Da escassez ao estresse do planeta
12 pág.

Da escassez ao estresse do planeta


DisciplinaPsicoodontologi9 materiais124 seguidores
Pré-visualização1 página
Da escassez ao estresse do planeta:
Um século de mudanças no ciclo do nitrogênio
Autores da pesquisa:
Gabriel Garcia e Arnaldo Alves Cardoso
Departamento de Química Analítica, Instituto de Química, Universidade Estadual Paulista, Rua Professor Francisco Degni, 55, CP 355, 14800-900 Araraquara \u2013 SP, Brasil
Oalas Aparecido Morais dos Santos
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Mato Grosso, Campus São Vicente, BR 364, KM 329, 78106-000 Santo Antônio do Leverger \u2013 MT, Brasil.
iNTRODUÇÃO
\u201cA fixação do Nitrogênio é de importância
vital para o progresso da humanidade civilizada.\u201d
Crookes, William \u2013 1898.
No século XIX a humanidade corria contra o tempo para resolver questões ligadas a falta de nitrogênio reativo para a criação de fertilizantes.
Pouco mais de 100 anos após o dicurso de Crookes, cientistas discutem como resolver o problema com o excesso do elemento disperso no ambiente, fato que ocorreu após a produção ter dobrado a cada 8 anos entre 1950 e 1973.
O nitrogênio e a população mundial
No final do século XIX a população mundial era de pouco mais de 1bi e meio de habitantes. Até 1973 esse número quase triplicou, gerando debate e levantando questões como a produção agrícola mundial e a dificuldade em aumentar a mesma em pouco espaço de tempo.
Foi assim que na chamada \u201cRevolução verde\u201d alguns processos agrícolas com fertilizantes nitrogenados começaram a acontecer.
Um deles foi desenvolvido pelo agrônomo 
americano Norman Ernest Borlaug.
Ele desenvolveu algumas variedades 
de trigo anão para o crescimento rápido
e em larga escala.
O nitrogênio e o meio ambiente
As espécies utilizadas nos fertilizantes nitrogenados, amônio, nitrato e ureia, são muito solúveis em agua e isto facilita sua dispersão no ambiente.
Menos de 40% do nitrogênio utilizado inicialmente no fertilizante é aproveitado pelas plantas, fazendo com que o nitrogênio seja apenas um promotor no crescimento.
O nitrogênio não aproveitado acaba ficando próximo a produção agrícola.
Fixação não intencional do nitrogênio
Algumas atividades humanas, por exemplo a combustão, também auxiliam em grande quantidade de fixação não intencional do nitrogênio no ar atmosférico.
Tais atividades que tornaram-se corriqueiras na humanidade com o passar dos anos trazem consequências.
Tendo isso em vista, 28 pesquisadores buscaram estabelecer alguns valores básicos que, tendo os seus limites ultrapassados, podem ameaçar a sustentabilidade da Terra. O estudo aponta que três processos já tiveram seus limites de segurança ultrapassados, e são eles : mudanças climáticas, perda da biodiversidade e excesso de compostos reativos de nitrogênio no ambiente.
Consequências e conclusão
Nos três pontos ultrapassados apontado pelos pesquisadores é importante entender que, a longo prazo, a perda da biodiversidade e mudanças climáticas que já geram perdas imensuráveis tendem a aumentar em escala uma vez que a sociedade não entende as consequências do uso, do ciclo e do excesso deste elemento presente em basicamente todos os lugares. Aquilo que foi encontrado como uma solução virou um problema em escala mundial com soluções, muitas das vezes, em escala local. 
Minimizar o problema dependerá de uma posição da sociedade para estabelecer leis e mecanismos de controle estaduais ou nacionais. Cabe à ciência catalisar esta discussão.