A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
MODELO COPIA

Pré-visualização | Página 1 de 2

Sistema
 de Ensino Presencial Conectado
BACHARELADO EM CIÊNCIA
S
 CONTÁBEIS
produção textual
 
interdisciplinar grupo 
AMBIENTE EMPRESARIAL
Várzea Grande
 / MT 
2019
produção textual interdisciplinar grupo 
AMBIENTE EMPRESARIAL
Trabalho interdisciplinar apresentado à Universidade Norte do Paraná - UNOPAR, como requisito parcial para a obtenção de média semestral
 das disciplinas de: Gestão de Pessoas, Matemática Financeira, Planejamento Estratégico, Responsabilidade Social e Ambiental, Metodologia Cientifica. 
Professores do semestre: Monica M.Silva, Hallynnee H.Rosseto, Henry T. Nonaka, Fábio. L.Z Coltro, Regina Celia Adamuz.
Várzea Grande
 / MT
2019
SUMÁRIO
	
1 INTRODUÇÃO	03
2ROTINAS TRABALHISTAS	04
3RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO E AVISO PRÉVIO	05
4TENSÕES NO AMBIENTE DE TRABALHO	07
5ANÁLISE MERCADOLÓGICA	09
6PROCESSO CONTÁBIL	10
7DIVERSIDADE CULTURAL	13
8CONSIDERAÇÕES FINAIS	14
REFERÊNCIAS	15
1INTRODUÇÃO
Para empregado e empregador, uma das grandes dificuldades na relação no momento da rescisão de Contrato de Trabalho. Assim, este trabalho tem o intuito de trazer algumas pontuações sobre esta questão do ambiente de trabalho que afligem muitas pessoas no ambiente da organização.
Também será mencionado sobre o tema de estresse organizacional e se este fator é sempre ruim ou se existe o estresse bom e quais são as causas deste mal que afeta os funcionários e também os gestores das empresas.
Por final, será abordado o tema diversidade cultural, e como as organizações devem lidar com as diferenças no contexto globalizado em que as organizações estão inseridas.
2. DESENVOLVIMENTO
2.1 ROTINAS TRABALHISTAS
No Brasil, a legislação do Trabalho é constituída pela consolidação das Leis de Trabalho e por normas jurídicas a ela complementares. Trazcomo objeto regular as relações entre empregados e empregadores, estabelecendo direitos e deveres recíprocos. 
De acordo com o art. 442 da Consolidação das Leis do trabalho, o contrato de trabalho “é o acordo tácito ou expresso, correspondente à relação de emprego”. O conceito de Contrato de Trabalho, conforme Oliveira (1996, p.23) “acordo tácito e expresso, verbal ou por escrito e por prazo determinado ou indeterminado, que corresponde a uma relação de emprego”.
O contrato de prestação de serviço é aquele em que o prestador, se obriga para com a outra, o tomador, a fornecer-lhe a prestação de uma atividade, mediante remuneração. Conforme prega o artigo 594 do Código Civil que, “toda a espécie de serviço ou trabalho lícito, material ou imaterial, pode ser contratada mediante retribuição”.
Desta forma, na doutrina civilista, “seja qual for a sua natureza, qualquer serviço, desde que lícito, pode ser objeto do aludido contrato, não se fazendo distinção entre trabalho braçal ou intelectual”. (GONÇALVES, 2008, p. 336). Sendo os elementos essenciais do contrato de prestação de serviço: objeto, remuneração e consentimento.O objeto menciona a prestação da atividade humana, que pode ser intelectual, material ou física. 
Cabe mencionar que no Direito do Trabalho as partes, em especial o empregador, devem respeitar o salário mínimo estabelecido pela Constituição da República e pela CLT.[2: DECRETO-LEI N.º 5.452, DE 1º DE MAIO DE 1943. Aprova a Consolidação das Leis do Trabalho.]
Há que se observar, porém, as cláusulas gerais que dizem respeito à função social do contrato, o princípio da boa-fé objetiva e o equilíbrio das prestações, consoante artigos, sendo “inadmissível que a remuneração seja inadequada para os fins propostos.” (TEPEDINO, Gustavo et al. 2006, p. 595).
3 RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO E AVISO PRÉVIO
A rescisão do contrato de trabalho é a interrupção das relações de trabalho entre empregado e empregador, e podem ocorrer diversos tipos de rescisão de contrato de trabalho, onde poderá haver ou não indenização ao empregado. 
Como consta no portal do Ministério do Trabalho,
A partir de 1º de fevereiro de 2013, todas as rescisões de contrato de trabalho deverão utilizar o novo modelo do Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho (TRCT), instituído pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) por meio da Portaria 1.057/2012. [3: http://portal.mte.gov.br/ass_homolog/novo-termo-de-rescisao-do-contrato-de-trabalho.htm]
Em conjunto com o novo termo deverão ser utilizados os formulários a seguir: Termo de Quitação para as rescisões de contrato de trabalho com menos de um ano de serviço e o Termo de Homologação para as rescisões com mais de um ano de serviço.
Segundo Sanchez (1993, p.20) para a homologação da rescisão do Contrato de Trabalho, é necessário os seguintes documentos: 
1 – Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho, em 4 (quatro) vias, sendo as (três) primeiras vias para o empregado (uma para ele e as outras duas destinadas ao saque do Fundo de garantia por Tempo de Serviço) e a 4ª (quarta) via para o empregador; 
2 – Carteira de Trabalho e Previdência Social – CTPS, com as anotações devidamente atualizadas; 
3 – Registro de empregado, em livro ou ficha, ou cópia dos dados obrigatórios do registro de empregados, quando informatizados, nos termos da Portaria MTPS nº 3.626/91; 
4 – Comprovante do Aviso-Prévio se tiver sido dado, ou do pedido de demissão, quando for o caso; 
5 – Cópia do acordo ou convenção coletiva de trabalho ou sentença normativa se houver; 
6 – As duas últimas Guias de Recolhimento do fundo de garantia por Tempo de Serviço, ou extrato bimestral atualizado da conta vinculada; 
7 – Comunicação de dispensa – CD, para fins de habilitação ao Seguro Desemprego, na hipótese de rescisão do contrato de trabalho sem justa causa; 
8 – Requerimento do Seguro desemprego, na hipótese do inciso anterior; 
9 – Procuração ou carta de credenciamento; 
Lembra-se, todavia, que os sindicatos costumam exigir outros documentos.
O aviso prévio, segundo Paula (1988, p. 41) é um mecanismo de proteção direcionado ao patrão e aos empregados contra eventuais inconvenientes de uma rescisão repentina do contrato de trabalho. O empregado estaria protegido porque teria mais tempo para encontrar outra colocação no mercado de trabalho. Já o patrão estaria protegido porque teria mais tempo para substituir o empregado que se demitiu.
O Aviso Prévio não é propriamente uma verba rescisória, e sim uma “notificação de uma das partes à outra, no contrato de prazo indeterminado, informando-a da cessação do mesmo contrato ao fim de determinado prazo”, como descreve Fórmica (1997, p.67).
Segundo Reis (2009), 
[…] de acordo com o § 1º do artigo 477 da Consolidação das Leis do Trabalho, o pedido de demissão ou o recibo de quitação do contrato de trabalho de empregado com mais de 1 (um) ano de serviço somente é valido quando homologado pelo sindicato da categoria ou Ministério do Trabalho e Emprego. (p. 130)
Segundo Delgado (2007), de acordo com a CLT, existem duas modalidades de pré-aviso, classificados conforme cumprimento do seu prazo: mediante labor ou não, caso em que o respectivo período se torna indenizado (p.1177). Sendo assim, empreende-se que no ordenamento jurídico brasileiro, existem duas modalidades de aviso prévio. 
O aviso prévio pode ser trabalhado ou indenizado. No aviso prévio trabalhado, independentemente de que quem tiver dado o aviso, o empregado terá que trabalhar por pelo menos 30 dias. N aviso prévio indenizado o empregado não trabalhará os 30 dias que a lei prevê para que o contrato de trabalho seja extinto. Conforme Martins (2004), dentro do aviso indenizado pode ainda haver o aviso prévio “cumprido em casa”, no qual o empregador poderá não exigir o trabalho, mas em contrapartida deverá pagar a remuneração do período respectivo e observar o prazo de quitação rescisória a partir da comunicação e não de seu