inflamaco cronica materia
14 pág.

inflamaco cronica materia


Disciplina<strong>patoligia</strong>3 materiais3 seguidores
Pré-visualização1 página
PATOLOGIA
PATOLOGIA
Inflamação Crônica
\u2022 Longa duração, podendo ser meses, anos, dependendo das 
circunstâncias 
\u2022 Instala-se mais lentamente 
\u2022 Surge de várias maneiras 
\u2013 Após inflamação aguda 
\u2013 Surtos repetidos de IA 
\u2013 A mais frequente: vagarosamente 
\u2022 Infecções persistentes por microrganismos 
\u2022 Exposição prolongada a substancias 
\u2022 Reações imunes
Inflamação Crônica
\u2022 Características histológicas 
\u2013 Infiltração de células mononucleadas 
\u2022 linfócitos, plasmócitos e macrófagos 
\u2013 Destruição tecidual 
\u2013 Reposição do tecido conjuntivo da lesão envolvendo 
\u2022 Proliferação de vasos 
\u2022 Fibrose 
\u2013 O agente agressor geralmente persiste nos tecidos 
\u2022 Estando em equilíbrio com o hospedeiro 
\u2022 Apresentando baixa toxicidade e muitas vezes estimula reação de hipersensibilidade 
tardia
Inflamação Crônica
Lesão tecidual Fibrose
\u2022 Infiltração Mononuclear
Inflamação Crônica
\u2022 Reparo por tecido conjuntivo \u2013 FIBROSE 
\u2013 Formação de novos vasos sanguíneos 
\u2013 Migração e proliferação de fibroblastos 
\u2013 Deposição de matriz extracelular 
\u2013 Maturação e reorganização do tecido fibroso, também conhecido como 
remodelagem
Inflamação Crônica
\u2022 Inflamação granulomatosa 
\u2013 Granulomas: nódulos de macrófagos modificados e também linfócitos, 
plasmócitos, neitrófilos e necrose central. 
\u2022 Tuberculose 
\u2022 Poeira mineral: silicose
Inflamação Crônica
\u2022 Padrões morfológicos 
\u2013 Inflamação serosa 
\u2022 Derrame tuberculoso pleural e bolhas 
\u2013 Inflamação fibrosa 
\u2022 Pericardite fibrosa após infarto do miocárdio 
\u2013 Inflamação purulenta 
\u2022 Abscesso estafilocócicos piogênicos 
\u2013 Úlcera 
\u2022 Inflamação da superfície com eliminação de tecido necrótico
Inflamação Crônica
\u2022 Reação da fase crônica da inflamação 
\u2013 Febre 
\u2013 Sonolência 
\u2013 Hipotensão 
\u2013 Leucocitose 
\u2013 Lipólise
Inflamação Crônica
\u2022 Situações nas quais há inflamação crônica: 
\u2013 Partículas não digeríveis: asbestos, sílica, berílio, cristais de urato 
(gota), queratina (cisto epidermóide rompido), fios de sutura. 
\u2013 Irritação crônica: hiperplasia fibrosa inflamatória, úlcera péptica 
\u2013 Resposta deficiente do organismo: úlcera do membro inferior, associada 
a diabete ou veias varicosas (varizes) 
Inflamação Crônica
\u2022 Situações nas quais há inflamação crônica: 
\u2013 Equilíbrio entre irritante e hospedeiro: tuberculose, 
paracoccidioidomicose, leishmaniose, hanseníase, brucelose, goma 
sifilítica, doença da arranhadura do gato (bacilos Gram -), 
esquistossomose, lesão periapical, doença periodontal, linfogranuloma 
inguinal . Muitas vezes são patógenos intracelulares. 
\u2013 Causa não conhecida: sarcoidose, artrite reumatóide
Inflamação Crônica
INFLAMAÇÃO AGUDA 
\u2022 Mudanças vasculares 
\u2022 Recrutamentos de neutrófilos 
\u2022 Mediadores 
Progressão
Cura 
RESOLUÇÃO 
\u2022 Remoção de dos estímulos lesivos 
\u2022 Remoção de mediadores e células inflamatórias agudas 
\u2022 Substituição de células lesionadas 
\u2022 Função normal
Cura 
Cura 
FIBROSE 
\u2022 Perda de funçãoINFLAMAÇÂO CRÔNICA 
\u2022 Angiogênese 
\u2022 Infiltrado mononuclear 
\u2022 Fibrose (cicatriz)
Resultado de inflamação aguda: resolução, cura por fibrose ou inflamação crônica
\u2022Toxinas
Ferimento
\u2022 Infarto 
\u2022 Infecções bacterianas 
\u2022 Toxinas 
\u2022 Traumas
\u2022Toxinas
Ferimento
\u2022 Infecções virais 
\u2022 Infecções crônicas 
\u2022 Lesão persistente 
\u2022 Doenças autoimune
Formação de pus (abscesso)
Ferimento
\u2022 PROTEÇÃO 
\u2022 processo inflamatório => microrganismos que penetram nas 
mucosas e feridas => impede proliferação, disseminação e 
desenvolvimento de infecções; 
\u2022 CICATRIZAÇÃO: 
\u2022 cura e reparo das lesões; 
\u2022 DESENCADEIA IMUNIDADE ADAPTATIVA: 
\u2022 acúmulo e ativação de células fagocitárias no local da injúria, 
sendo também fundamental para o estabelecimento da imunidade 
específica.
Inflamação como uma &quot;Resposta 
Benéfica&quot;
\u2022 O processo inflamatório pode interferir na função do órgão 
acometido => condição mais ameaçadora que a agressão inicial que 
o determinou 
\u2022 Formação de fibrose\u2028
Perda do controle homeostático na resposta, assumindo a 
\u2022 inflamação um papel destrutivo, maléfico ao organismo. 
Exemplos: 
Glomérulonefrites auto-imunes e por imunocomplexos; 
Artrites reumatóides;\u2028
Choque anafilático; 
Granuloma contra ovo do Schistosoma mansoni e M. tuberculosis;
Inflamação como uma &quot;Resposta 
Benéfica&quot;
\u201c Se a gente cresce com os 
Golpes duros da vida, 
Também podemos crescer 
Com os toques suaves na alma.\u201d 
 Cora Coralina