Prevenção e combate a incêndios e explosão - Livro-Texto Unidade IV
51 pág.

Prevenção e combate a incêndios e explosão - Livro-Texto Unidade IV


DisciplinaProjeto de Prevenção e Combate A Incendio121 materiais493 seguidores
Pré-visualização15 páginas
148
GS
T 
- 
Re
vi
sã
o:
 V
ito
r -
 D
ia
gr
am
aç
ão
: F
ab
io
 -
 2
6/
03
/2
01
5
Unidade IV
Unidade IV
7 EXPLOSÃO
Explosão é um processo caracterizado por súbito aumento de volume e grande liberação de energia, 
geralmente acompanhado por altas temperaturas e produção de gases. Uma explosão provoca ondas de 
pressão ao redor do local onde ocorre.
São classificadas em:
\u2022 subsônica \u2013 deflagração (inferior à velocidade do som neste material);
\u2022 supersônica \u2013 detonação, ondas de choque (superior à velocidade do som neste material).
A detonação é um tipo de explosão em que a transformação química ocorre muito rapidamente, 
sendo que a velocidade de expansão dos gases é muito superior à velocidade do som naquele ambiente 
(da ordem de Km/s). Já a deflagração é um tipo de explosão em que a transformação química é bem 
mais lenta, sendo que a velocidade de expansão dos gases é, no máximo, a velocidade do som naquele 
ambiente. Nesse caso, pode se originar a combustão.
A detonação é caracterizada por apresentar picos de pressão elevada em um período extremamente 
curto, enquanto a deflagração comporta-se de maneira oposta.
A sobrepressão gerada a partir de uma explosão pode atingir valores elevados, provocando danos 
destrutivos a edificações e pessoas. A sobrepressão é normalmente expressa em bar, e a tabela a seguir 
apresenta alguns valores característicos de danos às estruturas:
Tabela 31 \u2013 Valores de sobrepressão característicos de danos às estruturas
Sobrepressão (bar) Danos às estruturas
0,3 Catastróficos
0,1 Graves
0,03 100% de ruptura de vidros
0,01 10% de ruptura de vidros
Entende-se por danos catastróficos às estruturas aqueles em que ocorre o seu colapso, deixando o 
local sem condições de uso. Danos graves não comprometem a estrutura como um todo, ou seja, é a 
ocorrência de uma rachadura, queda de telhado, porta danificada (arrancada) etc.
149
GS
T 
- 
Re
vi
sã
o:
 V
ito
r -
 D
ia
gr
am
aç
ão
: F
ab
io
 -
 2
6/
03
/2
01
5
PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIOS E EXPLOSÃO
É importante notar que o valor de 0,3 bar representa 3 metros de coluna d\u2019água, que é um valor 
que normalmente não provoca \u201cdanos\u201d às pessoas. Isto significa que as pessoas são mais resistentes à 
sobrepressão do que as estruturas, uma vez que o homem não é uma estrutura rígida, permitindo, dessa 
forma, que o impacto seja absorvido pelo organismo.
O dano mais comum provocado por uma explosão ao homem é a ruptura de tímpano, que ocorre a 
valores acima de 0,4 bar de sobrepressão.
Por ser a explosão um fenômeno extremamente rápido e incontrolável, as medidas a serem 
desencadeadas durante o atendimento a acidentes com produtos desse tipo deverão ser de caráter 
preventivo. Tais medidas incluem o controle dos fatores que podem gerar um aumento de temperatura 
(calor), choque e fricção.
Em casos de incêndio, além do risco iminente de explosão, pode-se ter a emanação de gases tóxicos e/
ou venenosos. Nesses casos, a proteção respiratória adequada é o equipamento autônomo de respiração 
a ar comprimido, além de roupas especiais.
Nos incêndios envolvendo substâncias explosivas, estes equipamentos oferecem proteção limitada 
devido à natureza do produto, ou seja, são eficientes apenas para a proteção contra gases gerados pelo 
incêndio, e não para os efeitos decorrentes de uma eventual explosão.
Outro aspecto importante diz respeito ao atendimento, em que a explosão já tenha ocorrido. De 
acordo com as características do produto envolvido, nem toda carga envolvida pode ter sido consumida 
pela explosão, podendo, portanto, haver produtos intactos nas imediações do local, razão pela qual a 
operação de remoção dos explosivos deve ser realizada sempre manualmente e com todo o cuidado 
requerido.
7.1 Tipos de explosão
As explosões podem ser de três tipos: mecânicas, nucleares e químicas. Destacamos a seguir cada 
uma delas:
\u2022 Mecânicas: provocadas pelo alívio descontrolado de pressão (exemplo: à medida que uma panela 
de pressão aquece um líquido, haverá o aumento do volume da molécula desse líquido, o que 
resultará em uma explosão, caso não haja saída para a pressão).
\u2022 Nucleares: provocadas pela fissão do átomo (exemplo: a transformação em nível atômico ocorrerá 
devido ao bombardeio de um nêutron ao núcleo do átomo de urânio, resultando na fissão do 
núcleo do átomo, acompanhado de altas temperaturas, elevada pressão e de uma nuvem de 
radiação).
\u2022 Químicas: provocadas por reações e transformações químicas.
150
GS
T 
- 
Re
vi
sã
o:
 V
ito
r -
 D
ia
gr
am
aç
ão
: F
ab
io
 -
 2
6/
03
/2
01
5
Unidade IV
Pelo fato de o curso abranger a área segurança do trabalho, estudaremos um pouco mais sobre a 
explosão química. 
7.2 Subdivisão das explosões químicas
As explosões químicas subdividem-se em combustão, deflagração e detonação.
\u2022 Combustão
Ocorre a uma velocidade de transformação abaixo de 100 m/s. A camada se volatiliza e inflama ao 
atingir o ponto de fulgor. Há necessidade de oxigênio para continuar a reação.
\u2022 Deflagração
Ocorre a uma velocidade de transformação acima de 100 e abaixo 1.000 m/s. A propagação da 
reação ocorre por condução térmica (a partícula que se queima transmite calor à adjacente, que se 
queima ao atingir a temperatura de explosão).
\u2022 Detonação
Ocorre a uma velocidade de transformação acima de 1.000 m/s. A propagação da reação se dá por 
ondas de choque. A partícula que explode cria uma onda de alta pressão, a qual aquece e detona a 
partícula adjacente.
7.3 Efeitos de uma explosão
Os efeitos da explosão são divididos em efeitos primários, efeitos secundários e efeitos sobre o corpo 
humano. 
7.3.1 Efeitos primários
Os efeitos primários são aqueles diretamente relacionados ao momento primário da explosão, em 
que todos os fenômenos resultam de um mesmo fenômeno. Assim, apresentam-se:
\u2022 onda positiva \u2013 a onda positiva \u201cempurra\u201d o ar, gera o vácuo e vai enfraquecendo até sua força 
equiparar-se com a força da pressão atmosférica;
\u2022 onda negativa \u2013 ocorre quando a pressão atmosférica retorna na direção do epicentro da explosão, 
eliminando o vácuo deixado pela onda positiva.
7.3.2 Efeito da fragmentação
 Ocorre quando a pressão da explosão desloca o ar, resultando em lançamento de fragmentos.
151
GS
T 
- 
Re
vi
sã
o:
 V
ito
r -
 D
ia
gr
am
aç
ão
: F
ab
io
 -
 2
6/
03
/2
01
5
PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIOS E EXPLOSÃO
7.3.3 Efeito térmico
Esse efeito é diretamente relacionado ao fogo e ao aumento da temperatura no local e momento 
da explosão.
7.3.4 Efeitos secundários
Os efeitos secundários são aqueles que acontecem por influência por obstáculos. Aqui se destacam 
a reflexão e a convergência, que são diretamente relacionados aos obstáculos pelos quais a onda de 
choque é influenciada, o que resultará na mudança de direção ou da reflexão dessa onda. 
7.3.5 Efeitos sobre o corpo humano
Os efeitos sobre o corpo humano podem ser os seguintes:
\u2022 hemotórax (sangue na cavidade torácica);
\u2022 pneumotórax (ar livre na cavidade torácica);
\u2022 distensão dos pulmões;
\u2022 ruptura de vísceras (bexiga, fígado, rins, baço, alças intestinais);
\u2022 ruptura de tímpano;
\u2022 fratura de ossos;
\u2022 queimaduras;
\u2022 dilacerações;
\u2022 perfurações; 
\u2022 lesões múltiplas.
7.4 Áreas classificadas \u2013 atmosfera explosiva
É uma mistura de substâncias inflamáveis na forma de gases, vapores, poeiras ou fibras com ar (ou 
oxigênio). Sob condições atmosféricas, na presença de uma fonte de ignição, a combustão se propaga 
e provoca a explosão.
7.4.1 Classificação de áreas
Uma área pode ser nomeada como classificada ou não classificada. 
\u2022 Área classificada: é aquela em que está presente ou que se pode