Estudos Disciplinares VII   Unidade I
40 pág.

Estudos Disciplinares VII Unidade I


Disciplina<strong>gestão</strong> Esportiva3 materiais12 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Unidade I
RACIOCÍNIO LÓGICO
LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE 
TEXTOS
Profa. Deborah Paula
Argumentação
\uf0a7 Argumentar é a arte de convencer e 
persuadir 
\uf0a7 Convencer é saber gerenciar 
informações, demonstrando, provando \u2013
vencer junto com o outro. razão
\uf0a7 Persuadir é saber gerenciar a relação, é 
falar à emoção do outro. emoção
Argumentação
Diferença entre convencer e persuadir:
\uf0a7 Convencer é construir algo no campo das 
ideias;
\uf0a7 O outro passa a pensar como nós.
\uf0a7 Por exemplo as informações em\uf0a7 Por exemplo, as informações em 
circulação na sociedade. 
\uf0a7 Auditório universal
Argumentação
Diferença entre convencer e persuadir:
\uf0a7 Persuadir é construir no terreno das 
emoções
\uf0a7 É sensibilizar para agir
\uf0a7 O outro realiza algo que desejamos que\uf0a7 O outro realiza algo que desejamos que 
ele realize
\uf0a7 Por exemplo, informações que circulam 
em contextos particulares
\uf0a7 Auditório particular
Argumentação
Argumento lógico e quase lógico:
\uf0a7 Lógico é baseado em conhecimentos do 
real
\uf0a7 Quase lógico são argumentos baseados 
na possibilidadena possibilidade
Argumentação
Exemplo de raciocínio lógico:
\uf0a7 \u201cQuanto mais chove mais o rio 
transborda\u201d
\uf0a7 Os argumentos são baseados nos 
conhecimentos prévios.conhecimentos prévios.
Argumentação
Exemplo de raciocínio quase lógico:
\uf0a7 \u201cO anão quanto mais sobe, menor se 
apresenta\u201d
\uf0a7 Ocorre uma ruptura com os 
conhecimentos prévios, indicando outrasconhecimentos prévios, indicando outras 
possibilidades.
Argumentação
Exemplo de argumentação lógica e quase 
lógica:
\uf0a7 \u201cEnquanto o professor falava os alunos 
aprendiam\u201d
\uf0a7 \u201cEnquanto o professor falava os alunosEnquanto o professor falava os alunos 
dormiam\u201d
\uf0a7 No marco das cognições sociais que se 
referem aos conhecimentos prévios o 
papel do professor é ensinar. Assim, 
ocorre uma nova circunstância.
Interatividade
(Questão 1 \u2013 ENADE 2009). A urbanização no Brasil registrou marco 
histórico na década de 1970, quando o número de pessoas que viviam 
nas cidades ultrapassou o número daquelas que viviam no campo. No 
início deste século, em 2000, segundo dados do IBGE, mais de 80% da 
população brasileira já era urbana. Considerando essas informações, 
estabeleça a relação entre as charges. 
Com base nas informações dadas e na relação proposta entre essas 
charges, é correto afirmar que:
a) a primeira charge é falsa, e a segunda é verdadeira.
b) a primeira charge é verdadeira, e a segunda é falsa.
c) as duas charges são falsas. 
d) as duas charges são verdadeiras, e a segunda explica a primeira. 
e) as duas charges são verdadeiras, mas a segunda não explica a 
primeira. 
porque
Resposta
(Questão 1 \u2013 ENADE 2009). A urbanização no Brasil registrou marco 
histórico na década de 1970, quando o número de pessoas que viviam 
nas cidades ultrapassou o número daquelas que viviam no campo. No 
início deste século, em 2000, segundo dados do IBGE, mais de 80% da 
população brasileira já era urbana. Considerando essas informações, 
estabeleça a relação entre as charges: 
Com base nas informações dadas e na relação proposta entre essas 
charges, é correto afirmar que
a) a primeira charge é falsa, e a segunda é verdadeira.
b) a primeira charge é verdadeira, e a segunda é falsa.
c) as duas charges são falsas. 
d) as duas charges são verdadeiras, e a segunda explica a primeira. 
e) as duas charges são verdadeiras, mas a segunda não explica a 
primeira. 
porque
Pensando na lógica da resposta
\uf0a7 O texto inicial diz que \u201ca urbanização no 
Brasil registrou marco histórico na 
década de 1970, quando o número de 
pessoas que viviam nas cidades 
ultrapassou o número daquelas que 
viviam no campo No início deste séculoviviam no campo. No início deste século, 
em 2000, segundo dados do IBGE, mais 
de 80% da população brasileira já era 
urbana\u201d. Ou seja, houve uma inversão do 
percentual de pessoas que viviam no 
campo e na cidade: \u201cantes\u201d, a maioria dacampo e na cidade: antes , a maioria da 
população do Brasil vivia no campo; 
\u201choje\u201d, a maioria da população do Brasil 
vive na cidade. 
Pensando na lógica da resposta
\uf0a7 Isso se traduz nas charges da seguinte 
maneira: \u201choje\u201d temos \u201cenxadas 
paradas\u201d (ou seja, \u201dpouca gente no 
campo\u201d) e \u201cinchadas paradas\u201d (ou seja, 
\u201cmuita gente na cidade\u201d). Pela leitura do 
texto inicial e pela lógica concluímostexto inicial e pela lógica, concluímos 
que as duas charges são verdadeiras.
Pensando na lógica da resposta
\uf0a7 A palavra porque, que \u201cliga\u201d as duas 
charges. Essa palavra indica que a 
segunda charge seria a causa e a 
primeira charge seria a sua 
consequência. Usando a lógica, 
concluímos que esse raciocínio não éconcluímos que esse raciocínio não é 
correto, pois foi a saída de pessoas do 
campo (primeira charge - causa) que 
ocasionou o \u201ccaos\u201d urbano (segunda 
charge - consequência) e não o contrário.
\uf0a7 Assim pela análise lógica de \u201ccausa e\uf0a7 Assim, pela análise lógica de causa e 
efeito\u201d, que as duas charges são 
verdadeiras, mas a segunda não explica a 
primeira . 
Processos dedutivos e indutivos
Abdução, Indução e Dedução são 
momentos diferentes que constroem o 
conhecimento e que são tratados como 
métodos de investigação científica.
\uf0a7 A abdução é utilizada quando ocorre um 
problema e se busca os conhecimentos 
prévios já adquiridos para uma resposta. 
Processos dedutivos e indutivos
\uf0a7 A indução é o método caracterizado pela 
observação, assim o elemento observado 
é singular e o conhecimento adquirido do 
seu exame é generalizado para todos os 
seres da mesma espécie através do 
processo da deduçãoprocesso da dedução
\uf0a7 Dedução é feita das formas de 
conhecimentos já cristalizados e 
devidamente generalizados.
Por exemplo: uma rachadura na parede.
Processos dedutivos e indutivos
\uf0a7 Dedutivo: hipotético dedutivos; 
formulação da hipótese, dedução das 
consequências, observação ou 
experimentação para determinar a 
validade das consequências.
Processo dedutivo
Geral
Específico
Particular
Processos dedutivos e indutivos
\uf0a7 Indutivo: argumentar por enumeração/ 
estatísticas, ver os perigos, 
generalização e tendências; analogia 
(comparação \u2013 ver qualidades 
específicas daquilo que se compara); 
autoridade (autoridade também erra)autoridade (autoridade também erra). 
Processo indutivo
Particular
Específico
GeralGeral
Interatividade
Em: \u201cTodo brasileiro é corintiano\u201d. Qual é a 
negação total dessa afirmação ?
a) Nenhum brasileiro é corintiano.
b) Existe brasileiro que não é corintiano.
c) Todo não brasileiro é corintianoc) Todo não brasileiro é corintiano.
d) Todo não brasileiro não é corintiano.
e) Todo brasileiro não é corintiano.
Resposta
Em: \u201cTodo brasileiro é corintiano\u201d. Qual é a 
negação total dessa afirmação ?
a) Nenhum brasileiro é corintiano.
b) Existe brasileiro que não é corintiano.
c) Todo não brasileiro é corintianoc) Todo não brasileiro é corintiano.
d) Todo não brasileiro não é corintiano.
e) Todo brasileiro não é corintiano.
Deduzindo a lógica da resposta
\uf0a7 Se pelo menos um brasileiro não for 
corintiano, a proposição \u201cTodo brasileiro 
é corintiano\u201d torna-se falsa. Ou seja, se 
existir brasileiro que não seja corintiano 
então se nega que \u201cTodo brasileiro é 
corintiano\u201d Ou ainda basta que umcorintiano\u201d. Ou ainda, basta que um 
único brasileiro não seja corintiano para 
que \u201cTodo brasileiro é corintiano\u201d seja 
uma proposição falsa.
Deduzindo a lógica da resposta
\uf0a7 Dedução: raciocínio que parte de uma 
proposição geral para uma proposição 
particular.
\uf0a7 Frege, Russell e Wittgenstein pensaram 
na linguagem significativa em termos da 
lógica. Sobre dois princípios da lógica, 
denominados de Princípio do Terceiro 
Excluído e Princípio da Não Contradição
Conectivos