A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
30 pág.
2016 14 Maria Bethania 03 10 16 FINALIZADO 1

Pré-visualização | Página 2 de 7

process of combating obesity, since it gives the patient a better 
understanding of its contents and psychological issues. It was also observed that pre 
psychological assessment BS is a field in full expansion, which needs further studies and 
research that will contribute greatly to the development of work in this area. 
 
 
Keywords: obesity, bariatric surgery, psychological assessment, cognitive behavioral therapy 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
SUMÁRIO 
 
 
1 INTRODUÇÃO .............................................................................................................. 10 
2 OBJETIVOS......................................................................................................................10 
3 METODOLOGIA ............................................................................................................. 13 
4 RESULTADOS.................................................................................................................14 
4.1 Obesidade.........................................................................................................................15 
4.2 Cirurgia Bariátrica.........................................................................................................15 
4.3 Avaliação Psicológica......................................................................................................18 
5 DISCUSSÃO ....................................................................................................................25 
6 CONSIDERAÇÕES FINAIS.........................................................................................26 
7 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS............................................................................27 
 
10 
 
1 INTRODUÇÃO 
 
Ao longo da historia a obesidade foi interpretada de diferentes formas nas diversas 
épocas da humanidade, refletindo os valores culturais e científicos de cada momento 
histórico. 
Como exemplo disso podemos citar as modelos com formas arredondadas que serviam 
de inspiração aos pintores da renascença, em contraste ao modelo de beleza extremamente 
magro da atualidade que vemos circular pelas passarelas mundo a fora. Apesar da importância 
dos valores culturais, a obesidade está relacionada a uma gama de patologias que faz com que, 
atualmente, seja considerada uma importante doença nutricional. 
A obesidade é considerada uma doença crônica, caracterizada pelo acúmulo excessivo 
de gordura. Na Classificação Internacional de Doenças – 10ª edição (CID-10) ela é 
considerada uma entidade nosológica clínica inserida no capítulo IV das Doenças Endócrinas, 
Nutricionais e Metabólicas descrita sob a sigla CID10 – E66. Obesidade (ABESO apud CID 
10, 2007). 
De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) a obesidade é hoje um dos 
maiores problemas de saúde pública no mundo. A projeção é que, em 2025, cerca de 2,3 
bilhões de adultos estejam com sobrepeso; e mais de 700 milhões, obesos , No Brasil dados 
do Ministério da Saúde (2013) revelam que 51% da população está acima do peso (ABESO, 
2016). 
Para França (2014) o principal meio utilizado de avaliação da obesidade é o cálculo do 
Índice de Massa Corporal (IMC). Sua fórmula consiste na divisão do peso em quilogramas 
pela altura em metros do indivíduo ao quadrado. De acordo com esse cálculo, existem as 
seguintes classificações, propostas pela Organização Mundial de Saúde de peso em adultos: 
quando o resultado obtido é de até 18,49kg/m² considera-se baixo peso. Entre 18,5 e 
24,99kg/m² o peso é tido como normal (considerado saudável); o resultado maior que 25 
indica sobrepeso, sendo entre 25 e 29,99kg/m² é considerado pré-obesidade. Resultado maior 
que 30kg/m² indica obesidade, dividido da seguinte forma: entre 30 e 34,99kg/m² obesidade 
de grau I, 35 e 39,99kg/m² obesidade de grau II e igual ou maior que 40kg/m² obesidade de 
grau III (ou obesidade mórbida) 
O coeficiente encontrado da relação entre as medidas de circunferência da cintura e do 
quadril (conhecido como RQC - Razão Cintura - Quadril) é outro indicador também muito 
utilizado para avaliação da obesidade. Seu resultado é obtido através da divisão da 
11 
 
circunferência da cintura pela circunferência do quadril. O risco de doenças é maior quando o 
número obtido atinge valor superior a 0,95 para homens e 0,85 para mulheres ( FRANÇA, 
2014 apud NIEMAM, 1998). 
Tratar a obesidade mórbida tem se mostrado um desafio aos profissionais da área de 
saúde. A abordagem clínica, tanto a medicamentosa quanto a não medicamentosa não tem se 
mostrado um meio eficaz de diminuição e manutenção do peso para casos de pessoas obesas 
mórbidas. Segundo Shiraga (2006), 98% dos pacientes que têm obesidade mórbida não 
alcançam sucesso em seu tratamento clínico. 
Desta maneira, a Cirurgia Bariátrica (CB) aparece como alternativa de forma eficaz e 
duradoura para a redução do peso e melhora geral da saúde. 
Conforme o Ministério da Saúde, por ser um tratamento invasivo, a (CB) possui 
critérios de inclusão e exclusão. A seleção dos pacientes no pré-operatório deve conter uma 
análise abrangente de múltiplos aspectos do doente, necessitando assim ser realizada por uma 
equipe multidisciplinar composta por endocrinologistas, nutricionistas, cardiologistas, 
pneumologistas, psiquiatras, psicólogos e cirurgiões (MINISTÉRIO DA SAÚDE,2016). 
O Ministério da Saúde regulamentou a composição das equipes para a realização do 
tratamento da obesidade, incluindo a participação do psicólogo em 29 de fevereiro de 2000, 
através da portaria GM/MS nº 196. Após essa data, muitas outras portarias reforçaram a 
importância da avaliação psicológica. Por meio da resolução nº 1.766/05 publicada no Diário 
Oficial,em 11 de julho de 2005, o Conselho Federal de Medicina instituiu oficialmente a 
presença obrigatória dos psicólogos nas equipes de cirurgia bariátrica (MINISTÉRIO DA 
SAÚDE, 2016). 
Sendo hoje a obesidade um grave problema de saúde pública em nível mundial, e em 
virtude do aumento considerável deste tipo de cirurgia no país nos últimos anos; torna-se 
importante pesquisar a avaliação psicológica dos pacientes (que serão submetidos a este tipo 
de cirurgia) e as técnicas da Terapia Cognitivo Comportamental (TCC) que atualmente são 
utilizadas neste processo. 
Neste cenário a avaliação psicológica possui fundamental importância, a fim de 
identificar, ainda no período pré-operatório, fatores psicológicos e comportamentais que 
possam de alguma forma influenciar no sucesso da perda de peso no período pós-cirúrgico. 
Possibilita verificar nos repertórios afetivo e cognitivo do paciente os recursos para lidar com 
as mudanças causadas pelo procedimento e pelo emagrecimento acelerado. 
(BENEDETTO,2009) 
12 
 
A afirmação de que a obesidade se assume como um problema de saúde publica nos 
países desenvolvidos decorre da sua prevalência, dos riscos que se lhe associam, da sua 
condição crônica e da comorbidade com outras condições físicas (como sejam a apneia do 
sono ou doenças cardiovasculares) e psicológicas (como depressão ou outras perturbações do 
humor, ou perturbações do espectro da ansiedade) (FANDINO, BECHIMOL, COUTINHO & 
APPOLINARIO, 2004). 
Originalmente nascida como uma psicoterapia breve, estruturada e orientada ao 
presente, a Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) foi desenvolvida por Aaron T. Beck no 
início de 1960, na Universidade da Pensilvânia, para tratamento da depressão. Desde então, 
tem sido desenvolvida e aplicada em muitos transtornos psiquiátricos, para as mais diversas 
populações e contextos, tendo como base a modificação de pensamentos e crenças 
disfuncionais para a resolução

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.