Port 05 - Fios Cirúrgicos
4 pág.

Port 05 - Fios Cirúrgicos


DisciplinaEnsino Clínico V641 materiais2.675 seguidores
Pré-visualização2 páginas
A
C
ER
V
O
 D
E 
ED
W
A
LL
A
C
E 
A
M
O
R
IM
 
A
C
ER
V
O
 D
E 
ED
W
A
LL
A
C
E 
A
M
O
R
IM
 
A
C
ER
V
O
 D
E 
ED
W
A
LL
A
C
E 
A
M
O
R
IM
 
 
PORTFÓLIO 05 
 
FIOS CIRÚRGICOS 
PROFª Sílvia Sandes CURSO Enfermagem DISCIPLINA Ens. Clínico V Prático 
ALUNOS \uf0b7 Edwallace Apolinário de Amorim 
PERÍODO 7.° TURMA DATA 13.05.2014 NOTA 
 
 
ORIENTAÇÕES: 
\uf0b7 Portfolio é uma técnica pedagógica que permite avaliar o progresso dos alunos de forma 
contínua, através do registro das aulas, de forma objetiva, desde a preparação até a 
conclusão. 
\uf0b7 LEMBRAR DE COLOCAR O REFERENCIAL TEÓRICO. 
\uf0b7 PODE SER DESENVOLVIDO DE FORMA INDIVIDUAL OU EM DUPLA. 
 
ESTUDO DIRIGIDO 
 
1) O que significa sutura? (VALE: 0,05) 
2) Descreva as características físicas: Manuseio e Reação Tecidual dos fios 
cirúrgicos e explique cada uma. (VALE: 0,2) 
3) Qual a classificação do fio de sutura? Exemplifique. (VALE: 0,05) 
4) Conceitue fios monofilamentados e multifilamentados. Cite 03 exemplos de 
cada. (VALE: 0,1) 
5) Conceitue e exemplifique fios biológicos (absorvíveis e não absorvíveis) e 
sintéticos (absorvíveis e não absorvíveis). (VALE: 0,1) 
6) Qual a cor da caixa de embalagem e qual o fio corresponde cada uma delas? 
(VALE: 0,05) 
7) Cite 05 exemplos de fios cirúrgicos (pode ser monofilamentado, 
multifilamentado, biológico e sintético) e indique qual estrutura pode ser 
suturada por eles. (VALE: 0,1) 
8) Quais as partes que divide as agulhas cirúrgicas, sua classificação e 
conceitue cada uma delas? (VALE: 0,1) 
9) Exemplifique qual(is) local(is) utiliza as agulhas traumáticas e atraumáticas. 
(VALE: 0,05) 
10) Quais as complicações cirúrgicas encontradas nas suturas operatórias? 
(VALE: 0,1) 
 
 
 
A
C
ER
V
O
 D
E 
ED
W
A
LL
A
C
E 
A
M
O
R
IM
 
A
C
ER
V
O
 D
E 
ED
W
A
LL
A
C
E 
A
M
O
R
IM
 
A
C
ER
V
O
 D
E 
ED
W
A
LL
A
C
E 
A
M
O
R
IM
 
RESPOSTAS 
 
1. É a união de tecidos, que será mais perfeita quanto mais anatômica for à separação, para facilitar 
o processo de cicatrização e restabelecer a continuidade tecidual por primeira intenção. 
 
2. A configuração física refere-se à composição dos fios quanto aos seus filamentos. O fio pode ser 
monofilamentar como, por exemplo, fio de nylon ou multefilamentar a exemplo da linda de 
costura. A capilaridade refere-se à capacidade absorção de líquidos ao longo do fio cirúrgico, os 
multilimamentares uma maior superfície de capilaridade em relação aos monofilamentares por 
tanto apresentam maior aderência microbiana. O diâmetro é determinado em milímetros e 
expresso em tamanhos com o número de zeros. Quanto maior o diâmetro maior o número de 
zeros. A numeração varia de sete (mais grossos com diâmetro mínimo de 0,90 mm e máximo de 
0,999 mm) até dez zeros (mais fino com diâmetro mínimo de 0,020 mm e máximo de 0,029 mm). 
A força de tensão é a quantidade de força necessária para a ruptura do fio que varia de acordo 
com o tipo de material de constituição do fio. A força do nó, é a força necessária para fazer que 
um certo tipo de nó deslize parcial ou completamente, os fios multifilamentares apresentam 
coeficiente de atrito mais elevado que os monofilamentares (que possuem um deslize muito 
bom, porém sua fixação é menos segura, sendo necessário a utilização de nós duplos) permitindo 
assim uma fixação mais segura do nó. A elasticidade é a capacidade inerente do fio cirúrgico de 
recuperar a forma e o comprimento originais depois de um estiramento, essa elasticidade 
contribui para diminuir a possibilidade de romper as bordas da incisão cirúrgica ou favorecer 
uma estenose em sutura vascular. A memória é a capacidade que o fio cirúrgico tem de retornar 
a sua forma original após ser deformado, geralmente após o nó. Quando o fio cirúrgico apresenta 
alta memoria, consequentemente oferece menor segurança do nó. O manuseio de um fio 
cirúrgico se dá tanto a rigidez se ele pode ser facilmente dobrado, como o coeficiente de ficção 
que é o seu deslizamento no tecido e dar o nó, o fio com coeficiente de ficção muito alto tende a 
deslizar com dificuldade através do tecido, e se torna mais difícil de dar o nó por que o mesmo 
não se mantem. E a reação tecidual se dá por se tratarem de uma substancia estranha, então 
todo fio cirúrgico causa certa reação tecidual que começa no momento em que o fio agride o 
tecido durante sua introdução e pode persistir de acordo com sua composição, a reação persiste 
até que o fio cirúrgico seja encapsulado, e isso ocorre quando ele é constituído por material não-
absorvível, ou seja absorvido pelo corpo quando se constitui de material absorvível. 
 
3. De forma genérica os fios de sutura se classificam em absorvíveis e não-absorvíveis. 
\uf0b7 Absorvíveis: são fagocitados, hidrolizados, degradados e assimilados pelo tecido em que 
estão implantados. 
\uf0b7 Não-absorvíveis: são resistentes a digestão enzimática em tecido animal vivo. 
 
4. Os fios cirúrgicos monofilamantares, consiste apenas de um filamento a exemplo do (categute 
simples, categute cromado e o nylon). Os multifilamentares contem varias fibras trançadas ou 
interlaçadas compondo um único fio a exemplo do (algodão, seda e aço inoxidável). 
 
5. Os fios cirúrgicos absorvíveis biológicos, conhecidos como categute que atualmente são obtidos 
da mucosa do intestino delgado de ovinos ou serosa de bovinos, podem ser classificados em 
simples que apresentam absorção mais rápida em torno de oito dias ou cromados que tem 
absorção mais lenta em torno de vinte dias sendo tratado com bicarbonato de potássio. 
Os fios cirúrgicos não-absorvíveis biológicos são derivados de celulose de baixo custo a exemplo 
do algodão, são de fácil esterilização e de pouca reação tecidual. O fio de seda que é de origem 
animal obtido de diversas espécies do bicho-da-seda, suas fibras são retorcidas ou trançadas e 
podem passar pro processo de enceramento para diminuir sua capilaridade, apresenta fácil 
manuseio, boa resistência a tração e segurança na fixação do nó. 
Os fios cirúrgicos absorvíveis sintéticos feitos de material sintético obtido por meio de 
polimerização do ácido glicólico, de fácil manuseio, forte, flexível e de boa tolerância. 
Os fios cirúrgicos não-absorvíveis sintéticos poliamida, caracteriza-se pela elasticidade e 
resistência água, pode ser mono ou multifilamentar é de pouca reação mais de difícil 
 
 
A
C
ER
V
O
 D
E 
ED
W
A
LL
A
C
E 
A
M
O
R
IM
 
A
C
ER
V
O
 D
E 
ED
W
A
LL
A
C
E 
A
M
O
R
IM
 
A
C
ER
V
O
 D
E 
ED
W
A
LL
A
C
E 
A
M
O
R
IM
 
manipulação. Poliester o fio é de forma simples revestido de teflon ou siliconizado, de difícil 
manejo por ser corrediço, para que isso não ocorra normalmente é adicionado o teflon e silicone, 
mas esses materiais podem se dissociar e provocar reação tecidual. Polopropileno, fio derivado 
de poliefinas não-biodegradaveis e tem sido recomendado um tipo de monofilamento para 
síntese de feridas contaminadas devido à reação tecidual mínima e alta resistência de tração. 
Metálicos, constituídos por aço inoxidável e tântalo sendo o segundo menos resistente que o 
primeiro, são de fácil esterilização bem tolerados, de espessura variável mono e multifilamentar. 
 
6. Fios e cores das embalagens: 
 
ESPECIFICAÇÕES COR DA EMBALAGEM TIPO 
Algodão com Poliéster Rosa Não Absorvíveis 
Polidioxanona Cinza Absorvíveis 
Catgut Cromado Marrom Absorvíveis 
Catgut Simples Amarelo Absorvíveis 
Linho Rosa Claro Não Absorvíveis 
Nylon Verde-hortelã Não Absorvíveis 
Poiglecaprone 25 Salmão Absorvíveis 
Poliglactina
Carregar mais