A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
40 pág.
Supervisao PPAP 3 Slide

Pré-visualização | Página 1 de 3

Profa. Sueli Barberio
UNIDADE III
Projetos e Práticas de
Ação Pedagógica –
Supervisão Escolar e
Orientação Educacional
 Nesta Unidade vamos apresentar um Estudo de Caso e construir um Projeto de 
Intervenção Pedagógica que requer ações da Orientação Educacional.
Projeto de Intervenção Pedagógica
 Uma escola pública municipal, localizada na periferia de uma grande capital, com 
1.200 alunos matriculados em dois turnos de funcionamento, com o corpo 
docente composto, em sua maioria, por profissionais efetivos, sendo os alunos 
pertencentes a segmentos populares, apresenta um histórico de violência e 
indisciplina. Os alunos do Ensino Fundamental, do 5º ao 9º ano, com idade 
aproximada entre 10 e 15 anos, têm dificuldades em seguir as normas 
administrativas e pedagógicas da escola, assim como as relações interpessoais 
entre alunos / alunos, alunos / professores / equipe escolar são 
bastante conturbadas. 
Estudo de Caso
Diante dessa situação, o Orientador Educacional questiona:
 Que olhares projetamos sobre os alunos e os professores?
 Com que imagens os representamos?
 Que imagens carregamos da infância, da adolescência e da juventude?
 As relações interpessoais afetam o bom desempenho do processo 
ensino-aprendizagem?
 Quais as realidades, anseios e necessidades de cada elemento da 
equipe escolar?
Estudo de Caso
 A indisciplina e as relações pessoais geram violência?
 Vivenciar essas inseguranças pode ser positivamente “amedrontador”?
 Como intervir para reverter esta situação?
 Surge, então, nessa escola, o desenvolvimento do Projeto de Intervenção 
Pedagógica com a coordenação do Orientador Educacional.
Estudo de Caso
 A partir do caso citado, vamos desenvolver as atividades solicitadas para o 
Projeto de Intervenção Pedagógica, com foco nas ações desenvolvidas pela 
Orientação Educacional. 
Projeto de Intervenção Pedagógica
 Slide 1: Título
 “Indisciplina, Relação e Violência escolar: a intervenção do 
Orientador Educacional”.
Projeto de Intervenção Pedagógica 
Atividade 1 – Painel 
 Slide 2: Tema / Justificativa / Situação-problema 
 Tema: Violência na Escola. 
 Justificativa: A motivação para o estudo da violência no 
ambiente escolar surgiu no período de realização de 
estágios em escola do Ensino Fundamental, pois 
observamos e vivenciamos situações disciplinares 
difíceis de serem solucionadas. As dificuldades das 
relações interpessoais entre docentes, discentes e 
equipe pedagógica afetam consideravelmente o processo 
ensino-aprendizagem. Outro fator determinante é a falta 
de proximidade das famílias com a escola.
Atividade 1 – Painel 
 Slide 2: Tema / Justificativa / Situação-problema
 Situação-problema: Em que medida a violência escolar não seria o elemento 
revelador de situações, uma porta de acesso privilegiada para uma análise mais 
densa do próprio sentido da escola no mundo contemporâneo? 
 Qual é o lugar ocupado pela instituição escolar no processo de socialização de 
crianças e adolescentes?
 De que forma o Orientador Educacional poderá intervir 
nas relações entre docentes, discentes e equipe escolar 
para um trabalho coletivo?
Atividade 1 – Painel 
 Slide 3: Público-alvo / Objetivos
 Público-alvo: alunos, professores, equipe pedagógica, administrativa, 
famílias, comunidade. 
 Objetivos: Geral - identificar os fatores capazes de produzir a disciplina e 
minimizar a violência, bem como obter mais clareza sobre os processos por meio 
dos quais essa ordem pode ser produzida.
 Específicos - desenvolver ações e intervenções pedagógicas que propiciam a 
transformação de uma instituição escolar; 
 atentar-se às necessidades dos diferentes segmentos 
escolares, considerando a diversidade;
 comprometer-se com a busca de melhores resultados do 
trabalho na escola;
 estabelecimento de ações mediadoras.
Atividade 1 – Painel 
Pensar a escola hoje nos traz lembranças da escola de outros tempos. O que cabe 
ao orientador nesse caso?
a) Fazer com que os professores voltem ao passado e repitam velhas ações.
b) Trazer a realidade dos alunos e incentivar que professores os vejam como 
sujeitos do processo ensino-aprendizagem.
c) Dar aos professores receitas estáticas, prontas, de como agir.
d) Promover reuniões para que os docentes concordem com seu ponto de vista.
e) Indicar um manual, a partir de sua concepção de 
mundo, para que os alunos comportem-se. 
Interatividade
 Slide 4: Percurso metodológico 
 diagnóstico da escola;
 coleta de dados; 
 entrevistas e dados documentais; 
 elaboração de questionários;
 abertura de espaços para a construção coletiva na escola;
 análise dos dados e propostas de ações.
Atividade 1 – Painel 
 Slide 5: Recursos / Cronograma 
 Recursos: sala de reunião, quadra poliesportiva, data show, textos diversos, 
filmes, palestrantes, etc.
 Cronograma: atividades coletivas semanais, como por exemplo, campeonato 
esportivo, dança, música, teatro, atividades culturais, comemorações cívicas e 
jogos diversos.
Atividade 1 – Painel 
 Slide 6: Produto final / Avaliação 
Produto final: 
 show de talentos com a participação dos alunos, professores e equipe escolar;
 apresentação de peças de teatro voltadas para as relações interpessoais;
 campeonato de jogos de damas e xadrez;
 campeonato de jogos de futebol, vôlei e queimada;
 showroom das atividades construídas em equipe.
Atividade 1 – Painel 
 Slide 6: Produto final / Avaliação 
 Avaliação: diagnóstica, processual e final;
 diálogo entre os participantes; 
 exposição de pontos negativos e positivos do projeto de intervenção; 
 observação da participação, do posicionamento, do interesse, dos 
questionamentos e da auto valorização dos participantes. 
Atividade 1 – Painel 
 Slide 6: Produto final / Avaliação 
 Interação e solidariedade para o trabalho coletivo.
Atividade 1 – Painel 
Fonte: https://www.emaze.com/@AFTTLWZQ/TALENTO-HUMANO
 Slide 7: Referências
 AQUINO, J. G. A indisciplina e a escola atual. Rev. Fac. Educ., São Paulo, v. 24, 
n. 2, 1999. Disponível em: 
<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-
25551998000200011&lng=pt&nrm=iso>. 
 MARTINS, J. P. Princípios e métodos de orientação educacional. São Paulo: 
Atlas, 1992.
Atividade 1 – Painel 
O Orientador Educacional, no desempenho das suas atividades na escola, observa 
e questiona diversas situações que podem contribuir para as questões de violência 
dos alunos na escola. Entre elas, podemos citar: 
a) indisciplina;
b) dificuldades nas relações interpessoais;
c) as imagens que fazemos de alunos e professores;
d) as necessidades e anseios de cada um;
e) todas as alternativas acima estão corretas.
Interatividade
 Item 1 – Tema: Violência na Escola. 
 Item 2 – Título: “Indisciplina, Relação e Violência escolar: a intervenção do OE”. 
 Item 3 - Justificativa: A motivação para o estudo da violência no ambiente 
escolar surgiu no período de realização de estágios em escola do Ensino 
Fundamental, pois observamos e vivenciamos situações disciplinares difíceis de 
serem solucionadas. As dificuldades das relações interpessoais entre docentes, 
discentes e equipe pedagógica afetam consideravelmente o 
processo ensino-aprendizagem. Outro fator determinante é 
a falta de proximidade das famílias com a escola.
Projeto de Intervenção Pedagógica 
Atividade 2 – Projeto Completo
Item 4 - Situação-problema:
 Em que medida a violência escolar não seria o elemento revelador de situações, 
uma porta de acesso privilegiada para uma análise mais densa do próprio sentido 
da escola no mundo contemporâneo? 
 Qual é o