A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
27 pág.
Aula 02 (3)

Pré-visualização | Página 1 de 1

Metodologia Científica
Caroline Petian
Aula 2
O Conhecimento científico
O Conhecimento científico distingue-se do senso comum pelo(a):
caráter cumulativo;
método;
sistematização das informações.
2
O Conhecimento Científico
“Todo cisne é branco”.
O mundo não é perfeitamente ordenado.
A partir das práticas é possível produzir conhecimentos científicos.
Em qualquer prática há duas dimensões: a da efetividade e a inferencial.
3
© Iqoncept | Dreamstime.com
3
Efetividade
A efetividade é avaliada pela realização dos objetivos do fazer. Se os objetivos foram alcançados, então se diz que foi efetivo, ou seja, eficaz e eficiente. 
Um procedimento pode ser eficaz e muito dispendioso, logo, ineficiente.
A efetividade é constituída por duas qualidades: a eficácia e a eficiência.
4
Inferência
O aspecto inferencial é de outra natureza, refere-se aos argumentos utilizados para explicar porque são eficazes e eficientes.
Dedução que exclui as alternativas ou as hipóteses
5
© Joingate | Dreamstime.com
Inferência
O esquema geral da inferência é denominado silogismo, palavra grega que significa tanto inferência quanto dedução.
Todo homem é mortal - premissa maior ou proposição afirmativa inicial.
Sócrates é homem - premissa menor, termo médio, pelo qual se chega à conclusão
Logo, Sócrates é mortal - conclusão.
6
Duas mulheres reivindicam a maternidade de uma criança perante o rei Salomão.
O rei determina que o soldado corte a criança ao meio. Uma delas abriu mão da criança. Salomão, então, entregou a criança a essa mulher por considerar esta a mãe verdadeira.
Estes tipos de declarações não permitem uma decisão lógica, racional, pensada ►os argumentos acerca deles mesmos ou autorreferentes não se resolvem pela escolha de uma das afirmações.
7
Decisão salomônica 
Dilema do mentiroso
Todos os minoicos são mentirosos (disse o minoico Epimênides). 
Se quem disse todos os minoicos são mentirosos é um minoico então: 
(a) ou diz a verdade, logo nem todos são mentirosos;
(b) ou mente, então não é verdade que todos os minoicos sejam mentirosos. 
8
Os argumentos e a validade
Há argumentos perfeitamente lógicos que não são válidos do ponto de vista experimental ou empírico. 
“Duas esferas, uma pesando dois quilos e a outra um quilo, são soltas simultaneamente: a de dois quilos cai duas vezes mais rápido”. 
9
© Alexmillos | Dreamstime.com
Os argumentos e a validade
Lógico, mas errado. 
Galileu demonstrou que os corpos caem na mesma velocidade caso se desconsidere o atrito do ar. 
Este é um exemplo de como um conhecimento científico é contra-intuitivo, e mostra que um argumento lógico pode não ser pertinente ao que se refere.
10
Vídeo
O método científico.
11
Gêneros ou tipos de ciências
Construtivas: são as Matemáticas e as Lógicas, que se caracterizam por desenvolverem seus argumentos uns sobre os outros a partir de axiomas ou hipóteses de partida, construindo os argumentos válidos.
12
 © Agsandrew | Dreamstime.com
Gêneros ou tipos de ciências
Reconstrutivas são todas as demais. 
Nestas se procura reconstruir ou reconstituir os fenômenos para os explicar. 
Oaspecto inferencial é uma reconstituição do que se fez e faz para explicar a razão do fracasso, logo, saber como realizar algo de maneira eficaz e eficiente. 
13
© Natis76 | Dreamstime.com
Gêneros ou tipos de ciências
Os argumentos utilizados nas ciências reconstrutivas não são válidos por serem lógicos, mas por serem adequados e pertinentes ao que se está estudando. 
14
http://business24.ch
Dicas de vídeos complementares
Charles Darwin e a Árvore da Vida
Charles Darwin
 
O Paraíso perdido de Darwin 
15
Jean-Baptiste Pierre Antoine de Monet, Cavaleiro de Lamarck (1744-1829), sustentou que as espécies existentes procedem das anteriores que se modificaram para se adaptarem ao habitat ou meio.
A explicação de Lamarck foi refinada por Charles Darwin (1809-1882) que propôs que a sucessão das espécies em um habitat decorre da “seleção natural” e da “seleção sexual”. 
16
A seleção natural
É similar à realizada pelos agricultores e pecuaristas, salvo por um aspecto: não é intencional, se dá por acaso. 
Então é impróprio dizer: “a natureza fez isto ou aquilo”, pois não há intenção na natureza.
17
ID: 10308565 imagem estátua de charles darwin
A seleção natural
A seleção natural ocorre por mudanças ambientais que forçaram o desaparecimento de indivíduos bem adaptados ao meio e permitiram a sobrevivência dos não muito adaptados ao anterior. 
Não é preciso evocar alguma explicação mais complicada a respeito da sucessão das espécies. 
18
Occam
Darwin utilizou um dos critérios da argumentação científica conhecido como “a navalha de Occam” (princípio da parcimônia). A navalha de Occam é um princípio, atribuído a Guilherme de Occam, que viveu no século XIV, o qual recomenda recorrer apenas às premissas estritamente necessárias para explicar algum fenômeno.
19
© Sindlera | Dreamstime.com
Teoria da sucessão das espécies 
Premissa da seleção sexual, segundo a qual as fêmeas selecionam os machos, mantendo as características da espécie.
 Não se trata de uma escolha intencional, mas sensorial (estética, de sensação, percepção), de apreensão das características próprias da espécie.
20
Conhecimentos confiáveis 
Os conhecimentos científicos reconstrutivos referem-se a fenômenos delimitados no espaço e no tempo, têm validade na escala estabelecida em cada ciência, logo, não são generalizáveis para além ou aquém do que dizem. 
21
© Natis76 | Dreamstime.com
Método generalista
Haveria um método geral para produzir conhecimentos confiáveis?
Há regras gerais de conduta e de análise dos argumentos, pois elas são necessárias em qualquer situação que tem por objetivo estabelecer a verdade ou verossimilhança do que se diz acerca do sujeito de uma proposição, como vimos. 
22
Método generalista
Mas não há um e apenas um método científico. 
Isto porque o método é um conjunto de procedimentos vinculados ao objeto, sujeito das proposições, de cada ciência.
23
Para saber mais
PERELMAN, C.; OLBRECHTS-TYTECA, L. Tratado da Argumentação. A Nova Retórica. Tradução: Maria Ermantina Galvão G. Pereira. São Paulo: Martins Fontes, 1996.
PRACONTAL, M.l de. A impostura científica em dez lições. Tradução: Álvaro Lorencini. São Paulo: Editora Unesp, 2004.
WESTON, A.. A Arte de Argumentar. Lisboa: Gradiva, 2005. Edição digital gratuita em <http://www.mazzotti.pro.br/styled/page14/files/a-arte-de-argumentar-a.pdf>.
24
Metodologia Científica
Caroline Petian
Atividade 2
Analise as afirmações
I.Trabalho acadêmico é um documento escrito que representa o resultado de um estudo solicitado em âmbito educacional, como uma disciplina, curso ou programa. 
II. O Trabalho acadêmico deve expressar conhecimento sobre o assunto escolhido. 
III. Podemos considerar como trabalho acadêmico: artigo, artigo científico, crítica, dissertação, ensaio, livros, folhetos, paper, resenha, sinopse e outros.
IV. Podemos considerar também como trabalho acadêmico: projeto de pesquisa, as publicações periódicas, relatório técnico-científico e monografia.
 
26
A partir das afirmações anteriores, buscando responder “o que é trabalho acadêmico?”, pode-se considerar que:
a) somente as afirmações I e II estão corretas.
b) somente as afirmações I e IV estão corretas.
c) somente a afirmação III está incorreta.
d) somente a afirmação I está incorreta.
e) todas as afirmações estão corretas.
27