QuestionarioS unidadeS 1, 2 E 3 RELAÇÕES ÉTINICAS - RACIAIS NO BRASIL
17 pág.

QuestionarioS unidadeS 1, 2 E 3 RELAÇÕES ÉTINICAS - RACIAIS NO BRASIL

Disciplina:Questionário Unidade I Alfabetização e Letramento12 materiais22 seguidores
Pré-visualização6 páginas
Questionario unidade 1
Relaçõe s Étnico s – Raciai s no Brasil - Ques tio nário 1
1 – Res p ost a C or reta D - as difere nç as regi on ais ap res e ntad as no grá fic o acim a nã o m ost ram
relaç ã o c om a c ondiç ã o s oc ial e econ ômic a d os afrod es c end ent es no B ras i l.
Com entá rio: E x is te uma relaç ã o diret a entr e a dis t ribuiç ã o racial b ras il eir a e a po br ez a ou
riqu ez a das di ve rs as re giõ es do p aís , nu ma ló gic a qu e c oloc a n as re giões mais p ob res, No rte e
Nor dest e, a m aior c onc e nt raç ã o de pr etos e pa rd os e, i n vers am ent e, os b ranc os em maio ria
nas regi ões mais ric as , a s abe r, S ul e S udes t e.
2 - (A da p. ENEM ) Cad a um d os arg ume ntos abaix o nos mos t ram a pers pec t i va daq uel es que
s ão a f a vor das c otas par a neg ros nas u ni vers i d ad es br as ileir as . A s s i nale a únic a alt e rnati va
que é dis c ord ant e d est a opini ão.
Res p os ta: B - O aces s o à uni ve rsi da de de ve b as ea r-se em um únic o c ritéri o: o de m é rito. N ão
s endo as s i m, a qu alid ad e aca dêmic a po de fic ar ame aç ad a p or alun os des pre pa rad os . Nes s e
s ent ido, a pri nc ipal l ut a é a de rei vi n dic ar pr op ost as qu e incl u am mai or es i n ves t im ent os na
Educaç ão B ás ic a.
Com entá rio: Para a qu eles qu e são c ont ra a res er va de vag as ex c lus ivas par a ne gros n as
uni vers id ad es, o ar gum ento da merit ocrac i a é um dos mais fo rt es, no s e ntido de qu e os al un os
bra ncos , por est are m m ais pr ep ar ados p ar a as c onco rri das p ro vas de ves t ib ula r, s eri am
pot enc i al mente al unos m ais c om pet e ntes n as s alas de aul a; l o go, a e nt ra da de n egr os n es s as
va gas , a ntes ocu pa das po r b ra nc os, t ra ria, pa ra as uni vers id ad es, um a q ue da nos p adr ões de
quali dad e de e nsi no, c omo se o ves t ibular fos s e r ealme nte a man eir a mais d emocr átic a de
oferec e r ac ess o aos b ancos uni ve rsit ários .
3 - Ao t er uma c o ns c iênci a c r ít ic a das rel ações étnic o-r aci ais no B r as il e s uas im plic aç õ es no
c ont ex t o esc olar, o p ro fes s or c ons egui rá:
Res p ost a: E - t odas as alt ernati vas est ão c or ret as.
Com entá rio: A dis c iplin a Relaç õ es É t nic o- Rac iais no B rasil t em por obj eti vo f orm ar pr o fes s or es
c om um a vi s ão c r ít ic a des t e uni ve rso ét nic o, no q ual es t á ins erid o o s eu al uno. Des t a f orm a, o
pro fes s o r po der á pr omo ver pr át ic as ped ag ógic as pa ra a ig ual dad e rac ial.
4 - As afirm aç ões ab aix o ap res e ntam de fi niç ões ad eq uad as par a o t erm o “et ni a”, ex c eto:
Res p ost a: E - a gr upa ment o de p es s oas , ou de um s et o r da p op ulaçã o, c om as p ec t os f ís ic os
c omuns .
Com entá rio: O t erm o “et nia ” nã o diz resp eit o a pen as a um agr up ame nto de pes s oas ou s etor
da po pulaç ão, m as uma ag re gaç ã o c onsc ient e de p ess oas uni das ou p rox i mam ent e
relac io na das por ex p eri ênc i as co m pa rti lha das. També m não imp ort am os as pec t os f ís ic os
c omuns , mas a orig em e os inte res s es c omuns.
5- C om rel ação à a bo rd age m do t erm o “r aç a” s o b uma p ers p ec t i va p olít ic a, po dem os diz er q ue:
Res p ost a: A - se t rat a do us o q ue a c omu nida de a fr od es c end ente f az d es s e t e rmo na luta p or
s eus direit os e c ontr a t oda fo rma de dis c rimin ação e r ac is m o
Com entá rio: A abo rda gem p ol ít ic a do t erm o “r aça” e nfati z a as c ircunst ânci as em que t al
c onc eit o é ut iliz ado, se p os it i va ou n eg ati vam ente, da í o uso pol ít ic o do t erm o pelo m o vim ento
neg ro p ar a de fini r os anseios e as l utas dos n egr os na s oc ied ad e br asi leira.
6- E ntr e as b as es leg ais par a o es t udo das r elações ét nic o- rac iais na f orm ação de p ro fes s or es ,
ass im c omo no c ont ext o c ur ric ular das es c olas da e duc aç ã o bás i c a, es t ão:
I. Lei 10.6 39/ 0 3 qu e inc lui no c ur ríc ul o ofic i al da re de de ens i no a o bri gato rie dad e da t emát ic a
“his t ória e c ult ura a f ro- br as ileir a”.
II. Lei 11. 645/ 08 qu e inc lui no c ur ríc ulo ofi c ial da r ed e de ensi no a ob rig at ori eda de da t emáti c a
“his t oria e c ult ura a f ro- br asi leir a e ind íg en a”.
II I. Es t at uto da Cri anç a e do A dol es c ente, Lei 806 9/ 90 qu e det ermin a a exempl o da LDB
939 4/96: gest ã o dem ocrátic a n os es t abeleci m ent os de e ns ino o fic ial.
IV . Dec l ar ação de Salam anca q ue o rient a pa ra um t ra bal ho e feti vo de inc lus ão no proc es s o
educ acio nal.
Es t á(ão) c o rr eta(s ):
Res p ost a: A - afi rm ati va I e I I

Com entá rio: S ão as l eis de 20 03 e 20 08 que e feti vame nte d etermi nam alter aç ão no c u rr íc ulo
esc olar, c om a i ntro duçã o dos es t udos da his t ória e c ult ur a dos p o vos afr o- br asi leiros e
ind íge nas .
7 - O a no de 2 01 1 f oi de fini do c om o A no Int ern ac ion al dos A fro desc en de nt es pel a Or ga niz aç ão
das N ações Uni das ( ON U). Qual f oi cons id er ada um a d as pri nc ipais inte nç ões par a es s e
lanç ame nt o, s eg un do o s ec r et ári o-g er al d as N aç ões Uni das, B an Ki-M oon, em opini ão
amplam ent e di vulga da p ela g ra nde m ídi a?
Res p ost a B - D espe rtar, na c om uni da de i nter naci on al, o int e res s e em am plia r os direit os
fu ndam ent ais a os af rod esc end ent es .
Com entá rio: O int eress e da ON U n es s e t ipo de inic iat i va é am pliar o ac es s o da po pul ação
afrod es c end ent e aos di reit os fu ndam entais , c omo s aúd e, ed uc aç ão, m or adia, sa nea m ent o,
is onomia s al ari al et c . , direit os es t es q ue, muit as vezes , l hes s ã o s i s t ematic ament e ne ga dos em
qual que r pa ís do m und o.
8 - O li vr o “ Cas a Gr an de e S enz al a”, de Gilb ert o F rei re, p ro po rci ono u um no vo ente ndim ento
do pr oces s o de mis c igen aç ão no Brasil , des en vol ve nd o o c onceit o do m it o da dem ocracia
rac ial, em qu e:
Res p ost a: A - a mis c ige naçã o t oma c onto rnos pos i t i vos, c om ê n fas e nas q ualid ad es do po vo
brasi lei ro.
Com entá rio: O mit o da d emocr ac ia r aci al d es enc a de ou um p ensam ent o pos it i vo do proc es s o
de m is c i gen ação no B r asi l, em dec orr ênci a das in flu ênci as d os gru pos étnic os, na c ult ur a, na
aliment aç ão e nos há bit os da po pulaç ão br as ileir a. Des t a fo rma o mi t o da d emocr ac ia rac i al
des mi s t ific ou a i d eol ogia e ug enist a e s ua d efes a da m an ut enç ã o do b ra nqu eam ent o.
9 - O racis mo c ient ífic o d ef en dia a ex is t ência de difer entes raç as e a s u pr emaci a de um a raça
s obre a out r a. E s t a c orrente t e ve s uas bas es t eó ric as no: