A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
311 pág.
banco de questões de história

Pré-visualização | Página 39 de 50

04 + 08 + 16 = 31
21. e
22. d
23. a) Tanto Cuba como o Brasil constituíram-se como colônias, integrantes do antigo siste-
ma colonial da época mercantilista, cuja finalidade era complementar a economia da
metrópole sob o regime de monopólios.
b) No período da colonização predominou a agroindústria do açúcar.
c) De uma maneira geral, a condição social dos negros depois do fim da escravidão foi de
marginalização econômica, social e política. A chegada e a incorporação dos imigran-
tes europeus no mercado de trabalho acentuaram os contrastes de desigualdade e mar-
ginalização.
24. a
25. a
26. 01 + 02 + 08 + 32 = 43
27. d
28. d
29. 01 + 02 + 16 = 19
30. b
31. b
32. a
33. a
34. 08 + 16 = 24
35. a
36. d
37. d
H IS T Ó R IA
G
A
B
A
R
IT
O
2
IM
PR
IM
IR
HISTÓRIA - A primeira etapa do período colonialVoltar Avançar
38. c
39. a
40. 02 + 04 + 16 = 22
41. a
42. V – F – F – V – F
43. C
44. d
45. a) A coroa portuguesa desejava povoar e colonizar o Brasil sem dispor de grandes inves-
timentos de capital e, para tal, a colonização ficou a cargo de particulares.
b) – Falta de investimentos financeiros por parte da coroa na colônia.
– os constantes ataques indígenas aos povoados
– grande extensão territorial das capitanias
46. A desigualdade na concentração de renda e recursos naturais (sobretudo a terra).
47. c
48. a
49. – Difusão da fé católica.
– Proteção de indígenas frente aos sistemas de trabalho compulsório impostos pelo colo-
nizador.
50. a) Haviam dois tipos de atividades comerciais: o comércio interno, especialmente entre
setores de economia de subsistência e os centros produtores de bens destinados ao
exterior (açúcar e mineração, por exemplo) e, o mais importante, o comércio externo. A
Colônia, deveria complementar a economia da Metrópole, seja como mercado consu-
midor, seja como mercado fornecedor de matérias primas.
b) Os proprietários de terras e de escravos, além daqueles que se beneficiavam das ativida-
des mineradoras.
51. c
52. a) O objetivo principal era superar os limites e dificuldades enfretados pela economia
portuguesa em particular, e pela européia em geral; os preços altos dos produtos orien-
tais e as escassez de metais preciosos.
b) A expansão marítima portuguesa revestia-se do caráter de Cruzada ao ir de encontro ao
infiel muçulmano. Assumia um caráter missionário ao ir de encontro daqueles que eram
vistos como pagãos, como os indígenas de Vera Cruz.
53. a
54. a) – Separação entre o norte e o sul da colônia.
– Centralização e fortalecimento do poder metropolitano.
b) A concorrência do açúcar Antilhano.
55. F – V – V – F – V
56. b
57. F – V – V – F – V
58. b
59. e
60. 03
61. e
62. E – C – C – C
63. a
64. C – E – E – C
65. 15
66. E – C – C – C
67. d
68. 11
69. V – V – V – F
70. b
71. 06
G
A
B
A
R
IT
O
HISTÓRIA - A segunda etapa do período colonial
IM
PR
IM
IR
Voltar
GA
BA
RI
TO
Avançar
1
1. UFBA
“Tido como um dos mais brutais caçadores de índios, o bandeirante paulista Domingos Jorge
Velho foi o precursor da exploração e conquista do Piauí. Nascido na vila de Parnaíba, São Paulo,
em 1614, ele estava no Nordeste, em 1670, quando foi convocado para esmagar os índios da
região do São Francisco, acusados de atacarem as fazendas de criação de gado naquela área. A
atividade também atraía o bandeirante, que chegou a ter uma fazenda de gado no oeste de
Pernambuco, onde fundou a povoação de Sobrado. Entre 1674 e 1680, explorou o Piauí, o Mara-
nhão e o Ceará. Foi a partir dessa expedição que começou a ocupação do Piauí.”
Brasil 500 Anos, p. 204.
Com base na análise do texto e nos conhecimentos sobre a expansão territorial brasileira
pode-se afirmar:
01. O texto indica uma das formas de desbravamento, ocupação e expansão territorial
utilizadas pelos colonizadores à época do Brasil Colonial.
02. A ação de “esmagar índios” foi julgada legítima no Brasil Colonial, sobretudo em
épocas de crise no tráfico negreiro e em regiões onde não havia disponibilidade de
recursos para a compra de escravos africanos.
04. A violência contra o índio, sugerida no texto, foi um dos fatores preponderantes para
o extermínio de nações indígenas inteiras, do que resultou a baixa densidade dessas
populações no Brasil atual.
08. A expansão da pecuária constituiu fator de destaque para a ocupação e o povoamen-
to do interior das Capitanias do Maranhão, Piauí e Ceará, ao contrário do litoral
dessas regiões, ocupado militarmente, por necessidade de defesa.
16. A ação bandeirante a que se refere o texto, além de estar relacionada ao apresamento
de índios, voltou-se também para o combate à resistência negra, sobretudo quando
organizada sob a forma de quilombos.
32. A Capitania de São Vicente, local de origem do referido bandeirante, destacou-se na econo-
mia colonial por abrigar, no seu território, as principais minas de prata e de diamantes.
Dê, como resposta, a soma das alternativas corretas.
2. UFMG Entre fins do século XVII e o início do século XVIII, as contradições entre os inte-
resses metropolitanos e coloniais se manifestaram de diversas formas no Brasil, especialmen-
te nas chamadas rebeliões anticolonialistas. Sobre essas rebeliões, é correto afirmar que:
a) enquanto a Revolta de Beckman e a Guerra dos Mascates expressavam o conflito de
interesses entre os comerciantes brasileiros e a Coroa portuguesa, devido ao aumento
das taxas e impostos cobrados, a Revolta de Vila Rica se dirigia contra a perda de
poder local acarretada pela extinção das Câmaras Municipais;
b) foram movimentos de caráter popular, influenciados pelos ideais iluministas, e propu-
nham a emancipação política da colônia, o combate ao monopólio mercantilista e o
fim da escravidão indígena;
c) podem ser entendidas como resultado da reformulação da política colonial portugue-
sa, a partir de meados do século XVII, quando foi intensificada a exploração da colô-
nia, garantindo a transferência de boa parte da renda colonial para a metrópole;
d) a desagregação política e administrativa provocada pela União Ibérica e pelo domínio
holandês no Nordeste enfraqueceu os laços entre metrópole e colônia, provocando o
surgimento das rebeliões anticolonialistas, que lutavam contra a influência espanhola
e o domínio holandês.
A S E G UND A E T A PA D O
P E R ÍO D O C O L O NIA L
H IS T Ó R IA
HISTÓRIA - A segunda etapa do período colonial
IM
PR
IM
IR
Voltar
GA
BA
RI
TO
Avançar
2
3. U.F. Pelotas-RS O mapa abaixo apresenta a economia brasileira em um determinado
período:
NIZZA DA SILVA, Maria Beatriz. Nova História da Expansão Portuguesa. Lisboa: Ed. Estampa, 1986.
Nele estão representadas as atividades econômicas do século:
a) XVI, que apresenta exploração de pau-brasil, no litoral, e das drogas do sertão, na
região amazônica, assim como a ocupação do interior brasileiro pelas atividades de
mineração e pecuária;
b) XVIII, que já demonstra atividades de mineração, no Centro-Oeste brasileiro, e de
pecuária, na zona nordeste do Rio Grande do Sul. Não pode ser de século posterior,
por não indicar atividade cafeicultora;
c) XVII, que apresenta importações/exportações, antes proibidas na colônia, devido ao
monopólio comercial;
d) XIX, em que, no Brasil Império, a economia tinha por base a cafeicultura voltada para
a exportação;
e) XX, no qual a exportação de pau-brasil é preponderante na economia brasileira e se
verifica a existência de áreas industriais, destacadas no mapa.
4. FUVEST-SP O barroco no Brasil foi
a) uma manifestação artística de caráter religioso limitada às regiões de mineração.
b) uma expressão artística de origem européia reelaborada e adaptada às condições locais.
c) um estilo original na pintura, mantendo a tradição manuelina nas edificações.
d) uma criação artística popular predominante em todo o Brasil colônia