A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
96 pág.
GEOLOGIA AMBIENTAL

Você está vendo uma pré-visualização

Pre-visualização do material GEOLOGIA AMBIENTAL - página 1
Pre-visualização do material GEOLOGIA AMBIENTAL - página 2
Pre-visualização do material GEOLOGIA AMBIENTAL - página 3

GEOLOGIA AMBIENTAL

que indi-
cam as interferências entre as diversas formas de ocupação, indicando 
medidas preventivas e corretivas no sentido de minimizar custos e riscos 
nos empreendimentos e no meio ambiente e em seu entorno.
Book_GA.indb 30Book_GA.indb 30 02/07/14 10:0802/07/14 10:08
e-Tec BrasilAula 1 – Conceitos básicos: o que é Geologia Ambiental? 31
Respostas das Atividades
Atividade 1
a) Erosão costeira
b) Deslizamentos de terras
c) Inundação
d) Sismos
e) Atividade vulcânica/erupção vulcânica
Atividade 2
(R) Previsão da possibilidade, que pode ser calculada, de um evento danoso 
acontecer.
(A) São eventos decorrentes da ação da natureza e/ou do ser humano e que 
causam danos.
(S) Programa de computador que analisa e auxilia na gerência dos eventos 
geológicos que ocorrem em determinado local.
(G) São os terremotos, enchentes, atividade vulcânica, erosão costeira e os 
deslizamentos de terra.
Atividade de aprendizagem
a) Geologia Ambiental
b) Processos geológicos
c) Acidente geológico
d) Risco (geológico ou de outra natureza)
e) Sistemas de Informação Geográfi ca (SIG) 
Book_GA.indb 31Book_GA.indb 31 02/07/14 10:0802/07/14 10:08
Geologia Ambientale-Tec Brasil 32
Book_GA.indb 32Book_GA.indb 32 02/07/14 10:0802/07/14 10:08
e-Tec BrasilAula 2 – Os principais tipos de solos e seus atributos 33
Aula 2 – Os principais tipos de 
solos e seus atributos
Objetivos
Listar as principais características dos horizontes que compõem um solo.
Identifi car alguns tipos de solo a partir de seus principais atributos 
(características).
Reconhecer fatores de degradação do solo e avaliar suas consequências.
2.1 Os caminhos do solo
A textura, a estrutura, a porosidade, os nutrientes, a densidade e outras carac-
terísticas interferem nos riscos de erosão que cada solo apresenta. Por exemplo, 
solos mais arenosos são mais instáveis e costumam descer pela encosta com 
muita facilidade durante as chuvas, depositando-se na pista.
Uma técnica comum para conservação desses solos de encosta é a colocação 
de vegetação. Mas, para que essa medida seja efi ciente, é preciso saber as 
características físicas e químicas do solo, para que a escolha das plantas e dos 
adubos seja a mais adequada àquele tipo de solo.
Figura 2.1: Os buracos nas estradas são, muitas vezes, consequências do solo inade-
quado para a construção de rodovias.
Fonte: <http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Rock_slide.jpg>. Acesso em: 9 fev. 2012.
Book_GA.indb 33Book_GA.indb 33 02/07/14 10:0802/07/14 10:08
Matéria orgânica
É toda matéria de origem 
animal ou vegetal.
Partículas não consolidadas
Porção diminuta de solo 
desagregado ao longo do tempo.
Geologia Ambientale-Tec Brasil 34
Como vemos, os deslizamentos de encostas são resultados da falta de técnicas 
de contenção dos diferentes tipos de solo (Figura 2.1). 
Estudo de Impacto Ambiental: é um instrumento importante da Política 
Nacional de Meio Ambiente e é exigido na instalação de obra ou atividade 
potencialmente causadora de signifi cativa degradação ambiental.
2.1.1 Os fatores que determinam o tipo de solo
Antes de saber classifi car um tipo de solo, é preciso saber o que é solo, 
não é verdade? 
Chamamos de solo qualquer porção da superfície do nosso planeta que seja 
resultado de transformação e acumulação de materiais provenientes de desin-
tegração das rochas, da decomposição de matéria orgânica e das interações 
de algum tipo de matéria com organismos vivos.
Essas alterações acontecem por consequência, ou em conjunto, com a ação 
de fatores climáticos como vento, chuva, temperatura e umidade.
Em geologia, o solo é defi nido como qualquer material resultante da decom-
posição das rochas pela ação de agentes de intemperismo. 
Você deve estar se perguntando o que é intemperismo, não é mesmo?
Intemperismo é a alteração das propriedades físicas, químicas e biológicas que 
agem sobre as rochas. 
Essas alterações acontecem por ação dos fatores climáticos e levam à formação 
de partículas não consolidadas do solo.
Um bom exemplo da ação do intemperismo é a laterita. A laterita é um tipo 
de solo que resulta de processos de intemperismos característicos de climas 
quentes e úmidos (excesso de chuva). Esse solo apresenta grande concentração 
de ferro e alumínio. 
Observe a sua cor na Figura 2.2, ela é consequência da grande quantidade 
de ferro na composição do solo.
Book_GA.indb 34Book_GA.indb 34 02/07/14 10:0802/07/14 10:08
e-Tec BrasilAula 2 – Os principais tipos de solos e seus atributos 35
Figura 2.2: Solo de laterita
Fonte: Werner Schellmann. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Laterite_quarry,_Angadipuram,_
India._C_004.jp>. Acesso em: 9 fev. 2012. 
Os solos são formados pela ação de diversos fatores de formação. Os principais são:
• O material da rocha-máter (ou rocha-mãe) − rocha a partir da qual o solo 
se formou. As ações e consequências do intemperismo variam de acordo 
com a estrutura e a composição da rocha-máter.
• A ação dos organismos vivos − os materiais liberados pela ação e pelo me-
tabolismo dos micro-organismos infl uenciam na formação dos solos. Por 
exemplo, os micro-organismos são capazes de tornar um solo mais ou menos 
ácido, o que interfere diretamente na composição mineral desse solo.
• O tempo − esse é um fator que depende de outros que estão relacio-
nados diretamente com o intemperismo. Por exemplo, em uma região 
de chuvas constantes, o tempo necessário para que esse fator climático 
altere o solo será menor do que em locais onde a chuva é distribuída 
regularmente durante o ano.
• O clima − a quantidade de chuva e a temperatura interferem diretamente 
na velocidade das reações químicas. As alterações que ocorrem no solo 
durante sua formação são determinadas pelas reações químicas que nele 
ocorrem.
• O relevo − pode ser defi nido como as formas da superfície terrestre. 
Montanhas, planaltos, planícies, vulcões são alguns exemplos de formas 
de relevo. A morfologia (forma) de um terreno e a sua vegetação são ca-
pazes de interferir, por exemplo, na maneira como as águas provenientes 
da chuva escorrem e se infi ltram no solo. 
Você já deve ter percebido que a ação da chuva é capaz de interferir na 
composição do solo.
Book_GA.indb 35Book_GA.indb 35 02/07/14 10:0802/07/14 10:08
Geologia Ambientale-Tec Brasil 36
Solo: porção da superfície terrestre formada pela transformação e acumulação 
de materiais provenientes da desintegração das rochas, da decomposição da 
matéria orgânica, das interações com organismos vivos, e sob ação de fatores 
climáticos como vento, chuva, temperatura e umidade. 
Intemperismo: é alteração, por processos naturais, das propriedades 
físico-químicas e biológicas que agem sobre a rocha e conduzem à formação de 
partículas não consolidadas.
Perfi l de solo: é a subdivisão vertical que, partindo da superfície, aprofunda-se 
até onde chega a ação do intemperismo, mostrando, na maioria das vezes, 
uma série de camadas dispostas horizontalmente (horizontes), paralelas à 
superfície do terreno, que possuem propriedades resultantes dos efeitos com-
binados dos processos de formação do solo. 
Atributos do Solo: determinação das características peculiares que servirão 
de base para a classifi cação do solo.
Figura 2.3: O clima, o tempo, o tipo de rocha-máter, a ação de micro-organismos e o 
relevo são fatores que interferem na formação de um solo.
Fonte: Ilustrado por Alessandro de Oliveira.
SOLO
TEM
PO
CLI
M
A
MICRO-O
RG
AN
IS
M
O
S
REL
EV
O
ROCH
A-M
ÁT
ER
Book_GA.indb 36Book_GA.indb 36 02/07/14 10:0802/07/14 10:08
e-Tec BrasilAula 2 – Os principais tipos de solos e seus atributos 37
Os principais