AULA 04 CID Transtornos do Humor(afetivos) F30 F39 (Pág. 108 129)
22 pág.

AULA 04 CID Transtornos do Humor(afetivos) F30 F39 (Pág. 108 129)


DisciplinaPsicoodontologi9 materiais124 seguidores
Pré-visualização6 páginas
TRANSTORNOS MENTAIS E DE COMPORTAMENTO 
F30- F39 
Transtornos do humor (afetivos) 
Visão geral deste bloco 
F30 Episódio maníaco 
_F30.0 Hipomania 
F30.1 Mania sem sintomas psicóticos 
F30.2 Mania com sintomas psicóticos 
F30.8 Outros episódios maníacos 
F30.9 Episódio maníaco, não especificado 
F31 Transtorno afetivo bipolar 
F31.0 Transtorno afetivo bipolar, episódio atual hipomaníaco 
F31.1 Transtorno afetivo bipolar, episódio atual maníaco sem sintomas 
c os 
F31.2 Transtorno afetivo bipolar, episódio atual maníaco com sintomas 
c os 
F31.3 Transtorno afetivo bipolar, episódio atual depressivo leve ou moderado 
.30 Sem sintomas somáticos 
.31 Com sintomas somáticos 
F31.4 Transtorno afetivo bipolar, episódio atual depressivo grave sem 
psicóticos 
F31.5 Transtorno afetivo bipolar, episódio atual depressivo grave com cmtr.m"c 
psicóticos 
F31.6 Transtorno afetivo bipolar, episódio atual misto 
F31.7 Transtorno afetivo bipolar, atualmente em remissão 
F31.8 Outros transtornos afetivos bipolares 
F31.9 Transtorno afetivo bipolar, não especificado 
F32 Episódio depressivo 
108 
F32.0 Episódio depressivo leve 
.00 Sem sintomas somáticos 
.01 Com sintomas somáticos 
F32.1 Episódio depressivo moderado 
.10 Sem sintomas somáticos 
.11 Com sintomas somáticos 
F32.2 Episódio depressivo grave sem sintomas psicóticos 
F32.3 Episódio depressivo grave com sintomas psicóticos 
F32.8 Outros episódios depressivos 
F32.9 Episódio depressivo, não especificado 
F30- F39 TRANSTORNOS DO HUMOR (AFETIVOS) 
F33 Transtorno depressivo recorrente 
F33.0 Transtorno depressivo recorrente, episódio atual leve 
.00 Sem sintomas somáticos 
.01 Com sintomas somáticos 
F33.1 Transtorno depressivo recorrente, episódio atual moderado 
.10 Sem sintomas somáticos 
.11 Com sintomas somáticos 
F33.2 Transtorno depressivo recorrente, episódio atual grave sem sintomas psi-
cóticos 
F33.3 Transtorno depressivo recorrente, episódio atual grave com sintomas psi-
cóticos 
F33.4 Transtorno depressivo recorrente, atualmente em remissão 
F33.8 Outros transtornos depressivos recorrentes 
F33.9 Transtorno depressivo recorrente, não especificado 
Transtornos persistentes do humor (afetivos) 
F34.0 Ciclotimia 
F34.1 Distimia 
F34.8 Outros transtornos persistentes do humor (afetivos) 
F34.9 Transtorno persistente do humor (afetivo), não especificado 
Outros transtornos do humor (afetivos) 
F38.0 Outros trahstornos únicos do humor (afetivos) 
.00 Episódio afetivo misto 
F38.1 Outros transtornos recorrentes do humor (afetivos) 
.10 Transtorno depressivo breve recorrente 
F38.8 Outros transtornos especificados do humor (afetivos) 
Transtorno do humor (afetivo) não especificado 
109 
TRANSTORNOS MENTAIS E DE COMPORTAMENTO 
Introdução 
A relação entre etiologia, sintomas, processos bioquímicas subjacentes, resposta ao 
tamento e evolução dos transtornos do humor (afetivos) ainda não é suficientemenré 
bem compreendida para permitir sua classificação de forma a receber aprovação 
versal. Entretanto, uma classificação deve ser tentada e esta aqui apresentada é 
da na esperança de que será pelo menos aceitável, uma vez que é o resultado de 
consulta. 
Nestes transtornos, a perturbação fundamental é uma alteração do humor ou 
usualmente para depressão (com ou sem ansiedade associada) ou elação. Essa 
ração de humor é normalmente acompanhada por uma alteração no nível global 
atividade e a maioria dos outros sintomas é secundária ou facilmente compreendida 
no contexto de tais alterações. A maioria desses transtornos tende a ser recorrent .. 
e o início dos episódios individuais é frequentemente relacionado com eventos 
situações estressantes. Este bloco lida com transtornos do humor em todos os 
etários; aqueles que surgem na infância e adolescência devem, portanto, ser 
cados aqui. 
Os pr~cipais crité:ios pe}~s quais os tr~tornos afetivos.têm sido classificados :o:am···.· \u2022. \u2022.· .\u2022 ·.\u2022.\u2022 .. t.·.·.~.~·.·.··.·.·.·· .. · .. · .... · \u2022. · .\u2022 ·.··. escolhidos por razoes praticas, de manerra que eles perrrutam que transtornos clínicos:t[! 
comuns sejam facilmente identificados. Episódios únicos foram distinguidos de trans- j 
tornos·bipolares e de outros transtornos de episódios múltiplos, porque proporções 1§ 
substanciais de pacientes têm somente um episódio de doença e é dada proeminência 
à gravidade por causa das implicações para o tratamento e para a oferta de diferentes 
níveis de serviços. É reconhecido que os sintomas descritos aqui como "somáticos' 
poderiam também ser chamados de "melancólicos", "vitais", "biológicos" ou "endoge-
nomórficos" e que o status científico dessa síndrome é, de qualquer forma, algo ques-
tionável. É de se esperar que o resultado de sua inclusão aqui seja a abordagem crítica 
ampla da utilidade de sua identificação em separado. A classificação é arranjada de tal 
forma que essa síndrome somática pode ser registrada por aqueles que o desejarem, 
mas também ser ignorada sem perda de qualquer outra informação. 
Distinguir entre diferentes graus de gravidade permanece um problema; os três graus 
de leve, moderada e grave foram especificados aqui porque muitos clínicos desejam 
têlos disponíveis. 
Os termos "mania" e "depressão grave" são usados nesta classificação para denotar os 
extremos opostos do espectro afetivo; "hipomania" é usado para denotar um estado 
intermediário, sem delírios, alucinações ou a completa perturbação das atividades nor-
mais, a qual é muitas vezes (mas não exclusivamente) vista quando os pacientes desen-
volvem ou se recuperam da mania. 
11 o 
F30- F39 TRANSTORNOS DO HUMOR (AFETIVOS) 
Episódio maníaco 
Três graus de gravidade são especificados aqui, compartilhando as caracte-
rísticas comuns subjacentes de humor elevado e um aumento na quantidade 
e na velocidade da atividade física e mental. Todas as subdivisões desta ca-
tegoria devem ser usadas somente para um episódio único de mania. Se há 
episódios afetivos prévios ou subsequentes (depressivos, maníacos ou hipo-
maníacos), o transtorno deve ser codificado sob transtorno afetivo bipolar 
(F31. -). 
Inclui: transtorno bipolar, episódio maníaco único 
Hipomania 
Hipomania é um grau mais leve de mania (F30.n no qual as anormalida-
des do humor e do comportamento são por demais persistentes e marcan-
tes para serem incluídas sob ciclotimia (F34.0), mas não são acompanhadas 
por alucinações ou delírios. Há uma elevação leve e persistente do humor 
(por pelo menos vários dias continuamente), aumento de energia e ativida-
de e usualmente sentimentos marcantes de bem-estar e de eficiência tanto 
física quanto mental. Sociabilidade aumentada, loquacidade, familiaridade 
excessiva, aumento da energia sexual e diminuição da necessidade de sono 
estão frequentemente presentes, mas não numa extensão que leve a uma 
perturbação grave do trabalho ou resulte em rejeição social. Irritabilidade, 
comportamento presunçoso e grosseiro podem tomar lugar da sociabilidade 
eufórica mais usual. 
A concentração e a atenção podem estar comprometidas, diminuindo assim 
a capacidade de se fixar no trabalho, relaxamento e lazer, mas isto não evita o 
aparecimento de interesses em aventuras e atividades completamente novas 
ou gastos excessivos leves. 
Diretrizes diagnósticas 
Vários dos aspectos mencionados acima, consistentes com alteração ou ele-
vação do humor e aumento de atividade, devem estar presentes por pelo me-
nos vários dias continuadamente, em um grau e com uma persistência maior 
do que os descritos para a ciclotimia (F34.0). Uma interferência considerável 
com o trabalho ou atividade social é consistente com o diagnóstico de hipo-
mania, mas se a perturbação destes é grave ou completa, mania (F30.1 ou 
F30.2) deve ser diagnosticada. 
111 
-~""-·\u2022 "" - .-;; ..\u2022. ,., .,,......-; 
TRANSTORNOS MENTAIS E DE COMPORTAMENTO