Patologia
3 pág.

Patologia


Disciplina<strong>patoloagia</strong>7 materiais1 seguidores
Pré-visualização1 página
PATOLOGIA (conceitos básicos) 
 
 Patologia é o estudo da doença, dessa forma, patologia geral é o estudo dos 
aspectos comuns às diferentes doenças. 
Adaptação é a capacidade do organismo de produzir uma resposta para entrar 
em equilíbrio. Quando falta o equilíbrio, se instala a doença. 
 
Os elementos de uma doença são: 
\u2022 etiologia ou agente etiológico 
\u2022 patogenia 
\u2022 alterações morfológicas (anatomia patológica) 
\u2022 alterações funcionais 
\u2022 sinais e sintomas 
\u2022 diagnóstico 
\u2022 prognóstico 
\u2022 tratamento 
\u2022 A etiologia ou agente etiológico, é a causa da doença. Pode ser 
intrínseco, como por exemplo, sistema imunológico e genética ou 
extrínseco, como microorganismos, objetos cortantes etc. Perceba que o 
agente etiológico não precisa ser necessariamente um microorganismo. 
A patogenia é o mecanismo pelo qual a doença se manifesta, ou seja, 
expressa o modo pelo qual um agente patogênico, promove agressão a 
um organismo. As alterações morfológicas podem ser microscópicas ou 
macroscópicas. Os sinais,a nível clínico,significa que através da auscuta 
pulmonar, pressão arterial, temperatura corpórea o profissional de 
saúde consegue detectar problemas físicos.Os sintomas são descritos 
pelo paciente,no momento da anamnese. Diagnóstico, em medicina é a 
conclusão que se chega após um processo analítico de que se vale o 
especialista ao exame de uma doença ou de um quadro clínico. O 
prognóstico é a perspectiva do desenvolvimento da doença, ou seja, o 
que se espera dela. Pode ser favorável, reservado ou desfavorável. 
\u2022 Vimos então que um processo patológico é um conjunto de alterações 
moleculares, morfológicas e ou funcionais que surgem nos tecidos após 
às agressões. 
\u2022 O agente etiológico pode agir direta ou indiretamente, Agindo 
diretamente causa a lesão (ex: objeto cortante), já indiretamente, pode 
permitir que o organismo se adapte a ele e se não houver adaptação 
ocorre a lesão. A lesão pode ser reversível (retirando o agente 
etiológico, a célula volta ao normal) ou irreversível (morte da célula). 
\u2022 A hipóxia é caracterizada pela baixa quantidade de oxigênio, um bom 
exemplo disso é a anemia. A anóxia é a ausência de oxigênio, um 
exemplo é o AVC causado por um ateroma (placa de gordura que se 
instala nas artérias), causando isquemia (bloqueio da passagem de 
sangue). 
\u2022 Exemplos de agentes etiológicos: 
\u2022 privação de oxigênio 
\u2022 agentes físicos 
\u2022 agentes infecciosos 
\u2022 agentes químicos 
\u2022 reação imunológica 
\u2022 alterações genéticas 
\u2022 desequilíbrios nutricionais 
 
\u2022 OBSERVAÇÕES: 
\u2022 A resposta celular a estímulos nocivos depende do tipo da lesão, sua 
duração e sua intensidade. 
 
\u2022 As consequências das lesões celulares dependem do tipo, estado e 
adaptabilidade da célula lesada (é diferente uma lesão na pele de uma 
no cérebro por exemplo). 
 
\u2022 As inter-relações entre os elementos estruturais e bioquímicos da célula, 
fazem com que a lesão produza efeitos secundários. 
 
\u2022 Sistemas intracelulares vulneráveis: 
\u2022 Respiração aeróbica (ATP) 
\u2022 Síntese de proteínas 
\u2022 Preservação da integridade genética da célula