A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
FATORES DE MOVIMENTO SEGUNDO LABAN

Pré-visualização | Página 1 de 1

�
NOME DO CURSO
 
	Disciplina: 
	Ginásticas, Atividades Rítmicas e Expressivas
	Tutor: 
	Maria Cecilia Lieth Machado Bonacelli
	RA:
	8079357
	Aluno(a):
	 Jéssica Rodrigues Cupian
	Turma:
	DGEFL1901CGRA0O
	Unidade:
	São Paulo
Descrição da atividade
Dentre os componentes gímnicos, encontramos os fundamentos da ginástica, os quais
são a base gestual da ginástica. Trabalhos com diferentes tipos de deslocamentos, saltos,
rotações (giros e rolamentos), balanços, equilíbrios e ondas. Pérez Gallardo (1999, p. 31) sugere o trabalho com as "diferentes formas de ginástica: natural, construída, localizada, aeróbica, artística, acrobática, rítmica entre outras". Todos esses fundamentos possuem diferentes maneiras de execução (padrões de movimento) e todas elas podem variar. Essas "atitudes corporais na experiência do movimento" foram identificadas por Laban (1971), estando presentes em toda a movimentação humana, como os "fatores de movimento". (VOLP; GASPARI, 2014, p. 115). Elabore um texto de uma página discorrendo sobre: quais são estes fatores (identificados por Laban,) dando as características de cada um deles.
Fatores do movimento
	Laban baseou-se no paradigma de que o movimento humano é sempre constituído dos mesmos elementos, seja na arte, no trabalho, na vida cotidiana. Desenvolveu todo um estudo sobre os elementos que constituem o movimento e a sua utilização, dando ênfase aos aspectos psíquicos e fisiológicos , que levam o ser humano ao movimento. Sua metodologia e a profundidade do seu estudo, nos auxilia a entender o ser humano através do movimento , nos mais diversos aspectos e pode ser aplicada nos diversos setores da atividade humana além da educação física, como por exemplo: artes, educação, trabalho, psicologia, sociologia, etc. 
Podemos observar que o ser humano, movimenta-se para satisfazer alguma necessidade, realizando a satisfação de algum desejo, de algo que lhe tenha valor. Os fatores do movimento abrangem as atitudes corporais na experiência do movimento, e são divididos em 4 fatores, sendo eles: espaço, tempo, peso e fluência.
O espaço é onde se realiza o movimento. O movimento pode ser realizado para frente, para trás, para o lado ou diagonais; nos níveis, ou planos alto, médio e baixo, se deslocando ou não na kinesfera. Espaço também remete a idealizar movimentos em diversos lugares (cozinha, rua, academia, clube, escola e etc.). Tempo, remete a demora que se realiza o movimento, de acordo com uma designação rítmica, o movimento pode ser rápido, lento ou moderado. Tempo também pode remeter à época, momento histórico específico (século, década ou ano). Equivale a dizer quando o movimento se realiza. Peso é a intensidade que se atribui ao movimento (forte, fraco, leve ou pesado). A gravidade exerce força sobre os corpos e por meio do treinamento, pode-se atingir um controle sobre o corpo, a ponto de cair e levantar-se parecendo que o corpo está alheio a gravidade. Equivale a dizer que uma pessoa se movimenta rítmica e expressivamente tão pesada como um elefante ou tão leve como uma folha; tão forte como um soco aplicado no rosto do adversário em uma luta, de forma raivosa ou tão fraco como um doente. Fluência dá a ideia de movimento que tenha continuidade ou, inversamente, a falta de fluência corresponde à interrupção do movimento. Um movimento contínuo corresponde ao movimento que termina no próximo, emendado, começando o outro de modo quase imperceptível (fluido, contínuo, ligado) ou, inversamente, antes mesmo dele terminar há um corte e se percebe outro (movimento interrompido). A fluência pode ser desembaraçada, livre de um lado ou embaraçada, controlada de outro. É bom compararmos o movimento fluido contínuo como as águas do mar que vem e que voltam sem interrupção e o movimento interrompido como a respiração humana que está contínua, mas ao levar um susto normalmente por um momento se interrompe e é seguida por uma respiração mais acelerada, houve uma interrupção da continuidade fluida da respiração.
REFERÊNCIAS
 FERNANDES, Claudia. O sistema de Laban. Arte e sociedade, São Paulo, 12 de maio de 2019. Disponível em: <https:// http://blogdoarteesociedade.blogspot.com/>. Acesso em 12 de maio de 2019. 
VOLP, C. M.; GASPARI, T. C. Atividades Rítmicas e Expressivas.
Batatais: Claretiano, 2014.