A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Plano de aula tênis

Pré-visualização | Página 1 de 2

1° ETAPA: Plano de aula de tênis
	TÊNIS: Materiais, habilidades e regras.
	PÚBLICO ALVO: 8° Ano do ensino fundamental.
	DURAÇÃO: 50 minutos
	OBJETIVOS: 
Conhecer as características dos materiais necessários;
Conhecer os principais movimentos como o saque, os golpes de fundo e os voleios;
Praticar as técnicas do tênis com os golpes de fundo de quadra, levando-se em conta a capacidade motora dos alunos;
Conhecer as regras em geral.
	MATERIAIS UTILIZADOS: 
Em primeira instância, objetiva-se apresentar e manipular os materiais que constituem o tênis. Após observação dos mesmos, será feito o manuseio e o reconhecimento da estrutura física do material. Alguns questionamentos poderão ser levantados sobre o peso, o tamanho e o design das raquetes e os materiais que os constituem (armação, fibras). Será feita a apresentação das bolas de tênis e os calçados próprios para a prática do tênis.
	AQUECIMENTO:
Caminhada de 2 minutos em volta da quadra;
Alongar o ombro e a parte superior das costas colocando o cotovelo na frente do tórax e depois puxando o lentamente rumo ao ombro paralelo. Depois de manter essa posição por 10 segundos, ela deverá ser repetida em relação ao ombro oposto;
Ficar de pé e com o corpo ereto, levantando o ombro próximo às orelhas, mantendo por 2 segundos e depois relaxando. Repetir duas vezes;
Em pé, com joelhos parcialmente flexionados, puxar os cotovelos por detrás da cabeça, inclinando o corpo de lado por meio dos quadris. Mantenha essa posição por 10 segundos e repita a operação para o lado oposto;
Ao alongar os ombros, entrelaçarão as mãos por cima da cabeça, erguendo-as lentamente. Ficarão nessa posição por 10 segundos;
Ao alongar os quadríceps, o dorso do pé direito será segurado perto dos glúteos com a mão esquerda. Ficar 10 segundos nessa posição e repetir o movimento com o outro pé.
	DESENVOLVIMENTO: 
Esta parte da aula será, também, na quadra disponível para a prática do tênis. A rede ainda não é necessária nesse primeiro instante. A raquete e a bola serão manuseadas. Em primeira instância deve-se pedir para os alunos equilibrarem a bola na parte de corda da raquete. Primeiro, parados, depois andando pela quadra. Depois disso os alunos serão instruídos a controlarem a bola no ar batendo com a raquete nela, só com um lado da raquete, depois deverão controla-la batendo com um lado da raquete por vez. No próximo passo, eles baterão na bola fazendo-a chegar ao chão de modo que repetidamente mantenham o controle desse movimento. Em seguida, será pedido aos alunos, em dupla, que toquem a bola para o colega de modo que ela quique uma vez no chão. A cada lance acertado, eles deverão dar um passo para trás, de modo que aumente a distância e a complexidade da atividade. Depois pedir aos alunos, em dupla, que toquem a bola um para o outro na forma do voleio com distância de 2 metros.
Será dada ênfase na importância de manter a bola em jogo, por meio de 2 regras:
1) Controle do movimento. Deverá ser feita a instrução sobre privilegiar o controle invés da força;
 2) Os golpes de base sejam executados sempre iniciando com a cabeça da raquete de baixo para cima. Isso permitirá que as bolas golpeadas não sejam lançadas contra a rede na quadra de tênis.    
 
A última parte da aula será focalizada na aprendizagem das regras do jogo. Os alunos, nesse sentido, serão instruídos sobre os fundamentos do jogo de tênis: forehand (drive); backhand e saque. Esses fundamentos serão demonstrados pelo professor na quadra de modo que será pedido para os alunos que pratiquem os movimentos e que internalizem as regras do jogo.
	VOLTA À CALMA: 
Professor sacando a bola e os alunos enfileirados rebatendo o saque. Os alunos do fim da fila pegam as bolas dispersas na quadra.
	CONSIDERAÇÕES FINAIS:
É observável que a diversidade que há nas habilidades dos alunos, na coordenação motora e no apreço ou desapreço por esse esporte específico devem ser considerados para a vivência do jogo de tênis. Desse modo, o professor deverá organizar os times e as duplas de treino com o cuidado necessário de equilibrar bem essas divergências, misturando alunos com mais facilidade com alunos menos aptos, de modo que os aptos os ajudem.
2° ETAPA: Apresentação do plano de aula ao professor escolhido.
1) Dados institucionais:
Nome da Escola:
Endereço:
Telefone:
E-mail:
Professor:
2) 
Segundo o professor, o espaço disponível para as práticas corporais na escola referida são: quadra poliesportiva e gramado externo. Os equipamentos físicos disponíveis são as traves, a tabela e aros na quadra interna. 
No gramado, há suportes para rede de vôlei improvisado de eucalipto e com rede removível. O estado de conservação da quadra e de seus equipamentos é bom, mas o das redes do gol e de vôlei é regular. 
Os materiais disponíveis para a aula de educação física são as bolas de futsal, de vôlei, de queimada, as redes do gol e de vôlei. Há vários cones para dinâmicas diversas. Há colchonetes, bambolês, cordas, petecas, fitas métricas para medir os alunos e balança para pesá-los.
3) 
Não.
4) 
No breve parecer feito à mão, o educador disse:
“O plano de aula do estudante ...................... é muito bem estruturado, tendo este planejado minimamente cada passo de uma aula de educação física. O método é bem claro e consistente, pois condiz com a realidade de uma boa aula de Educação Física. O grande empecilho que cabe ser destacado é o fato de não haver viabilidade espacial e temporal para a inserção do tênis, pois precisa de infraestrutura e de materiais especializados.”
Quanto à pergunta inerente a aplicação deste plano de aula pelo professor, a resposta foi positiva, pois, segundo ele, “os alunos iriam se empolgar muito com a novidade”.
5) RELATÓRIO
Este presente relatório versa sobre a visita à escola............................, cujo intuito, foi o de dialogar com um docente ativo que leciona atualmente a disciplina de educação física para o ensino fundamental. Tratou-se de uma entrevista com 4 perguntas sobre os espaços e os materiais disponíveis para as aulas e a opinião dele sobre a introdução do tênis nas aulas.
Nesse sentido, a recepção da escola foi boa, pois chamaram o professor para que lhe fosse apresentada a proposta de entrevista e do plano de aula de tênis. O professor, mesmo apressado, ficou atento à proposta e pediu para voltar no dia seguinte às 13:00 horas, pois teria tempo para tal.
No tocante às respostas que o professor deu às perguntas deste presente portfólio, nota-se a prestatividade e praticidade com que ele as respondeu. Houve muita objetividade ao falar dos espaços e materiais que a escola dispõe para que as aulas ocorram. 
Apesar das dificuldades em se conseguir mais materiais, relatou ele, as aulas seguem normalmente o seu cotidiano no âmbito escolar. Ele até sugeriu que poderia ter estrutura para outros esportes como mesas e raquetes de ping-pong e a caixa de areia para a queda do salto à distância.
Sobre os esportes não convencionais, o professor relatou que na região não são comuns a aplicação destes nas aulas de educação física, tendo em vista que a cultura escolar e popular não presam por esses esportes, apesar da curiosidade que alguns alunos expressam em relação ao futebol americano e ao baseball, por exemplo. Disse também, que seria necessário muito investimento por parte do governo para que fosse possível a implantação de esportes e dinâmicas diferentes, como o tênis que exige, por exemplo, bolas específicas, raquetes, espaço apropriado, redes, etc.
Apesar das dificuldades em se aplicar o presente plano de aula ou de outras diversas atividades corporais, o professor relatou que é possível que ocorram aulas que agradem os alunos e que se criem dinâmicas atraentes como eventos esportivos que envolvem as demais escolas em campeonatos dentro e fora da cidade.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
KERR,