianta apenas memorizar os dispositivos das normas inerentes às contratações públicas sem aprender a raciocinar como atender à necessidade pública com a solução mais adequada ao caso concreto.
Infelizmente, as normas focam na fase externa do processo de contratação pública e a doutrina em geral, nelas se baseando, seguem a mesma linha, negligenciando a fase interna, principalmente o planejamento. Os agentes públicos envolvidos também focam na fase externa, assim como os órgãos de controle e cidadãos.
Como consequência, poucos são os que possuem a visão sistêmica do processo de contratação públicas; equívocos são cometidos nas fases externa e interna, mas praticamente só os da externa são punidos (ou os que ficam nesta evidenciados).
Nessa linha, os estudiosos costumam resumir o tema em \u201cLicitações e Contratos\u201d, em vez de \u201cprocesso de contratação pública\u201d. Este curso inova e ousa ir além, adicionando a este abrangente termo as soluções da necessidade pública sem contratação, tema pouco explorado pela doutrina, mas de grande relevância prática.
Pág.4
Vamos analisar o exemplo?
	Situação 1: Você é o Diretor de TI de um órgão público, responsável por autorizar os projetos de contratações relativas ao seu departamento. Hoje você recebeu para assinatura \u201cTermo de Referência\u201d e \u201cPesquisa de Preços\u201d para atender à alegada necessidade de aquisição de 25 scanners de produção. O que você vai fazer?
Essa situação parece normal, não é mesmo? Isso demonstra que essas situações ainda ocorrem com bastante frequência. Mas, então, vamos raciocinar devidamente e fazer a diferença?
Primeiramente, você concorda que houve falha de planejamento? Vamos ver o porquê? Você deveria ter sido incluído no projeto desde a intenção da contração, antes da elaboração dos documentos, para que pudesse conhecer as alternativas disponíveis. Só assim poderia ser desenvolvida a alternativa mais adequada, e você já seria conivente. Se você considerasse, por exemplo, que a necessidade inexistia, todo o esforço para elaboração dos documentos seria perdido.
Além disso, houve a troca da necessidade com a solução. Parece besteira, mas esse equívoco é comum e prejudica a escolha da melhor solução para o caso concreto. Nesse caso, a necessidade era de digitalização, que poderia ser atendida com:
os recursos humanos e materiais próprios ou celebrado ajuste de órgão parceiro mediante uma compensação de seu órgão (detalhamento no módulo II, soluções sem contratação);
a aquisição de scanners simples de mesa em grande quantidade, de impressoras multifuncionais com digitalização automática em quantidade média ou, de fato, de scanners de produção em pequena quantidade, ou a contratação de empresa para fornecer os equipamentos visando à digitalização pelo próprio pessoal do órgão ou para fornecer pessoal visando à realização da digitalização pela empresa dentro do órgão, sob conta e risco da contratada (detalhamento no módulo III, licitações ordinárias);
o registro de preços do serviço de digitalização devido à conveniência de atendimento a mais de um órgão ou a adesão a ata de registro de preços válida de outro órgão da mesma esfera para aquisição de scanners compatíveis com a necessidade detectada (detalhamento no módulo IV, licitações especiais);
a contratação de associação de portadores de deficiência física, sem fins lucrativos e de comprovada idoneidade, para a prestação do serviço de digitalização mediante dispensa de licitação, comprovada a compatibilidade do preço contratado com o praticado no mercado (detalhamento no módulo V, contratação direta).
Pág.5
Você percebe a importância de se avaliar bem a necessidade pública real e todas as eventuais alternativas válidas disponíveis antes de caminhar para uma determinada solução? Você pode concluir, inclusive, que a necessidade inexiste e evitar o desnecessário dispêndio de recursos públicos!
Após analisar a situação 1, você poderia constatar que a melhor solução poderia ser comprar uma quantidade intermediária de impressoras multifuncionais com digitalização automática, se a digitalização pudesse ser normalmente realizada pelos colaboradores.
De fato, poderia ser constatado que comprar mais scanners de mesa seria pior, pois os colaboradores perderiam muito tempo digitalizando volumosos autos página a página, e comprar poucos scanners de produção também, uma vez que, mesmo o equipamento sendo mais robusto, o baixo quantitativo elevaria a distância do usuário à máquina, inviabilizando a dinâmica de digitalização das unidades do órgão.
Vamos analisar outra situação para aprender a raciocinar devidamente?
Pág.6
	Situação 2: Você é servidor público de um departamento que compreende arquivo, biblioteca e museu. Ao chegar ao trabalho, recebe o encargo de elaborar as especificações necessárias à aquisição de um conjunto de arquivos deslizantes para armazenar mais documentos no mesmo espaço físico. O que você fará?
Você percebe que novamente houve confusão entre a necessidade e a solução? Só que dessa vez você foi incluído logo no início do projeto, evitando retrabalho. A necessidade é conseguir atender à demanda das unidades por transferência e recolhimento de documentos. Considerado o espaço disponível para essa finalidade, pode ter sido constatado que em pouco tempo o departamento ficaria impossibilitado de arquivar novos documentos.
No entanto, é necessário sempre analisar as opções disponíveis antes de escolher a solução que melhor a atenda. Nesse caso, poderíamos considerar como melhor opção:
a disponibilização de mais instalações físicas para essa finalidade, em virtude de reorganização interna ou do recebimento de espaço físico de outro departamento;
a realização de obra para expandir as instalações físicas atuais, seja reformando o mesmo local, seja construindo um novo arquivo para essa finalidade;
a manutenção do espaço físico, após a eliminação de documentos, respeitada a tabela de temporalidade \u2013 alguns diretamente, outros após microfilmagem;
a otimização do armazenamento no mesmo espaço, com o melhor aproveitamento de uso de cada caixa, da quantidade de caixas por estante, da quantidade de estantes no ambiente (otimização horizontal) ou da altura dessas estantes (otimização vertical), ou, de fato, com a aquisição de arquivos deslizantes. 
Pág.7
 Veja outra vez a importância de: 
Você poderia comprovar, inclusive, a incorreção da projeção anteriormente efetuada, constatando que o espaço atual atende a necessidade de armazenamento pelos próximos 20 anos. 
Clique na imagem abaixo para saber mais sobre o tema.
Acesse o artigo "A importância do planejamento na contratação pública\u201d, escrito por Lucimar Rizzo Lopes dos Santos, que considera dever funcional do administrador público o planejamento visando evitar prejuízos à Administração Pública decorrente da prática de gestão ineficiente ou ilegal, inclusive no que se refere às contratações públicas.
Unidade II - Elementos básicos da licitação
Agora que você possui uma visão geral sobre o curso precisamos abordar alguns elementos básicos introdutórios, mais especificamente sobre a licitação. Antes disto, conheça de forma breve o histórico da normatização sobre o tema e da sua fundamentação constitucional.
Clique aqui para conhecer o histórico e a fundamentação legal sobre a licitação.
Vamos continuar, então, nossos estudos?
Da mesma forma que você procura pesquisar onde comprar mais barato para economizar seu dinheiro, a Administração Pública busca a proposta mais vantajosa \u2013 de acordo com exigências pré-estabelecidas e divulgadas \u2013 para contratar serviços, adquirir bens e realizar obras. 
	                                    
	Diferentemente de nós, a Administração Pública não sai pela rua indo de loja em loja ou de empresa em empresa atrás da melhor proposta. Ela faz isso