A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Prensky_-_Imigrantes_e_nativos_digitais

Pré-visualização|Página 1 de 7

M arc Prensky Nati vos Di gi tai s I mi grantes Di gi tai s © 2001 M arc Presnk y
Nat i vos Di gi t ai s, I mi gr an t es Di gi t ai s
Por M arc Prensky
De On the Hori zon (NCB U ni v ersi ty Press, Vol . 9 No. 5, Outubro 2001)
© 2001 M arc Presnky
Tr ad u ç ão d o ar t i g o " Di g i t al n at i v e s , di g i t al i m m i g r an t s " , d e Mar c Pr en s k y . Tr ad u ç ão g en t i l m en t e
c ed i d a p o r Ro b er t a d e Mo r aes J es u s d e So u za: p r o f es s o r a, t r ad u t o r a e m es t r an d a em ed u c ão p el a
UCG. Par a q u al q u er c i t ão , en t r ar em c o n t at o c o m a t r ad u t o r a: r o b er t am j s o u za@y ah o o .c o m .b r .
É i ncrível para mi m que com toda a agi tação e debate atual sobre o decl íni o da educação nos EUA ,
nós estej amos i gnorando a pri nci pal causa desta queda. Nossos al unos mudar am r adi cal mente. Os
al unos de hoj e o são os mesmos par a os quai s o nosso si stema educaci onal f oi cr i ado.
Os al unos de hoj e não mudaram apenas em ter mos de avanço em rel ação aos do passado, nem
si mpl esmente mudar am suas gír i as, r oupas, enf ei tes cor porai s, ou esti l os, como aconteceu entre as
gerações anteri ores. A conteceu uma grande desconti nui dade. A l guém pode a chamá-l a de apenas
uma si ngul ari dade um evento no qual as coi sas são tão mudadas que não há vol ta. Esta eno
chamada de si ngul ar i dade é a chegada e a pi da di f usão da tecnol ogi a di gi tal nas úl ti mas décadas
do sécul o XX .
Os al unos de hoj e do mater nal à f acul dade representam as pri mei ras ger ações que cresceram
com esta nova tecnol ogi a. El es passar am a vi da i ntei ra cercados e usando computadores, vídeo
games, tocadores de músi ca di gi tai s, câmeras de vídeo, t el ef ones cel ul ares, e todos os outros
bri nquedos e f erramentas da era di gi tal . Em médi a, um al uno graduado atual passou menos de 5.000
horas de sua vi da l endo, mas aci ma de 10.000 horas j ogando vídeo games (sem contar as 20.000
horas assi sti ndo à tel evi são). Os j ogos de computadores, e-mai l , a I nternet, os tel ef ones cel ul ares e
as mensagens i nstanneas são partes i ntegrai s de suas vi das.
A gora f i ca cl aro que como resul tado deste ambi ente oni pr esente e o grande vol ume de i nteração
com a tecnol ogi a, os al unos de hoj e pensam e processam as i nf ormações bem di f er entes das
gerações anteri ores. Estas di f erençaso mai s l onge e mai s i ntensamente do que mui tos educador es
suspei tam ou percebem. Ti pos di sti ntos de exper i ênci as l evam à di sti ntas est ruturas de
pensamento, di z Dr. Bruce D . Barry da Facul dade de M edi ci na B ayl or. Como veremos
posteri ormente, é bem pr ovel que as mentes de nossos al unos tenham mudado fi si camente e
sej am di f erentes das nossas sendo resul tado de como el es crescer am. M as se i sso é r eal mente
verdade ou não, nós podemos af i r mar apenas com certeza que os model os de pensamento mudar am.
V ou mostrar como el es mudaram em um i nstante.
Como dever íamos chamar estes novos al unos de hoj e? A l guns se r ef er em a el es como N-gen
[ N et] ou D- gen [ Di gi tal ] . Pom a denomi nação mai s uti l i zada que eu encontrei para el es é Nati vos
Di gi tai s. Nossos estudantes de hoj e são todos f al antes nati vos da l i nguagem di gi tal dos
computadores, vídeo games e i nternet.

Eno o que f az o resto de nós? A quel es que não nascer am no mundo di gi tal , mas em al guma época
de nossas vi das, f i cou f asci nado e adotou mui tos ou a mai ori a dos aspectos da nova tecnol ogi a são,
e sempre seo comparados a el es, sendo chamados de I mi grantes Di gi tai s.
M arc Prensky Nati vos Di gi tai s I mi grantes Di gi tai s © 2001 M arc Presnk y
É i mportante f azer esta di sti nção: como os I mi grantes Di gi tai s apr endem como todos i mi grantes,
al guns mai s do que os out ros a adaptar-se ao ambi ente, el es sempre manm, em certo grau, seu
sotaque, que é, seu pé no passado. O sotaque do i mi gr ante di gi tal pode ser percebi do de
di versos modos, como o acesso à i nter net para a obtenção de i nf ormações, ou a l ei tura de uma
manual para um programa ao i ns de assumi r que o programa nos ensi na como uti l i zá-l o.
A tual ment e, os mai s vel hos f oram soci al i zados de f orma di f erente das suas cri anças, e eso em
um pr ocesso de aprendi zagem de uma nova l i nguagem. E uma l íngua aprendi da poster i ormente na
vi da, os ci enti stas nos di zem, vai para uma par te dif erente do cérebr o.
centenas de exempl os de sotaque de i mi gr ante di gi tal . Entre el es eso a i mpressão de seu e-mai l
(ou pedi r a secreri a que o i mpri ma par a você um sotaque ai nda mai s mar cante) ; a necessi dade
de se i mpri mi r um documento escri to do computador para edi - l o (ao i ns de edi - l o na tel a; e
trazer as pessoas pessoal mente ao seu escri ri o para ver um web si te i nteressante (ao i ns de
envi ar a el es a URL ). Tenho certeza de que você consegue pensar em um ou doi s ex empl os sem
mui to esf oo. M eu exempl o f avori t o é V ocê recebeu meu e-mai l pel o tel ef one. A quel es de nós
que são I mi grantes Di gi tai s podem, e devem, ri r de nós mesmos e de nosso sotaque.
M as esta não é apenas uma pi ada. É mui to séri o, porque o úni co e mai or probl ema que a educação
enf r enta hoj e é que os n ossos i nstr utor es I mi gr antes D i gi tai s, que usam u ma l i nguagem
ul t r apassada ( da er a pr é-di gi tal ) , eso l utando par a ensi nar uma popul ação que f al a uma
l i nguagem total men te nova.
I sto é óbvi o aos Nati vos Di gi tai s as escol as f r eqüentemente sentem como nós ti ssemos cri ado
uma popul ação de sotaque f orte, estrangei ros i ncompr eensívei s para ensi ná-l os. El es ger al mente
não podem entender o que os I mi gr antes eso di zendo. O que di scar um número si gni f i ca
mesmo?
Para que esta perspecti va não pareça radi cal , mui to menos apenas descri ti va, dei xe-me el uci dar
al guns pontos. Os Nati vos Di gi tai s eso acostumados a receber i nf ormações mui to rapi damente.
El es gostam de processar mai s de uma coi sa por vez e real i zar múl t i pl as tar ef as. El es pref er em os
seus gf i cos antes do texto ao i ns do oposto. El es pref erem acesso al ear i o (como hi pertexto).
El es trabal ham mel hor quando l i gados a uma rede de contatos. El esm sucesso com gr ati f i cações
i nstanneas e r ecompensas f reqüentes. El es pref erem j ogos a t rabal ham séri o. (I sto l he par ece
f ami l i ar?)
M as os I mi gr antes Di gi tai s ti pi camente m pouca apreci ação por estas novas habi l i dades que os
Nat i vos adqui ri r am e aperf ei çoar am at ras de anos de i nteração e pti ca. Estas habi l i dades são
quase total mente estrangei ras aos I mi grantes, que apr ender am e escol hem ensi nar
vagar osamente, passo-a-passo, uma coi sa de cada vez, i ndi vi dual mente, e aci ma de t udo,

ser i amente. M eus estudantes apenas não ______ como el es costumavam f azer, l amentam os
I mi gr antes Di gi tai s educadores. Eu não posso f azer com que el es ______ ou ______. El es não
apreci am ______ ou ______. (Compl ete as l acunas, há uma grande var i edade de opções.).
M arc Prensky Nati vos Di gi tai s I mi grantes Di gi tai s © 2001 M arc Presnk y
Os I mi grantes Di gi tai s não acredi tam que os seus al unos podem apr ender com êxi to enquanto
assi stem à TV ou escutam músi ca, porque el es (os I mi gr antes) não podem. É cl ar o que não el es
não pr at i caram esta habi l i dade constantemente nos úl ti mos anos. Os I mi gr antes Di gi tai s acham que
a aprendi zagem não pode (ou não deveri a) ser di verti da. Por que el es deveri am? El es não passaram
os úl ti mos anos aprendendo com a V i l a Sésamo.
I nf el i zmente para os nossos pr of essores I mi grantes Di gi tai s, as pessoas sentadas em suas sal as
cresceram em uma vel oci dade r ápi da dos vídeo games e M TV . El es eso acostumados à rapi dez
do hi pertext o, bai xar músi cas, tel ef ones em seus bol sos, uma bi bl i oteca em seus l aptops, mensagens
e mensagens i nstanneas. El es esti veram conectados a mai or par te ou durante toda suas vi das. El es
m pouca paci ênci a com pal estr as, l ógi ca passo-a-passo, e i nstruções que di tam o que se f azer.
Os prof essor es I mi gr antes Di gi tai s af i r mam que os aprendi zes são os mesmos que el es sempre
f or am, e que os mesmos métodos que f unci onaram com os prof essores quando el es eram estudantes
f unci onao com seus al unos agora. M as esta af i r mação não é mai s vál i da. Os al unos de hoj e são
di fer entes. Um estudante do j ar di m de i nf ânci a di sse r ecentemente no recrei o www .hungry.com
(hungr y = com f ome). Toda vez que vou à escol a tenho que di mi nui r mi nha energi a, recl ama um
estudante de ensi no médi o. É que os N at i vos Di gi tai s não podem prestar atenção ou el es não
escol hem? Freqüentemente do ponto de vi sta dos Nati vos seus i nstrutores I mi gr antes Di gi tai s f azem
com que não val ha a pena prestar atenção à sua f orma de educar se comparar a tudo o que el es
vi venci am e eno el es os cul pam de não prestar em atenção!
E, mai s e mai s, el es nãoo acei t ar i sso. Eu f ui a uma f acul dade al tamente concei tuada onde todos
os prof essores vi er am de M I T (M assachusets I nsti tute of Technol ogy) (I nst i tuto Tecnol ógi co de
M assachusets), di z um al uno veterano. M as tudo o que el es f i zeram f oi l er de seus l i vros- textos.
Parei . A estonteante i nternet apareceu há pouco tempo quando os t rabal hos eram abundantes,
especi al mente nas áreas onde a escol a of ereci a pouca aj uda esta era uma possi bi l i dade real . M as
os estudantes ponto-com que abandonar am agora eso vol tando par a a escol a. El es teo que
conf rontar de novo a di vi são I mi grantes/ Nati vos, e ai nda mai s probl emáti co devi do às experi ênci as
recentes. E i sso tor nar á ai nda mai s di f íci l ensi ná-l os e todos os Nati vos Di gi tai s j á no si stema à
moda anti ga.
Eno o que deveri a acontecer? Os estudantes Nati vos Di gi tai s dever i am aprender as vel has f ormas,
ou os educadores I mi grantes Di gi tai s deveri am aprender as novas? I nf el i zmente, i ndependente de
quanto os I mi grantes quei ram i sso, é bem i mprovel que os Nati vos Di gi tai s regredi o. Em
pri mei ro l ugar, isto deve ser i mpossível as mentes podem j á ser di f er entes. I sto i nsul ta tudo o que
conhecemos sobre mi gração cul tural . A s cri anças nasci das em qual quer nova cul tura aprendem a
nova l i nguagem f aci l mente, e resi stem com vi gor em usar a vel ha. Os espertos adul tos i mi grantes
acei tam que el es não conhecem seu novo mundo e ti ram vantagens de suas cri anças a aj udá- l os a