Modelo - Julgamento de Recurso Administrativo - Proposta incompatível com as especificações do Edital.
5 pág.

Modelo - Julgamento de Recurso Administrativo - Proposta incompatível com as especificações do Edital.

Pré-visualização2 páginas
JULGAMENTO 
LICITAÇÃO: PREGÃO ELETRÔNICO Nº XX/2019 
PROCESSO: Nº DO PROCESSO 
OBJETO: contratação de empresa para prestação de serviços de impressão de 
documentos via arquivos digital com sistema de gerenciamento de custo, serviço de 
reprografia de documentos (fotocópias) em preto/branco e serviços de encadernação, 
com concessão onerosa de uso de área física para exploração comercial do serviço de 
reprografia e papelaria, visando atender as demandas do \u201cÓRGÃO X\u201d 
RECORRENTE: EMPRESA QUE IMPETROU RECURSO 
RECORRIDA: EMPRESA RECLAMADA 
 
Em XX de maio de 2019, nesta cidade, a Comissão de Licitação do \u201córgão X\u201d, 
realizou análise do Recurso Administrativo interposto pela empresa \u201cXXX\u201d, em face da 
decisão que aceitou e habilitou a empresa \u201cYYYY\u201d. como vencedora do Pregão 
Eletrônico n° 08/2019, oportunidade em que se chegou à seguinte conclusão: 
 
RAZÕES DO RECURSO 
Em síntese, a Recorrente alega que a proposta apresentada pela empresa 
Recorrida é incompatível com o objeto desta licitação, haja vista que as impressoras 
propostas para os itens 2 e 4 não atendem as especificações do Termo de Referência. 
Em relação aos itens supracitados, a empresa Recorrente se posicionou da 
seguinte maneira: 
\u201cA empresa especificou, na primeira proposta enviada, os equipamentos 
sp3510/4310 para o item 2. O equipamento SP3510, de acordo com o site do 
fabricando RICOH, encontra-se DESCONTINUADA (4.2.1.2 a), além disso, 
o processador é de, apenas, 350MHz (4.2.1.2 k), (onde o exigido é de 
600MHz, no mínimo), o tempo de saída da primeira página é de 8 segundo 
(sic) (4.2.1.2 g), (onde o exigido de 7 segundos ou menos) e Memória de 
128MB, (4.2.1.2 l) (onde o exigido é 512MB). O equipamento SP4310 
proposto é somente impressora, (4.2.1.4 a), não atendendo à solicitação do 
Edital que é de um equipamento MULTIFUNCIONAL. Para o item 4, 
especificou o equipamento SPC430 que além de ser somente IMPRESSORA, 
não sendo MULTIFUNCIONAL, (4.2.1.4 a), e, de acordo com o site do 
fabricante RICOH, encontra-se DESCONTINUADA, e não EM LINHA DE 
PRODUÇÃO (4.2.1.4 a).\u201d 
Posteriormente, afirma que o Pregoeiro, ao constatar um erro na planilha da 
proposta apresentada pela empresa vencedora, solicitou o envio de uma nova proposta, 
com a devida reparação. Ocorre que, os modelos ofertados para os itens 2 
(sp3410sf/sf3510) e 4 (SPC430/ mp c3710) também não atendem às especificações 
exigidas no instrumento convocatório. Nas palavras da Recorrente: 
\u201c(...) a sp3710sf tem velocidade de processamento de 400MHz (o exigido é 
de 600MHz, no mínimo) (...) e memória de 256MB (onde o exigido é 
512MB). O equipamento proposto para o item 4 (...) que seria uma 
MULTIFUNCIONAL COLORIDA, (...) encontra-se DESCONTINUADA, 
além de não ser MULTIFNUCIONAL, e a mp´c3710, além de não existir 
essa nomenclatura e que, se existisse, seria uma multifuncional 
MONOCROMÁTICA, não podendo atender, pois, a demanda solicitada que 
é de um equipamento POLICROMÁTICO\u201d. 
Por fim, prezando pelo respeito ao princípio da Vinculação ao Instrumento 
Convocatório, da igualdade entre os licitantes e da isonomia, a Recorrente solicita que a 
Comissão de Licitações revise a decisão que classificou a empresa \u201cYYYY\u201d como 
vencedora do certame. 
 
CONTRARRAZÕES AO RECURSO 
A Recorrida rebate os pontos tidos como controvertidos pela Recorrente, 
alegando que, \u201cao preencher suas propostas, a Contrarrazoante garantiu em todos os 
itens que fará \u2018conforme exigências do termo de referência e do edital\u2019\u201d. 
Além disso, se apoia no princípio do Formalismo Moderado, acórdãos e em 
outros dispositivos normativos para afirmar que poderá \u201cfazer correções por eventuais 
equívocos no preenchimento da proposta\u201d, e solicitar o afastamento do \u201crigor formal\u201d 
no exame da proposta. 
Afirma, ainda, que garantiu, em todas as fases, que cumprirá o objeto da 
licitação, e que possui capacidade técnica e disponibilidade de equipamentos, mantendo 
assim, sua proposta como a \u201cmais vantajosa\u201d. 
Por fim, solicita que o Recurso Administrativo interposto pela empresa \u201cXXX\u201d 
seja desprovido. 
 
MÉRITO 
A Administração Pública, ao materializar o processo licitatório, consubstancia a 
determinação constitucional no que tange à observância dos princípios da legalidade, 
impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência, preconizadas no art. 37, caput. 
Regulamentando o procedimento, a lei 8.666/1993 estabelece a estrita vinculação da 
Administração às normas e condições do instrumento convocatório (Lei nº 8.666/93, 
arts. 3º, 41º e 43º), razão pela qual está adstrita à plena observância de suas disposições, 
não podendo olvidar do seu cumprimento. 
Nesse ínterim, corrobora o doutrinador Marçal Justen Filho: 
[...] O descumprimento a qualquer regra do edital deverá ser reprimido, 
inclusive através dos instrumentos de controle interno da Administração 
Pública. Nem mesmo o vício do edital justifica a pretensão de ignorar a 
disciplina por ele veiculada. Se a Administração reputar viciadas ou 
inadequadas as regras contidas no edital, não lhe é facultado pura e 
simplesmente ignorá-las ou alterá-las [...]. (Justen Filho, Marçal; 
Comentários à lei de licitações e contratos administrativos; 8ª ed., São Paulo, 
Dialética, comentários ao art. 41, pgs. 417/420). 
De início, cumpre ressaltar que o Recurso Administrativo foi interposto no prazo 
e forma legais, tal como previsto no art. 4º, inciso XVIII, da Lei n.º 10.520/2002, pelo 
que deve ser conhecido. 
Da análise do presente recurso, infere-se que as alegações feitas pela empresa 
\u201cXXX\u201d, devem prosperar, podendo ser observado, a seguir, e de forma fundamentada, 
os fatos que levaram a Equipe a esse entendimento. 
1. DA PROPOSTA INCOMPATÍVEL COM O OBJETO DA LICITAÇÃO 
O Edital do certame é claro e vincula todos os licitantes. É a lei da licitação no caso 
concreto, não sendo facultado à Administração usar de discricionariedade para 
desconsiderar determinada exigência do instrumento convocatório. O descumprimento 
das cláusulas constantes no mesmo implica a desclassificação da proposta ou 
inabilitação da licitante, pois, do contrário, estar-se-iam afrontando os princípios 
norteadores da licitação, expressos no art. 3º da Lei n.º 8.666/93: 
Art. 3o A licitação destina-se a garantir a observância do princípio 
constitucional da isonomia, a seleção da proposta mais vantajosa para a 
administração e a promoção do desenvolvimento nacional sustentável e será 
processada e julgada em estrita conformidade com os princípios básicos da 
legalidade, da impessoalidade, da moralidade, da igualdade, da publicidade, 
da probidade administrativa, da vinculação ao instrumento convocatório, do 
julgamento objetivo e dos que lhes são correlatos. 
O item 5.11 do Edital desta licitação dispõe o seguinte: 
A apresentação das propostas implica obrigatoriedade do cumprimento 
das disposições nelas contidas, em conformidade com o que dispõe o 
Termo de Referência, assumindo o proponente o compromisso de executar 
os serviços nos seus termos, bem como de fornecer os materiais, 
equipamentos, ferramentas e utensílios necessários, em quantidades e 
qualidades adequadas à perfeita execução contratual, promovendo, quando 
requerido, sua substituição. 
Além disso, é possível observar, no item 7 do Edital, \u201cDA ACEITABILIDADE 
DA PROPOSTA VENCEDORA\u201d, que: 
[...] 
7.2. Será desclassificada a proposta ou o lance vencedor, nos termos do item 
9.1 do Anexo VII-A da IN SEGES/MP n. 5/2017, que: 
7.2.1 contenha vício insanável ou ilegalidade; 
7.2.2 não apresente as especificações técnicas exigidas pelo Termo de 
Referência; 
7.2.3 apresentar preço manifestamente inexequível. 
Ao analisar a alegação da Recorrente no sentido de que a proposta apresentada