fmu   DP.ADAP   DIREITO CONSTITUCIONAL   CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE   AÇÕES
3 pág.

fmu DP.ADAP DIREITO CONSTITUCIONAL CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE AÇÕES

Pré-visualização1 página
Unidade 05 \u2013 Ações Diretas de Controle de Constitucionalidade: 
 
Obs: Nas ações de controle concentrado de constitucionalidade, a competência 
originária será sempre do STF, com exceção da ADIN Interventiva Estadual ou da 
ADIN que questione a constitucionalidade de lei estadual em que a competência 
originária será do TJ de cada estado. 
ADIN \u2013 Ação Direta de Inconstitucionalidade: 
- A Legitimidade ativa será do rol do artigo 103 da CF/88, ressalvando que apenas os 
partidos políticos com representação no Congresso Nacional e a Confederação 
Sindical ou entidade de classe de âmbito nacional precisarão de advogado. As demais 
pessoas relacionadas no artigo 103 da CF/88 possuem capacidade postulatória e, 
portanto, estão apto a ajuizar a ação no STF independentemente de advogado. 
- A legitimidade passiva será o órgão ou entidade que editou a lei ou ato normativo 
que se pretende declarar a inconstitucionalidade. 
- é possível a concessão de medida cautelar a fim de suspender os processos que 
possuem a lei impugnada como objeto. 
- objetivo: declarar a inconstitucionalidade de lei ou ato normativo federal ou 
estadual perante a CF/88. 
ADC ou ADECON \u2013 Ação Declaratória de Constitucionalidade: 
- objetivo: declarar a constitucionalidade de uma lei ou ato normativo federal, 
transformando a presunção relativa em absoluta. 
- toda lei goza de presunção relativa de constitucionalidade, admitindo-se prova em 
contrário, por esta razão a ADC ou ADECON busca transformar a presunção relativa 
em absoluta por meio da declaração da constitucionalidade da lei ou ato normativo 
questionado perante o STF, afastando, assim, a insegurança jurídica sobre a validade 
da norma. 
- a legitimidade ativa é a mesma da ADIN (art. 102, I, \u201ca\u201d CF/88). 
- é possível a concessão de medida cautelar. 
ADO \u2013 Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão: 
- objetivo: combater a \u201csíndrome de inefetividade das normas constitucionais\u201d 
causada pela omissão do órgão ou poder a quem competia legislar, buscando tornar 
efetiva norma constitucional destituída de efetividade por ausência de norma 
regulamentadora das normas constitucionais de eficácia limitada. 
- Normas de eficácia LIMITADA são as normas que precisam de uma lei integrativa 
infraconstitucional para produzir todos os seus efeitos, pois não produzem efeitos 
imediatos no momento da promulgação da Constituição. 
- Legitimidade ativa é a mesma da ADIN (art. 103 CF/88). 
- Legitimidade passiva é o órgão ou autoridade a quem competia legislar e que se 
encontra em mora, por ter se omitido. 
- a omissão do Poder Público inviabiliza o pleno exercício do direito constante na 
norma constitucional em razão da ausência de uma norma regulamentadora. 
Obs: Difere do Mandado de Injunção em relação a competência originária, ao 
cabimento, a forma de controle e quanto aos efeitos da decisão. 
ADIN Interventiva: 
- objetivo: restabelecer a ordem constitucional no Estado ou Município. 
- Pode ser Federal ou Estadual: 
a) Na Adin Interventiva Federal a competência é do STF, a legitimidade ativa é do 
Procurador-Geral da República e se busca a intervenção da União em um dos estados 
membros; 
b) Na Adin Interventiva Estadual a competência é dos TJs (órgão especial), a 
legitimidade ativa é do Procurador-Geral de Justiça e se busca a intervenção de um 
estado em um dos seus municípios. 
ADPF \u2013 Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental: 
- Objetivo: reparar ou evitar lesão a preceito fundamental decorrente de ato ou 
omissão do Poder Público ou, ainda, quando for relevante o fundamento da 
controvérsia constitucional sobre lei ou ato normativo federal, estadual e municipal. 
- Foi regulamentada pela Lei 9.882/99. 
- Não será admitida quando houver qualquer outro meio eficaz de sanar a lesividade. 
- a legitimidade é a mesma da Adin (artigo 103 da CF/88) ou demais interessados 
desde que representados pelo Procurador-Geral da República. 
- a legitimidade passiva é do responsável pela prática do ato de poder público que 
causou ou pode causar lesão a preceito fundamental previsto na CF/88. 
- É possível a concessão de liminar. 
Exemplos: ADPF 54 (Aborto de Feto Anencéfalo); ADPF 378 (Procedimento do rito do 
Impeachment da presidente Dilma); ADPF 403 (Contra o Bloqueio do Whatsapp); 
ADPF 347 (ajuizada pelo PSOL requerendo o reconhecimento da violação de direitos 
fundamentais da população carcerária). 
Questões de fixação: 
1) Explique qual é o objetivo da ADIN e quem são os legitimados para propor a 
ação sem a necessidade de um advogado. 
 
2) Explique qual é o objetivo da ADO e quais são as principais diferenças entre a 
ADO e o mandado de injunção. 
 
3) Explique qual é o objetivo da ADECON ou ADC. 
 
4) De quem é a competência originária para julgar a Adin interventiva federal e 
estadual, respectivamente. 
 
5) Um partido político propôs uma medida judicial perante o STF, requerendo o 
reconhecimento da violação de direitos fundamentais da população carcerária. 
Indique qual medida judicial é cabível ao caso em questão. 
Bibliografia: 
* SIQUEIRA JR., Paulo Hamilton. Direito Processual Constitucional. São Paulo: Saraiva, 
6ª edição, 2012. 
* CORREIA, Marcus Orione Gonçalves. Direito Processual Constitucional. 4ª ed. São 
Paulo : Saraiva, 2011. 
* MEDINA, Paulo Roberto de Gouvêa. Direito Processual Constitucional. Rio de Janeiro: 
Forense, 5ª edição, 2012. 
* BARROSO, Luis Roberto. Curso de Direito Constitucional contemporâneo. São Paulo: 
Saraiva, 5 edição, 2015. 
* MENDES, Gilmar Ferreira, COELHO, Inocêncio Mártires e BRANCO, Paulo Gustavo 
Gonet. Curso de Direito Constitucional. São Paulo: Saraiva, 10ª edição, 2015. 
* MORAES, Alexandre de. Constituição do Brasil interpretada e legislação 
constitucional. São Paulo: Atlas, 9ª edição, 2013.