A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
68 pág.
Apostila - Produção de Textos

Pré-visualização | Página 1 de 10

CURSO: PRODUÇÃO DE TEXTOS E REDAÇÃO EMPRESARIAL 
SUMÁRIO 
 
Introdução 02 
Aula 1 – Desenvolvendo ideias 03 
Organizando ideias 03 
Comunicação através da escrita 04 
Criando estrutura para as ideias 05 
 
Aula 2 – Formas simples para escrever bem 09 
As qualidades de um texto 09 
Problemas comuns na comunicação escrita 10 
Tipos de textos (descrição, narração e dissertação) 12 
 
Aula 3 – Correspondência comercial 16 
A carta e suas partes 16 
Aviso, bilhete, cartão, convite, circular, convocação, mala-direta 23 
Memorando, protocolo, recibo, requisição, telegrama, relatório, ata 28 
 
Aula 4 – Correspondência oficial 37 
Atestado, declaração, comunicado, ofício 37 
Contrato, procuração, requerimento, despacho 43 
 
Aula 5 – Normas especiais para elaboração de textos 49 
Informações úteis 49 
Pronomes de tratamento, abreviaturas, siglas e símbolos 52 
Mensagens eletrônicas (e-mail) 65 
 
1 
 
 
 
Referências Bibliográficas 67 
INTRODUÇÃO 
 
“A comunicação é uma necessidade básica da pessoa humana, do homem social.” 
 Juan Bordenave 
 
Para que haja comunicação é necessário um contexto, um canal de comunicação, a 
mensagem, o emissor (que envia) e o receptor (que recebe). 
 
A finalidade de escrever é comunicar ​totalmente o que você quer dizer. Não basta 
escrever, é preciso comunicar. 
 
No meio profissional, todos devem procurar desenvolver uma escrita correta, caso 
contrário sua carreira pode ficar paralisada. Se você não souber fazer uma composição 
coerente, ordenada, inteligente e interessante, não saberá como escrever de maneira 
eficaz no mundo profissional. 
 
Para aprender a escrever não basta aprender a pensar, é necessário aprender a 
encontrar ideias originais e saber articulá-las. Falar silenciosamente consigo mesmo 
enquanto escreve, isso ajuda a conseguir o significado que se deseja no papel. 
 
Ao final deste curso, você será capaz de escrever cartas, memorandos, relatórios e 
apresentações, facilmente e de maneira lógica, empregando um estilo expositivo que 
qualquer leitor será capaz de entender e achar interessante. 
 
Escrever não é tão difícil quanto parece! 
 
 
2 
 
 
 
 
 
AULA 1 – Desenvolvendo ideias - Organizando ideias 
A produção de um texto deve sempre levar em consideração o conhecimento já 
existente. 
 
Temos a capacidade de questionar e podemos repensar, refazer, reestruturar e 
aperfeiçoar nossas ideias. Mas às vezes temos dificuldade para expressá-las, porque: 
● não amadurecemos nossas ideias suficientemente; 
● não temos as informações e os dados necessários para desenvolver nossas 
ideias; 
● não estamos explorando nossa capacidade de pensar. 
 
Aprende-se a escrever, escrevendo. Não comece um texto sem antes fazer um esboço, 
mesmo sabendo que este inicialmente só vai ter a função de roteiro e que sofrerá 
modificações antes e durante a redação. 
 
Um método simples para encadear ideias começa com a anotação de todas elas, sem 
se preocupar com uma sequência. Escreva tudo que tem em mente numa folha de 
papel, não se preocupe com a lógica, nem com a gramática. Isso surgirá mais tarde no 
processo quando for avaliar e organizar as ideias. 
 
Pensar supõe diálogo e ao escrever precisamos sempre ter em mente que nossa meta 
são os leitores. Quando se sabe para que o receptor precisa das informações que se 
tem a transmitir, é possível chegar à organização ideal do texto. Isso permite 
dimensionar o valor que cada uma das informações tem para o leitor naquele momento, 
o que é fundamental para se determinar quais as que merecem maior destaque, quais 
3 
 
 
 
as que devem ficar em segundo plano ou mesmo que detalhes devem ser desprezados. 
Se você tiver informações, será capaz de deixar as ideias fluírem. 
 
Pensar nos permite mentalmente, fazer interação com o mundo à nossa volta. 
 
Por meio do pensamento, elaboramos todas as informações que recebemos e 
orientamos as ações que interferem na realidade e organização de nossos escritos. O 
que lemos é produto de um pensamento transformado em texto. 
 
Cada um de nós tem seu modo de pensar e, quando escreve, procura organizar as 
ideias de um modo que facilite a compreensão do leitor. 
 
Comunicação através da escrita 
Para haver comunicação deve existir um espaço, um vazio, uma lacuna entre o que o 
emissor tem a dizer e o que o receptor sabe. 
 
A finalidade de escrever é comunicar totalmente o que você quer dizer. Todo mundo é 
um escritor. Qualquer indivíduo alfabetizado escreve de vez em quando bilhetinhos 
para os filhos, cartas para os pais, memorandos para os colegas de trabalho, relatórios 
para a diretoria. 
 
A escrita é usada para representar os sons. Você controla totalmente as palavras 
quando escreve. Pode dizê-las em voz alta primeiro e ouvir como soam aos seus 
ouvidos, perguntando se fazem sentido. Pode pronunciá-las subvocalmente e perguntar 
se transmitem o que deseja, e mais ainda, pode ter várias chances de acertar antes de 
mandar a mensagem a alguém, reescrevendo o que já escreveu. 
 
4 
 
 
 
A comunicação escrita é a transmissão da mensagem através da mão e não pela boca. 
A principal vantagem desse tipo de comunicação está no controle total da forma como 
as palavras saem, cada um as controla mesmo que estejam envolvidas por filtros que 
obscurecem seus significados ou estejam carregadas de valores pessoais. Com a 
palavra escrita a pessoa tem a chance de dizer o que pretende e transmitir o significado 
que diz. 
 
Criando estrutura para as ideias 
As partes que compõem o texto – a introdução, o desenvolvimento e a conclusão, 
devem se organizar de maneira equilibrada. 
 
A ​introdução é uma entrada no assunto e caracteriza-se como um argumento inicial. 
Apresenta a ideia central do texto. Essa apresentação deve ser direta, portanto evite 
“rodeios” para entrar no assunto, bem como os “chavões”, por exemplo: “Desde os 
primórdios da civilização que o homem...”. 
 
O tamanho da introdução raramente excede a 1/5 do texto. Essa proporção não vale 
para textos muito curtos, nestes, a introdução pode ser o próprio título. Nos textos 
longos, de várias páginas, a introdução pode ser um capítulo ou uma parte precedida 
por subtítulo. Nesse caso, poderá ter vários parágrafos. Em textos curtos, de 25 a 80 
linhas, a introdução será o primeiro parágrafo. 
 
O ​desenvolvimento é a parte maior do texto, responsável pela relação entre a 
introdução e a conclusão. Nessa parte são apresentadas as ideias, os dados, os 
argumentos que sustentam e explicam as posições do autor. 
 
5 
 
 
 
Podemos comparar o desenvolvimento a uma ponte. De um lado está a introdução. Do 
outro, a conclusão. Essa ponte é formada por ideias bem organizadas numa sequência 
que permite a relação equilibrada entre os dois lados. 
 
 Desenvolvimento 
 
 
 
 introdução conclusão