Psicologia Aplicada à Nutrição - Slides de Aula - Unidade I
30 pág.

Psicologia Aplicada à Nutrição - Slides de Aula - Unidade I


DisciplinaPsicologia Aplicada à Nutrição378 materiais1.445 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Profa. Dra. Najla Kamel
UNIDADE I
Psicologia Aplicada 
à Nutrição
\uf0a7 Compreender o que é Psicologia.
\uf0a7 Seus principais conceitos.
\uf0a7 Como essa área da ciência se relaciona com a área da Nutrição.
Objetivos da disciplina
\uf0a7 Importância da multidisciplinaridade.
\uf0a7 Ser biopsicossocial.
\uf0a7 Estabelecimento do diálogo: confiança entre as partes.
\uf0a7 Apenas a técnica não é suficiente.
Psicologia e Nutrição
\uf0a7 Reconhecida no século XIX (capitalismo).
\uf0a7 Inicialmente ciência da alma.
\uf0a7 Posteriormente, entendida como ciência do comportamento humano.
\uf0a7 Objeto de estudo: a subjetividade.
Psicologia como ciência
\uf0a7 Estruturalismo: estudo da estrutura consciente da mente; método da introspecção.
\uf0a7 Funcionalismo: além das estruturas, a mente está em interação com 
o meio ambiente.
\uf0a7 Associacionismo: teoria da aprendizagem que se dá por meio da 
associação de ideias.
Escolas psicológicas
Psicanálise:
\uf0a7 Freud.
\uf0a7 Conceito de inconsciente.
\uf0a7 Ser humano perverso e \u201cdoente\u201d.
\uf0a7 Mecanismos de defesa.
\uf0a7 Aparelho psíquico: id, ego e superego.
Escolas psicológicas (continuação)
Behaviorismo:
\uf0a7 Watson e Skinner.
\uf0a7 Experiências com ratos.
\uf0a7 Condicionamento: estímulo \u2013 resposta.
\uf0a7 Reforço positivo.
\uf0a7 Reforço negativo.
Escolas psicológicas (continuação)
Gestalt:
\uf0a7 Percepção: fenômeno da ilusão de ótica.
\uf0a7 Relação: figura e fundo.
Escolas psicológicas (continuação)
\uf0a7 Psicologia social: interações dos indivíduos com os grupos.
\uf0a7 Psicologia cognitiva: interesse na cognição, processos mentais, aprendizagem.
\uf0a7 Psicologia humanista: centrada na pessoa e não no comportamento.
\uf0a7 Psicologia do desenvolvimento: teoria da aprendizagem (Piaget).
Escolas psicológicas (continuação)
A escola psicológica conhecida como \u201cPsicologia da forma\u201d é uma teoria 
da Psicologia que considera os fenômenos psicológicos como um conjunto 
autônomo, indivisível e articulado na sua configuração, organização e lei 
interna. Assinale a alternativa que nomeia corretamente essa escola psicológica:
a) Psicanálise.
b) Humanismo.
c) Estruturalismo.
d) Behaviorismo.
e) Gestalt.
Interatividade
\uf0a7 Conjunto de características que diferenciam os indivíduos.
\uf0a7 São estáveis e previsíveis em condições normais.
\uf0a7 Temperamento, inteligência, caráter e modo de se comportar.
\uf0a7 Ela evolui de acordo com a organização interna.
\uf0a7 Portanto, ela se modifica.
Personalidade
Gordon Allport:
\uf0a7 Traços cardinais.
\uf0a7 Traços centrais.
\uf0a7 Traços secundários.
Teoria dos Traços
\uf0a7 Alteração do estado de uma pessoa.
\uf0a7 Conduz para um comportamento voltado a um objetivo.
\uf0a7 Processo: estímulo \u2013 necessidade \u2013 motivação.
\uf0a7 Teoria de Maslow.
Motivação
Teoria Hierárquica das Necessidades:
\uf0a7 Fisiológicas.
\uf0a7 Segurança.
\uf0a7 Pertencimento.
\uf0a7 Estima.
\uf0a7 Autorrealização.
Teoria de Maslow
Maslow, para o conceito de motivação, criou a Hierarquia das Necessidades. 
Qual das alternativas não apresenta uma necessidade de acordo com a sua teoria?
a) Fisiológica.
b) Ser diferente.
c) Pertencimento.
d) Segurança.
e) Estima.
Interatividade
\uf0a7 Imagem corporal: representação mental de nosso corpo físico.
\uf0a7 Autoimagem: é o que pensamos de nós.
\uf0a7 Autoestima: sentimentos que temos sobre nós.
Percepção
\uf0a7 A fase da adolescência é considerada o período mais crítico para a formação da 
imagem corporal. As transformações corporais ocorrem de maneira muito rápida e, 
na maior parte das vezes, as maturidades psicológica e a mental não 
acompanham as mudanças físicas.
\uf0a7 Nessa fase é que encontramos uma maior frequência de distúrbios alimentares.
A fase da adolescência
\uf0a7 O profissional deve ficar atento ao seu paciente, pois recuperar-se pode 
representar algo que não condiz com o seu \u201cmerecimento\u201d.
\uf0a7 A percepção do mundo é diferente para cada um de nós, cada pessoa percebe um 
objeto ou uma situação de acordo com os aspectos que têm especial importância 
para si própria. 
\uf0a7 As percepções são normais se realmente correspondem àquilo que o observando 
vê, ouve e sente; contudo, podem ser deficientes, se houver ilusões dos sentidos 
ou mesmo alucinações. 
Portanto
\uf0a7 Percepção é a função cerebral que atribui significado a estímulos sensoriais, 
a partir de histórico de vivências passadas. Por meio da percepção, um indivíduo 
organiza e interpreta as suas impressões sensoriais para atribuir significado 
ao seu meio.
\uf0a7 Consiste na aquisição, na interpretação, na seleção e na organização das 
informações obtidas pelos sentidos. 
Neurociência
Como denominamos o processo mental que ocorre no cérebro, relativo à 
organização e à interpretação das informações sensoriais, a fim de 
compreendermos o que ocorre ao nosso redor?
a) Pensamento.
b) Memorização.
c) Imaginação.
d) Percepção.
e) Sensação.
Interatividade
\uf0a7 Neuroses: de histeria, angústia, obsessiva.
\uf0a7 Psicoses: maníaco depressiva, esquizofrênica, paranoica.
\uf0a7 Perversões: busca da satisfação sexual além dos limites. Sádico, masoquista.
Comportamentos divergentes
\uf0a7 Neurose, também conhecida como psiconeurose ou distúrbio neurótico, é um 
termo que se refere a qualquer desequilíbrio mental que causa angústia e 
ansiedade; porém, ao contrário da psicose e algumas outras desordens mentais, 
não impede ou afeta o pensamento racional.
\uf0a7 O sintoma definitivo é ansiedade. Tendências neuróticas são comuns e podem se 
manifestar como depressão, ansiedade aguda ou crônica, tendências obsessivas-
compulsivas, fobias e até desordens de personalidade. Neurose não deve ser 
confundida com psicose, a qual se refere à perda de contato com a realidade. 
Neurose
\uf0a7 Neurose obsessiva: geralmente são pessoas que se defendem do mundo que os 
angustia por suas surpresas e por suas contingências, permanecendo nos limites 
das normas sociais, do senso comum. Quem sofre dela tenta resolver os conflitos 
internos entre a lei e o desejo. O conflito entre a obediência à lei e o desejo pode 
levar o sujeito, por exemplo, a apresentar sintomas comportamentais repetitivos ou 
a viver paralisado por dúvidas e pelo medo de agir.
Tipos de neuroses
\uf0a7 Neurose histérica: pressupõe uma posição diante da lei do desejo que questiona 
sua legitimidade. Inconscientemente, a pessoa que sofre de histeria quer ser 
chamado à ordem. Acredita que um dia vai realizar seu desejo dentro da 
civilização que, por hora, nega-lhe essa realização. Característica para a neurose 
histérica é a insatisfação generalizada, rebeldia, a falta de concentração. Muitas 
vezes, a insatisfação se converte em dores no corpo sem fundo orgânico.
Tipos de neuroses (continuação)
\uf0a7 Neurose de angústia: cujo traço principal é a fobia causada por objetos, tem sua 
origem no mesmo fato que é causa das histerias histérica e obsessiva, ou seja, o 
desejo sexual infantil recalcado. No fundo, o que causa a neurose de angústia é o 
medo de castração, medo da sexualidade que pode, frequentemente, manifestar-
se na adolescência.
Tipos de neuroses (continuação)
\uf0a7 A psicose é um distúrbio psiquiátrico grave em que o paciente perde contato com a 
realidade, emite juízos falsos (delírios), podendo também apresentar alucinações 
(ter percepções irreais quanto à audição, à visão e ao tato), distúrbios de conduta, 
levando à impossibilidade de convívio social, além de outras formas bizarras de 
comportamento. 
\uf0a7 As psicoses podem ter várias origens: por lesões cerebrais, tumores cerebrais, 
esquizofrenia, tóxicos, álcool, infecções, traumas emocionais etc. Algumas 
psicoses são incuráveis, outras apresentam cura 
completa, quase sempre requer tratamento à base de 
psicotrópicos, nem sempre é necessária a internação. 
Psicose
\uf0a7