A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
AULA 02  PROPRIEDADES INTENSIVAS E EXTENSIVAS MASSAxVOLUME

Pré-visualização | Página 1 de 1

Ministério da Educação
Universidade Federal de Pelotas – UFPel
Centro de Ciências Químicas, Farmacêuticas e de Alimentos - CCQFA
�
Disciplina: Físico-Química Experimental-1 (150028)
Curso: Química de Alimentos
Professor: Robson da Silva Oliboni
�
Data: 05 / 04 / 2018
�
RELATÓRIO
Equipe: Kamila da Rosa Acosta 
Aula: AULA 2 - Propriedades intensivas e extensivas: Relação massa x volume
Objetivo(s): Determinar a relação gráfica e matemática entre as grandezas massa e volume de uma substância.
Resultados e Discussão: Sabe-se que a densidade do Chumbo(s) segundo a literatura é 11,350 g/cm³ a uma temperatura de (25 ºC). Os resultados serão discutidos após visualização dos valores obtidos e sua relação com o gráfico. Para o experimento foi utilizada uma proveta de 10mL.
Tabela 1: Valores de massa do chumbo, deslocamento de volume e densidade.
	Massa (g)
	Deslocamento (mL)
	Densidade g/cm³
	5,6884
	0,5
	11,3768
	3,1593
	0,5
	6,3186
	5,8647
	0,5
	11,7294
	
	Média: 9,8083
	
	
	Com os valores tabelados foi possível construir o gráfico da relação massa x volume, podendo assim, saber a densidade do metal utilizando a equação da reta (), onde a = densidade.
 Gráfico 1. – Relação massa x volume.
 
			 
	Tabela 2: Densidade (g/cm³) dos valores das amostras, média e gráfico com respectivos erros absoluto e relativo.
	Amostras 
	Erro relativo (%)
	Erro absoluto
	11,3768
	0,23
	0,0268
	6,3186
	44,33
	5,0314
	11,7294
	3,34
	0,3794
	Média
	
	
	9,8083
	13,58
	1,5417
	Gráfico
	
	
	9,8083
	13,58
	1,5417
 No experimento realizado, a temperatura da água não foi verificada podendo haver alguma diferença no valor encontrado em razão deste dado não estabelecido para posterior comparação com valor de referência. A densidade obtida através do gráfico aproximou-se do valor verdadeiro, portanto o valor da segunda amostra distanciou-se dos demais, podendo ser demonstrado com o erro relativo, onde obteve-se 44,33% de diferença do valor real, influenciando para a inexatidão do experimento. Erros como o de paralaxe geram dados precipitados para valores de deslocamento, tal como os erros sistemáticos.
Conclusões: Conclui-se que fatores externos como, por exemplo, a temperatura ambiente, influenciam para o posterior cálculo de densidade, além disso, a utilização de mais amostras possibilitariam que alguns valores pudessem ser descartados para que não houvesse tamanha discrepância nos resultados dos erros absoluto e relativo para aproximar o valor obtido do valor real. 
Referências: Atkins, P. W. Físico Química, vol. 1, 2008.