A Língua Alemã - Die Deutsche Sprache
56 pág.

A Língua Alemã - Die Deutsche Sprache


DisciplinaAlemao Instrumental I59 materiais128 seguidores
Pré-visualização8 páginas
A língua alemã
Die Deutsche Sprache
Escrito em 1998
Autor: Maurício Carvalho
Fonte: https://sites.google.com/site/mopclanguages/german-grammar
Acesso em: 23 de junho de 2014.
PARTE 1 (TEIL EINS)
O alemão é uma língua indoeuropeia, do ramo germânico, sub-ramo 
germânico ocidental.
RAMO GERMÂNICO:
2000 a.C.: proto-germânico (?)
300 a.C.: línguas germânicas da antiguidade
600-1200 d.C.: línguas germânicas da Idade Média (norreno, gótico, 
anglo-saxão)
1066 d.C.: invasão normanda da Inglaterra, anglo-saxão é fortemente 
influenciado pelo francês medieval, donde surge o inglês moderno;
1000-1700 d.C.: extinção do gótico; formação das outras línguas 
germânicas modernas: norueguês, sueco, islandês, escaniano, dinamarquês 
(escandinavas ou setentrionais); suabo, alamânico, bávaro, iídiche, frânquico, 
turíngio, alto-saxão, silesiano, holandês, flamengo, baixo-frânquico, baixo-
saxão, brandenburguês, médio-pomerânio, frísio, suíço (ocidentais).
1600- 1900 d.C.: criação do chamado "alto alemão" como língua da 
Alemanha unificada; perda de características arcaicas como declinação e três 
gêneros, que só permanecem no alemão e no islandês.
Pós-guerra: alemão, holandês e línguas escandinavas abandonam 
escrita "Fraktur" (gótica) e adotam escritas atuais.
Características das línguas indoeuropeias 
(Charaktereigenschaften der indogermanischen Sprachen):
As línguas indoeuropeias têm como características fundamentais a 
divisão de suas palavras em três gêneros: masculino, feminino e neutro; o uso 
de desinências, prefixos e afixos; a fonética complexa; a marcação nas 
palavras de sua função sintática (declinação); a riqueza de tempos e formas 
verbais, entre outras.
Veja:
Desinências de gênero nas línguas indo européias clássicas:
Latim: -us (masc.), -a (fem.), -um (neutro)
Grego: -os (masc.), -e (fem.), -on (neutro)
Sânscrito: -as (masc.), -i (fem.) , -a (neutro)
Desinência para o neutro plural nas línguas acima e nas línguas eslavas 
modernas: -a
Desinência do acusativo singular masculino e feminino nas 
línguas clássicas e no polonês: -n ou \u2013m ou nasalização (cf. alemão "der"- 
artigo masculino nominativo singular, acusativo: "den"; inglês "he" pronome 
pessoal de 3 ª pessoa singular nominativo; casos oblíquos: "him", mesmo com 
"who"= quem, "whom")
Plural nominativo masculino em \u2013i ou \u2013s:
Latim: "canis, canes" , "dominus, domini"
Grego: "kyon, kynes", "helenikos, helenikoi"
Italiano: "amico, amici"
Português: "amigo, amigos"
Alemão: "Gast, Gäste" (-e em vez de \u2013i, mas em alemão antigo: "gast, 
gasti")
Primeira e terceira pessoas do plural em "\u2013imos" e "-ent":
Latim: "sumus, sunt" (somos, são)
Polonês: "jeste?my, s?"
Alemão: "sind, sind"
Características do alemão (Charaktereigenschaften des 
Deutschen):
No alemão os gêneros masculino e neutro perderam suas desinências e 
o feminino é \u2013e. Há exceções, contudo.
O plural indoeuropeu em \u2013i transformou-se em \u2013e e o em \u2013es em \u2013er. 
Surgiu um plural em \u2013n e despareceu o plural neutro indoeuropeu em \u2013a.
As declinações se simplificaram ao extremo, praticamente se limitam aos 
artigos.
Uso dos casos da declinação em alemão (Gebrauch der 
Deklinationskasus im Deutschen)
O caso básico é o nominativo (der Nominativ), usado para sujeitos das 
frases e para complementos de igualdade com o verbo "sein" (ser, estar) ou 
"werden"(tornar-se):
"Er ist ein Mann", "ele é um homem" em que "er" e "ein Mann" estão no 
nominativo.
O acusativo (der Akkusativ) é o caso em que fica o objeto direto da 
frase, o complemento de certas preposições (ver preposições) e certas 
expressões indicando circunstância do acontecimento da frase.
"Ich sehe einen Mann","eu vejo um homem" em que "einen Mann" é o 
acusativo de "ein Mann".
"Ich bleibe hier einen Tag", "eu fico aqui um dia", em que "einen Tag" é 
acusativo de "ein Tag".
O dativo (der Dativ), se usado sozinho, é só o objeto indireto da frase:
"Ich gebe dem Mann einen Apfel", "eu dou ao homem uma maçã", em 
que "dem Mann" é dativo e "einen Apfel" acusativo. Geralmente o dativo 
precede o acusativo.
O dativo é usado também com preposições que o exijam (ver 
preposições).
O genitivo (der Genitiv) indica posse:
"Der Apfel eines Mannes" ,"a maçã de um homem"
Veja a declinação singular de "der Mann" ("der" é o artigo definido 
masculino nominativo singular):
Nom: der große Mann
Akk: den großen Mann
Gen: des großen Mannes
Dat: dem großen Mann(-e)
Com o artigo indefinido "ein", a declinação do adjetivo muda um pouco:
Ein großer Mann
Einen großen Mann
Eines großen Mannes
Einem großen Mann(-e)
Sem artigo também há alterações:
Großer Mann
Großen Mann
Großen Mannes
Großem Mann(-e)
Note que sempre que o artigo não indicar o gênero do substantivo, ou 
na ausência de artigo, é o adjetivo que vai indicá-lo.
"Der" indica masculino, adjetivo: "groß" > "große"; "ein" não indica 
gênero (pode também ser neutro) , adjetivo: "groß" > "großer", com o \u2013er 
indicando masculino singular nominativo. Quando há uma alteração no artigo, 
o adjetivo toma \u2013en: einen großen Mann, den großen Mann, dem großen 
Mann.
Se não há artigo, exceto no genitivo masculino e neutro, que toma \u2013en, 
o adjetivo toma a mesma terminação que o artigo definido tomaria: dem 
großen Mann > großem Mann.
Saiba que o artigo definido, especialmente na linguagem coloquial, serve 
de substituto para "jener, jene, jenes"= "aquele, aquela"
O \u2013e final é opcional dos substantivos masculinos ou neutros 
monossilábicos no dativo singular.
Se no genitivo não houver nem artigo nem adjetivo se usa a preposição 
"von" (de), que exige o dativo.
Algumas palavras determinadoras são consideradas artigos na 
declinação:
Definidos: welcher, jener, dieser, mancher, solcher (o qual, aquele, 
esse, algum, tal)
Indefinidos: kein (nenhum), possessivos
Se esses determinadores estiverem no plural, tanto faz serem 
considerados definidos ou indefinidos pois não há diferença entre a declinação 
definida ou indefinida no plural.
Perceba ainda que adjetivos em complementos do tipo "A é bom", "B 
ficou vermelho" não se declinam: "ich bin gut, der Mann ist gut, er ist rot 
geblieben" = "eu sou bom, o homem é bom, ele ficou vermelho".
Para uma visão profunda das declinações veja apêndice correspondente.
Verbos (Verben, Zeitwörter, Tätigkeitswörter)
Para explicação mais detalhada do uso dos tempos verbais, ver apêndice 
sobre verbos.
Os verbos se simplificaram muito, sendo classificados em apenas uma 
conjugação (em português há três e em polonês, cinco). Veja a conjugação de 
um verbo fraco (regular):
Presente (Präsens) do verbo "machen", fazer:
Ich mache
Du machst
Es macht
Wir machen
Ihr macht
Sie machen
O presente também funciona como nosso presente contínuo: "ich 
mache"= "eu faço" ou "eu estou fazendo", pois não há forma especial para o 
presente contínuo em alemão.
Pretérito imperfeito (Imperfekt)
Ich machte, eu fazia
Du machtest, tu fazias
Es machte, fazia
Wir machten, nós fazíamos
Ihr machtet, vós fazíeis
Sie machten, eles/elas faziam
Conjuntivo presente (Konjunktiv Präsens): igual ao presente exceto 
que tomam sempre "e"entre o radical do verbo e a terminação, e na terceira 
pessoa perdem o "t":
Ich mache, eu faça
Du machest, tu faças
Er mache, ele faça
Wir machen, nós façamos
Ihr machet, vós façais
Sie machen, eles façam
Conjuntivo imperfeito (Konjunktiv Imperfekt): nos verbos fracos, 
igual ao imperfeito normal (indicativo, veja acima). Nos verbos fortes, 
adiciona-se um trema se possível à vogal da raiz e um \u2013e entre a raiz e o 
terminação verbal:
Ich schwimme, ich schwamm
Conjuntivo pretérito:
Ich schwämme