Distúrbios do movimento
35 pág.

Distúrbios do movimento


DisciplinaPrincípios em Fisiatria12 materiais29 seguidores
Pré-visualização2 páginas
*
*
Elaborado por Ernane Magalhães e Fernanda Quintela
*
*
Distúrbios do movimento
Principais distúrbios do movimento hipercinéticos;
 Tremor essencial
 Distonias
 Coréia
 Balismo
 Tiques
 Mioclonias
 Acatisia
 Atetose
*
*
Tremor essencial
	 Definição: Movimentos involuntários rítmicos, oscilantes, de qualquer parte do corpo, causados por contrações alternadas de grupos musculares sendo bilateral, geralmente simétrico e nítido. É considerado uma doença monossintomática, de disfunção cerebelar, sendo uma disfunção neurológica que interfere na coordenação motora.
Tremor de repouso
Tremor de ação
Tremor postural
Tremor leve: Comprometimento social, e não físico;
Grande amplitude: Incapacidade.
*
*
Tremor essencial
	Epidemiologia: 
 A prevalência na população oscila entre 0,4 e 4% e entre 0,1 e 22%;
 Em cerca de 90 a 99% dos casos, o tremor é de baixa amplitude não interferindo tanto na realização das tarefas;
 Prevalência igualitária entre os sexos;
 
 Início precoce pode estar associado aos casos de família e que aproximadamente 50% dos casos são familiais;
 Esporádico. 
*
*
Tremor essencial
	Manifestações clínicas:
 Tremor de alta frequencia (até 11 Hz);
 Afeta predominantemente os membros superiores;
 Mais evidente quando tenta manter-se numa postura ou realizar uma ação;
 Bilateral e simétrico, mas um dos lados podem ser afetados de maneira predominante;
 Pode envolver a cabeça (horizontal ou vertical);
 A fala pode ser trêmula;
 Melhorar com a ingestão de álcool;
 Piora com o estresse;
*
*
Tremor essencial
	Causas:
 Distúrbio autossômico dominante com penetrância variável;
 Fatores que podem estar relacionados a exacerbação do tremor:
 Substâncias estimulantes (exemplo: cigarro e café, etc)
 Medicamentos (exemplos: fluoxetina, nifedipina, etc)
 Ansiedade
 Hipertireoidismo
*
*
Tremor essencial
	Diagnóstico clínico: 
 As alterações na extremidade superior geralmente baseiam-se em movimentos de pronação-supinação e extensão-flexão;
 Início ocorre discretamente na vida adulta, sendo visível em situações de nervosismo, mas depois torna-se permanente com amplitude flutuante;
 Características leves de parkinsonismo quando em situação mais avançada;
 Piorar com: agitação, raiva, cansaço, ansiedade, medo, extremos de temperatura, uso de medicamentos;
 Convém relatar que há basicamente dois tipos de tremores:     - Tremor anormal (patológico) \u2013 8 a 13Hz \u2013 ativ. mecânica do coração. Ansiedade, drogas, retirada do alcool, hipertireoidismo, hipoglicemia e exercícios.
 -Tremor normal (fisiológico) \u2013 4 a 7 Hz \u2013 extremidades dos membros, cabeça e língua.
	
*
*
Tremor essencial
	Diagnóstico diferencial:
 Por não raramente ser confundido é necessário diagnóstico diferencial entre o tremor essencial e a doença de Parkinson. 
	
*
*
Tremor essencial
	Tratamento:
 Drogas que atuem na redução do tremor:
 Beta- Bloqueadores;
 Primidona;
 Fenobarbital;
 Benzodiazepínicos;
 Inibidores da anidrase carbônica;
 Gabapentina; 
 Toxina botulínica;
 Tratamento cirúrgico:
 Talamotomia;
 Estimulação cerebral profunda;
*
*
Distonias
	Definição: Grupo de doenças caracterizado por espasmos musculares involuntários persistentes ou repetitivos, que produzem movimentos e posturas anormais;
 Tipos de distonias:
Distonias focais: espasmos afetando uma pequena parte do corpo como os olhos, pescoço ou mão;
Distonias segmentares: duas partes vizinhas como o pescoço e um braço;
Hemidistonia: um lado inteiro do corpo;
Distonia generalizada: todo o corpo;
*
*
Distonias
	Epidemiologia:
300.000 casos nos EUA;
Brasil: 3,4 pessoas para cada 100 mil para distonias generalizadas(MS);
Brasil: 29,5 por 100.000 para distonias focais(MS);
	Etiopatogenia:
Na maioria das vezes, a causa não é conhecida;
Acredita-se que seja resultado de uma disfunção de uma parte do cérebro conhecida como núcleos da base;
	Diagnóstico:
É baseado em manifestações clínicas;
*
*
Distonias focais
São as formas mais comuns de distonias;
Início entre a 4ª e 6ª décadas de vida;
Acomete mais mulheres;
Os principais tipos são:
Blefarospamo: contrações distônicas das pálpebras com aumento do piscar;
Distonia oromandibular: contrações dos músculos da parte inferior da face, lábios, língua e mandíbula;
Disfonia espasmódica: contrações distônicas das cordas vocais durante a fonação, prejudicando a fala;
Distonia cervical: contrações distônicas dos músculos do pescoço;
Distonias dos membros: podem acometer os braços ou pernas;
*
*
Distonias
Blefarospamo
Distonia cervical
Distonia oromandibular
Disfonia espasmódica
Distonias dos membros
*
*
Distonias
		Tratamento: 
É na maioria das vezes sintomático;
Distonia na infância: instituir prova terapêutica com levodopa;
Distonia focal: usar toxina botulínica;
Cirúrgico: estimulação cerebral profunda( ECP);
Medidas adjuvantes: fisioterapia;
*
*
Coréia
	 Definição:
 Tem de início abrupto, explosivo, de curta duração, repetindo-se com intensidade variável, caráter migratório e errático - dança ondulante.
 Degeneração geneticamente programada das células do cérebro, manifestando-se nas células do gânglio basal especialmente os neurônios estriados de núcleo caudado.  Outra parte do cérebro que também é afetada é o córtex, que controla o pensamento, a percepção e a memória. Relaciona-se ao desequilíbrio entre a atividade dopaminérgica (aumentada) e a colinérgica (reduzida) por comprometimento patológico desta última. 
 Ocorrem especialmente nas extremidades (mãos e antebraços principalmente) e na face. 
*
*
Coréia
 Coréia de Sydenhan: 
Conceito: 
	Coréia menor ou Coréia reumática: acomete mais crianças sendo dependente de processo infeccioso - febre reumática.
Epidemiologia:
- Incide habitualmente na infância e adolescência (5 a 15 anos);
 Mais no sexo feminino (3:1);
 Surge em associação com exposição prévia a infecção estreptocócica do grupo A;
 Advêm de um distúrbio inflamatório auto-imune.
*
*
Coréia
 Coréia de Sydenham:
	Manifestações clínicas:
Início agudo de movimentos coreiformes, perturbações do comportamento, movimentos anormais de grande amplitude, predominantemente nas grandes articulações, afetando a mímica e outros grupos de inervação craniana, hipotonia ou atonia, labilidade emocional. Pode levar a disartria e até disfagia cronicamente. A mão pode estar pronada ao exame físico.
 A marcha torna-se dificultada e até impossível, assim como atos corriqueiros. Tais movimentos "parasitas" acentuam-se pelos movimentos voluntários e emoção, desaparecendo durante o sono.
 A evolução costuma ser favorável, sendo as repetições cíclicas do quadro uma complicação temível mas freqüente.
*
*
Coréia
 Coréia de Sydenham:
	 - Exames complementares : testes para febre reumática
 
	 - Tratamento: Controle da coréia - repouso
 Manifestações reumáticas - corticoterapia
 Controle profilático - antibióticoterapia
*
*
Coréia
 Coréia de Huntington:
	Conceito: Doença rara, com características autossômicas dominantes manifestando-se como degeneração progressiva dos neurônios do córtex e gânglios da base. Caracterizada por alterações psiquiátricas, cognitivas e motoras progressivas. 
	
*
*
Coréia
 Coréia de Huntington:
	Epidemiologia: 
Afeta 0,003 a 0,007% de indivíduo;
Mais freqüente em brancos;
Igualmente em homens e mulheres;
Transmissão familiar dominante;
Sintomas aparecem dos 25 aos 60 anos - antecipação;
 Desenvolve-se lentamente, provocando uma degeneração progressiva do cérebro;
 Na fase final leva à morte, 10-15 anos.
	
*
*
Coréia
 Coréia de Huntington:
	Manifestações clínicas: