A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
27 pág.
Psicologia da Aprendizagem - Parte 2 - Introdução à Psicologia da Aprendizagem

Pré-visualização | Página 1 de 2

Introdução à Psicologia da Aprendizagem
Âmbito e Pressupostos
O Desenvolvimento Humano
Introdução à Psicologia da Aprendizagem
Introdução à Psicologia da Aprendizagem
Pressupostos sobre a Teoria do Conhecimento
São ideias nas quais os psicólogos se apoiam para construir uma explicação sobre os processos de 
desenvolvimento e aprendizagem humanos.
No início da década de 1920
Um novo debate, no âmbito da Psicologia, em que investigadores da Suíça e da antiga União Soviética
procuraram elaborar um corpo teórico baseado em outras matrizes epistemológicas. Esses grupos,
liderados por Jean Piaget (1896-1980) e Lev Vygotsky (1896-1934), ancoraram-se nas posições kantianas
e passaram a construir uma visão do desenvolvimento humano baseada na ideia de que o conhecimento
é fruto de sucessivas interações com o meio social.
Diferentes conceções de Aprendizagem
INATISMO
Os teóricos adeptos dessa conceção acreditam que o indivíduo
humano já nasce equipado com capacidades básicas que se
vão desenvolver pela maturação das estruturas orgânicas.
Atribuem, portanto, um papel irrelevante ao meio ambiente no
processo de desenvolvimento do indivíduo. Acreditando que “o
homem já nasce pronto” este, por sua vez, é concebido como
um ser ativo, responsável pelo seu desenvolvimento, na
medida em que este, o desenvolvimento, é um processo
espontâneo que ocorre por uma aprendizagem natural, a qual
se dá de dentro para fora.
A aprendizagem, portanto, é um
processo natural, inato, que decorre
da maturação das estruturas
orgânicas, a qual coloca à disposição
do indivíduo suas capacidades básicas,
também inatas; e é também um
processo Intra-subjetivo, dependendo
mais do sujeito em si do que do meio
externo a ele.
Introdução à Psicologia da Aprendizagem
Introdução à Psicologia da Aprendizagem
AMBIENTALISMO OU EMPIRISMO
Esta conceção, derivada da corrente filosófica empirista que valoriza a experiência sensorial como
fonte de conhecimento, contrapõe-se à visão inatista por acreditar que o desenvolvimento do
homem resulta das forças do ambiente que funcionam como estímulos para ele, e das experiências
que ele vive.
O homem é visto como “uma tábula rasa” que vai acumulando conhecimentos a partir das
sensações e das experiências que lhe ocorrem. A aprendizagem, assim, é concebida como um
processo de experiência e também como o resultado da experiência vivida pelo sujeito em seu
contato com o meio.
Esta conceção vai ser fortemente defendida e difundida pelo Behaviorismo.
Diferentes conceções de Aprendizagem
Introdução à Psicologia da Aprendizagem
INTERACIONISMO
Esta conceção gira em torno da ideia de que o indivíduo nasce com um potencial que vai lhe
possibilitar aprender novas realidades, na sua interação com o meio ambiente.
Assim, o desenvolvimento resulta da interação de fatores orgânicos e fatores ambientais; o homem é
fruto das forças socio-históricas e interage dialeticamente com o meio ambiente.
Esta visão pode ser percebida na teoria de Piaget e também na teoria de Vygotsky, ainda que cada
uma delas guarde suas diferenças particulares.
Diferentes conceções de Aprendizagem
Os pressupostos epistemológicos, construídos pela Filosofia, tornaram-se fontes que
alimentaram as diversas correntes da Psicologia. Encontramos seus correspondentes também
na Pedagogia.
Introdução à Psicologia da Aprendizagem
À medida que se desenvolviam estudos sobre o desenvolvimento humano e se estendiam à vida adulta, os
cientistas do desenvolvimento começaram a concentrar-se em como determinadas experiências, vinculadas
a tempo e lugar, influenciam o rumo das vidas das pessoas.
O que significava ser uma criança em cada um dos períodos da história?
Ser um adolescente? Tornar-se um adulto?
As respostas diferem em aspetos importantes.
Hoje, a maioria dos cientistas do desenvolvimento reconhecem que o desenvolvimento ocorre durante
toda a vida. Este conceito de um processo vitalício de desenvolvimento que pode ser estudado
cientificamente é conhecido como desenvolvimento no ciclo vital.
O Estudo do Desenvolvimento Humano
O Desenvolvimento Humano
Paul B. Baltes (1987), líder no estudo da psicologia do desenvolvimento, identifica os princípios
fundamentais de uma abordagem do desenvolvimento no ciclo vital:
• O desenvolvimento é vitalício
Cada período do tempo de vida é influenciado pelo que aconteceu antes e irá afetar o que está por vir.
Cada período tem suas próprias características e valor; nenhum é mais ou menos importante do que
qualquer outro.
• O desenvolvimento depende de história e contexto
Cada pessoa desenvolve-se dentro de um conjunto específico de circunstâncias ou condições
definidas por tempo e lugar. Os seres humanos influenciam seu contexto histórico e social e são
influenciados por eles. Eles não apenas respondem a seus ambientes físicos e sociais, mas também
interagem com eles e os mudam.
Princípios fundamentais de uma Abordagem do Desenvolvimento no ciclo vital
O Desenvolvimento Humano
• O desenvolvimento é multidimensional e multidirecional
O desenvolvimento durante toda a vida envolve um equilíbrio entre crescimento e declínio. Quando
as pessoas ganham num aspeto, podem perder noutro outro, e em taxas variáveis.
As crianças crescem sobretudo numa uma direção - para cima - tanto em tamanho como em
habilidades.
Na idade adulta, o equilíbrio muda gradualmente. Algumas capacidades, como vocabulário,
continuam aumentando; outras, como a capacidade de resolver problemas desconhecidos, podem
diminuir; alguns novos atributos, como perícia, podem aparecer.
• O desenvolvimento é flexível ou plástico
Plasticidade significa capacidade de modificação do desempenho.
Muitas capacidades, como memória, força e persistência, podem ser significativamente aperfeiçoadas
com treino e prática, mesmo em idade avançada. Entretanto, nem mesmo as crianças são
infinitamente flexíveis; o potencial para mudança tem limites.
O desenvolvimento humano é muito complexo, e por isso seu estudo exige uma parceria entre
estudiosos de muitas disciplinas, incluindo psicologia, psiquiatria, sociologia, antropologia, biologia,
genética, ciência da família (o estudo interdisciplinar das relações familiares), educação, história,
filosofia e medicina.
Princípios fundamentais de uma Abordagem do Desenvolvimento no ciclo vital
O Desenvolvimento Humano
Aspetos do Desenvolvimento
O estudo do desenvolvimento humano é complicado pelo fato da mudança e a estabilidade ocorrem em
diversos aspetos da pessoa. Para simplificar a discussão, os cientistas do desenvolvimento falam de modo
distinto sobre desenvolvimento físico, desenvolvimento cognitivo e desenvolvimento psicossocial. Na
verdade, estes aspetos ou domínios do desenvolvimento estão interligados. Durante toda a vida, cada um
deles influencia os outros.
O crescimento do corpo e do cérebro, das capacidades sensoriais, das habilidades motoras e da saúde são
parte do desenvolvimento físico e podem influenciar outros aspetos do desenvolvimento.
Por exemplo:
- Uma criança com frequentes no ouvido pode desenvolver a linguagem mais lentamente do que uma
criança sem esse problema.
- Durante a puberdade, as mudanças fisiológicas e hormonais dramáticas afetam o desenvolvimento do
senso de identidade.
- Em alguns adultos mais velhos, mudanças físicas no cérebro podem levar à deterioração do intelecto e da
personalidade.
O Desenvolvimento Humano
A Ciência e seus Objetivos
A medida que o campo do desenvolvimento humano se tornou uma disciplina científica, seus objetivos
evoluíram para incluir a descrição, explicação, predição e modificação do comportamento.
Descrição é uma tentativa de retratar o comportamento com precisão.
Explicação é a revelação das possíveis causas do comportamento.
Predição é prever o desenvolvimento futuro com base no desenvolvimento pregresso ou presente.