RELATÓRIO 01: Determinação do teor de zinco e cobre na liga metálica de latão
28 pág.

RELATÓRIO 01: Determinação do teor de zinco e cobre na liga metálica de latão


DisciplinaQuímica Analítica II354 materiais2.595 seguidores
Pré-visualização5 páginas
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA \u2013 IFSP 
Campus Catanduva-SP 
 
Pratica de Química Analítica Qualitativa e Quantitativa II: 
Determinação do teor de cobre e zinco metálico em um liga 
metálica do tipo Latão. 
 
Alunos envolvidos: 
Caio Felipe Tacão. 
Pamela Oliveira Sousa. 
Rafaela Morales de Oliveira. 
 
Professor da Disciplina: 
Matheus Manoel Teles de Menezes. 
 
 
 
 
 
IFSP-2019. 
1. INTRODUÇÃO: 
Os metais de transição são utilizados no dia a dia dos seres humanos, desde a criação 
de estruturas até a criação de chips tecnológicos, porém os metais como um todo possuem 
uma certa limitação no que se refere ao seu uso e aplicações, a partir deste momento a 
necessidade de algo de maior qualidade e maior aplicabilidade surge em relação ao 
metais, com isso surge a formação e criação de ligas metálicas. 
As ligas metálicas são misturas proporcionais de átomos de metais com metais (uma 
ou mais partes das ligas metálicas são referentes aos metais do bloco d \u2013 metais de 
transição) ou metais junto a não metais, constituindo assim um reticulo onde além das 
ligações metais/metais ou metais/não metais os interstícios de cada liga metálica podem 
ser dopados com átomos pequenos para auxiliar ou atrapalhar o ponto de fusão do mesmo 
(tornando esse mais ou menos eficiente em relação a outros tipos de ligas \u2013 tudo depende 
onde será aplicado tal liga). 
 A função de uma liga metálica é ter um considerável baixo ponto de fusão e um 
resfriamento que colabore para a formação de camadas cujo objeto é unificar parte de 
outros metais separados, um exemplo disso é a soldagem com a liga metálica em uma 
estrutura; Além disso um boa liga metálica deve possuir uma durabilidade e ser resistente 
em alguns casos (ligas metálicas utilizadas na soldagem de eixos de carros ou até mesmo 
em edificações engenhosas). 
Ligas como Bronze, Aço, Aço inoxidável, Ouro 18 quilates, Amálgama, Liga 
Wood, Magnálio, podem ser encontradas respectivamente em moedas, anéis, panelas, 
alianças, dentições (uso no reparo de dentes \u2013 dentista), resistências em geral e em 
aeronaves até mesmo em carros de corrida, em fim a variedade de ligas metálicas 
propiciam aos seres humanos uma maior qualidade de vida e desenvolvimento. 
Uma das ligas mais acessíveis e com um alto teor de eficiência são as ligas metálicas 
do tipo Latão; o latão é constituído principalmente de zinco e cobre em porcentagens que 
variam de liga para liga, podendo existir na forma de 3 à 45% de zinco e o restante 97 à 
55% de cobre, nada impede de impurezas (outros átomos) estarem ligados nos interstícios 
do reticulo da liga. 
Sabendo de tal liga e de sua acessibilidade e aplicabilidade no mundo do reparo de 
joias bem como no ramo de soldagem de mantas de aquecimento nos painéis aquecedores 
de água, decidiu-se por meio de uma prática piloto de química analítica qualitativa e 
quantitativa estudar e estruturar a quantia em porcentagem (bem como os complexos e 
compostos de coordenação formados em meios reacionais distintos) de cobre e zinco 
metálico presente na estrutura. 
 
2. OBJETIVO: 
Determinar o teor dos íons Cu2+ e Zn2+ em uma vareta de solda de 3,25mm de Latão. 
 
3. MATERIAIS E EQUIPAMENTOS. 
\uf0b7 Balança analítica 
\uf0b7 01 Balão volumétrico de 100mL 
\uf0b7 01 Bastão de vidro 
\uf0b7 01 Béquer de 10mL 
\uf0b7 02 Béqueres de 25mL 
\uf0b7 01 Béquer de 250mL 
\uf0b7 01 Béquer de 300mL 
\uf0b7 01 Bico de Bunsen 
\uf0b7 02 Buretas de 25mL 
\uf0b7 Capela 
\uf0b7 Conta gotas 
\uf0b7 02 Erlenmeyer de 125mL 
\uf0b7 01 Espátula 
\uf0b7 Indicador universal 
\uf0b7 01 Micropipeta 
\uf0b7 Palitos de fósforo 
\uf0b7 03 Pipetas de Pasteur 
\uf0b7 01 Pisseta 
\uf0b7 01 Proveta de 15mL 
\uf0b7 01 Proveta de 50mL 
\uf0b7 Suporte Universal 
\uf0b7 01 Tripé laboratorial 
\uf0b7 01 Tela de amianto 
\uf0b7 01 Vidro relógio 
\uf0b7 Amido P.A 
\uf0b7 Água deionizada/destilada 
\uf0b7 Ácido Clorídrico (HCl) à 12mol.L-1 
\uf0b7 Ácido Nítrico (HNO3) à 65% 
\uf0b7 EDTA (Ácido Etilenodiamino tetra-acético) à 1,0.10-2 Mol.L-1 
\uf0b7 Hidróxido de amônio (NH4OH) P.A 
\uf0b7 Solução alcoólica de Negro de Ériocromo T 
\uf0b7 Solução de Iodeto de potássio (KI) à 4% 
\uf0b7 Tiossulfato de sódio (Na2S2O3) à 0,1mol.L-1 
\uf0b7 Tampão de amônia (NH4OH/NH4Cl) referente ao pH 10 
\uf0b7 Vareta de soldagem de latão com 3,25mm \u2013 Liga de Cobre e Zinco 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
4. PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL EM FLUXOGRAMA: 
4.1 SOLUÇÃO DE AMIDO (C6H10O5)N À 1 %. 
PREPARO DA SOLUÇÃO MASCARADORA DE IONS Cu 2+ (INDICADORA): 
 
 
 
 
 
 
 
4.2 SOLUÇÃO PADRÃO DE TIOSSULFATO DE SÓDIO. 
PREPARO DA SOLUÇÃO DE 0,1 MOL.L -1 DE TIOSSULFATO DE SÓDIO 
(Na2S2O3): 
 
 
 
 
4.3 SOLUÇÃO DE LATÃO. 
TRATAMENTO DA SOLUÇÃO DE LATÃO PRÉ TITULAÇÃO: 
 
 
 
 
 
 
 
 
4.5 TITULAÇÃO DA AMOSTRA DE LATÃO NA PRESENÇA DE 
TIOSSULFATO DE SÓDIO A 0,1MOL. L -1 E EDTA 1,0.10-2 MOL.L -1 . 
Titulação de cobre (Cu2+e Zn2+): 
 
 
 
 
 
4. PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL ESCRITO: 
4.1 SOLUÇÃO DE AMIDO (C6H10O5)N À 1 %. 
PREPARO DA SOLUÇÃO MASCARADORA DE IONS Cu2+ (INDICADORA): 
Pesar cerca de 1 g de amido P.A em uma balança analítica com auxílio de uma 
espátula e transferir para um béquer de 300mL, adicione cerca de 15mL de água destilada 
com auxílio de uma proveta de 15mL e observe a formação de uma pasta de coloração 
branca e turva. 
Acenda o bico de Bunsen com auxílio de um palito de fosforo, colocando sobre a 
chama quente uma tela de amianto; fixe-a pelo tripé presente no laboratório. 
Em um béquer de 250mL colocar cerca de 100mL de água destilada; aquece-la até 
uma temperatura de 100°C. Após tal procedimento, transfira a água para o béquer de 
300mL contendo amido e agite a solução com auxílio de um bastão de vidro. Espere até 
a solução ficar menos turva, deixando-a esfriar. 
4.2 SOLUÇÃO PADRÃO DE TIOSSULFATO DE SÓDIO. 
PREPARO DA SOLUÇÃO DE 0,1 MOL.L-1 DE TIOSSULFATO DE SÓDIO 
(Na2S2O3): 
Em uma balança analítica, pesar cerca de 2,48g de tiossulfato de sódio com o auxílio 
de uma espátula, transfira tal massa para um béquer de 25mL e dissolva-a com água 
destilada (sempre que possível mexendo a solução para a dissolução de tal composto), 
transfira a solução aquosa de tiossulfato de sódio para um balão volumétrico de 100mL 
completando até o menisco, homogenize a solução e anote a massa de Na2S2O3. 
4.3 SOLUÇÃO DE LATÃO. 
TRATAMENTO DA SOLUÇÃO DE LATÃO PRÉ TITULAÇÃO: 
Pesar e anotar a massa da liga metálica latão (Cu-Zn) entre 0,15 à 0,16 gramas em 
uma balança analítica. 
Preparar uma solução de 4mL água régia em um béquer de 10mL (3mL de Ácido 
Clorídrico 12mol.L-1 e 1mL de Ácido Nítrico 65%, PM = 63,02 e d = 1,41g.cm-3), no 
interior da capela com o exaustor previamente ligado. 
Adicionar a massa de latão anteriormente pesada no béquer contendo a solução de 
água régia, esperar a dissolução total da liga metálica no interior da capela, tampando a 
mesma com um vidro relógio. 
Após dissolver totalmente o latão (cerca de 2 à 3 horas), transfira os 4mL da solução 
para um Béquer de 25mL, afim de neutraliza-la vagarosamente, gota a gota, adicione 
Hidróxido de amônio (NH4OH) Concentrado P.A com auxílio de uma pipeta de Pasteur, 
até este passar de uma coloração verde para azul. 
4.4 TITULAÇÃO DA AMOSTRA DE LATÃO NA PRESENÇA EDTA 
1,0.10-2 MOL.L-1. 
TITULAÇÃO TOTAL DE Cu2+ e Zn2+: 
Com auxílio de uma micropipeta, transferir 500 \uf06dL da amostra de latão já 
neutralizada com um pH cerca de 7 à 8 (utilize um pedaço da fita do indicador universal 
para mensurar o pH), para um Erlenmeyer de 125mL. 
Adicione ao Erlenmeyer cerca de 3 a 4 gotas do tampão de amônia (NH4OH/NH4Cl) 
e com auxílio