A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Karl Marx - Contexto e Conceitos - Apresentação

Pré-visualização | Página 1 de 1

KARL MARX
CONTEXTO
E
CONCEITOS
QUEM FOI
	Foi filósofo e economista alemão, ideólogo do comunismo científico e organizador do movimento proletário internacional.
	Nasceu em Treves em 5 de maio de 1818. Filho de um advogado judeu convertido ao protestantismo.
	Cursou as Universidades de Bonn e Berlim, onde estudou Direito, dedicando-se especialmente à história e à filosofia.
TRAJETÓRIA
	Em Berlim ingressou no grupo chamado “hegelianos de esquerda”, que interpretava as idéias de Hegel do ponto de vista revolucionário.
	– Não se limitando aos estudos teóricos, desenvolveu, durante toda a sua vida, intensa atividade política, elaborando a doutrina do socialismo.
INFLUÊNCIAS
	Herdeiro do Iluminismo: razão como intrumento de compreensão da realidade mas também de sua transformação
	Dialética de Georg Wilhelm Friedrich Hegel (1770 — 1831): a realidade histórica é resultado de um movimento constante de auto-superação desencadeado por suas contradições e conflitos que lhes são inerentes.
	Socialistas ingleses e franceses (Owen, Fourrier, Saint-Simon)
INFLUÊNCIAS
	Ludwig Feuerbach (1804-18720) - Hegeliano que formula a crítica à alienação religiosa. Mas não rompe com a religião em si: propunha uma religião da humanidade, na qual o homem seria Deus para o homem.
	Marx avança na crítica à religião, aliando à dialética o materialismo: O materialismo dialético é a base do pensamento marxista
TEORIA MARXISTA
MAS QUAL ERA 
A GRANDE 
PERGUNTA 
POR TRÁS
DESSA TEORIA
?
Durkheim se perguntava sobre o que mantinha coesa a sociedade
LEMBRAM?
Marx se perguntava sobre a 
transformação 
da sociedade
HISTÓRIA E TRANSFORMAÇÃO
Marx encontra na DIALÉTICA
e no
MATERIALISMO
a base filosófica
para entender a
transformação da sociedade: 
a CONTRADIÇÃO é o motor da históra
LUTA DE CLASSES
um conceito fundamental
Para Marx não há harmonia entre os grupos que formam a sociedade. Eles estão sempre em confronto. A sociedade é o campo de luta.
“A histórias de todas as sociedades que 
existiram é a história da luta de classes” (Manifesto comunista)
Materialismo Histórico
Marx desenvolve uma teoria capaz de explicar a sociedade (estrutura e transformação) a partir de sua base material (a produção) e as relações sociais estabelecidas em função dela.
E para tanto cria alguns conceitos básicos:
*trabalho
*alienação
*forças produtivas
*relações sociais de produçãp
			O trabalho
		
A história da humanidade é a história das relações dos homens entre si e dos homens com a natureza.
Nesses dois tipos de relação há um elemento intermediário: o trabalho.
Trabalho como intermediário da relação do homem com a natureza: as forças produtivas.
Trabalho como intermediário da relação dos homens entre si: a organização da produção: a divisão do trabalho (as relações sociais).
Alienação
Alienação, para Marx, tem um sentido negativo (em Hegel, é algo positivo) em que o trabalho, ao invés de realizar o homem, o escraviza; ao invés de humanizá-lo, o desumaniza. O homem troca o verbo SER pelo TER: sua vida passa a medir-se pelo que ele possui, não pelo que ele é. Isso parece familiar? Pois é, vamos ver os detalhes.
http://educacao.uol.com.br/filosofia/marx---alienacao-do-espirito-absoluto-de-hegel-a-realidade-concreta.jhtm
FORÇAS PRODUTIVAS 
É a “produção num estádio determinado de desenvolvimento social (..) é a produção dos indivíduos vivendo em sociedade” . Corresponde à ação dos homens sobre a natureza, buscando apreender o modo como são obtidos “os bens de que necessitam por meio da tecnologia, da divisão técnica do trabalho, dos processos de produção, dos tipos de cooperação, da qualidade dos seus instrumentos, das matérias-primas que conhecem ou de que dispõem, de suas habilidades e saberes”
RELAÇÕES SOCIAIS DE PRODUÇÃO:
Correspondem às “diferentes formas de organização da produção e distribuição, de posse e propriedade dos meios de produção, bem como em suas garantias legais, constituindo-se, dessa forma, no substrato para a estruturação das classes sociais”. (idem, 73) 
FORÇAS PRODUTIVAS
instrumentos e habilidades que possibilitam o controle das condições naturais
Objetos(matéria-prima)
Instrumentos (ferramentas)
Homem (trabalhador) 
RELAÇÕES SOCIAIS DE PRODUÇÃO
forma como os homens se organizam socialmente para produzir 
MODO DE PRODUÇÃO
Forma como as forças produtivas e as 
relações de produção existem e são 
reproduzidas numa sociedade
MODO DE PRODUÇÃO
Comunismo primitivo,
Modo de produção escravista (variações da antiguidade e modo de produção asiático)
Feudalismo,
Capitalismo,
Socialismo,
Comunismo.
REVOLUÇÃO
O crescimento das forças produtivas, leva a uma mudança no modo de produção 
Paralelamente o crescimentodas contradições sociais, o acirramento da luta de classes leva à REVOLUÇÃO
ENGELS: UM PARCEIRO
Marx e Engels (1820-1895) enunciam os princípios de uma educação pública e socialista;
Realizam uma análise sistemática da escola e da educação. à Suas idéias a esse respeito encontram-se disseminadas ao longo de vários de seus trabalhos (a problemática educativa foi colocada de modo ocasional, fragmentário, mas sempre no contexto da crítica das relações sociais e das linhas mestras de sua modificação);
Contribuições do Marxismo para a educação:
	Esclarecimento e compreensão da totalidade social, de que a educação é parte, incluindo as relações de determinação e influência que ela recebe da estrutura econômica.
	Para ele, a educação do futuro deveria nascer do sistema fabril, associando-se o trabalho produtivo com a escolaridade e a ginástica. Essa educação se constituiria no método para produzir seres humanos integralmente desenvolvidos.
	A transformação educativa deveria ocorrer paralelamente à revolução social. Para o desenvolvimento total do homem e a mudança das relações sociais, a educação deveria acompanhar e acelerar esse movimento, mas não se encarregar exclusivamente de desencadeá-lo, nem de fazê-lo triunfar.