A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
30 pág.
FARMACOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO

Pré-visualização | Página 1 de 2

AULA 13: FARMACOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
FARMACOLOGIA PARA ENFERMAGEM 
Farmacologia para Enfermagem 
AULA 13: FARMACOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
Farmacologia Respiratória 
Conteúdo Desta Aula 
Nesta aula vamos estudar: 
• Fármacos utilizados na asma e DPOC; 
 
• Mecanismos dos agonistas adrenérgicos beta 2; 
 
• Uso das xantinas; 
 
• Aspectos terapêuticos dos glicocorticoides; 
 
• Mecanismo dos antagonistas muscarínicos. 
Farmacologia para Enfermagem 
AULA 13: FARMACOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
Farmacologia Respiratória 
Sistema Respiratório 
Estrutura 
• Vias superiores 
• Vias inferiores 
Funções: 
• Metabolismo celular 
• Equilíbrio Ácido-Básico 
• Equilíbrio Térmico 
• Fonação 
Farmacologia para Enfermagem 
AULA 13: FARMACOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
Farmacologia Respiratória 
Acidose e alcalose metabólica 
Farmacologia para Enfermagem 
AULA 13: FARMACOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
Farmacologia Respiratória 
Controle pelo Sistema 
Nervoso Autônomo 
Farmacologia para Enfermagem 
AULA 13: FARMACOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
Farmacologia Respiratória 
Características: 
• Inflamação das vias aéreas, que causa hiperresponsividade brônquica, que resulta em 
obstrução recorrente reversível das vias aéreas; 
• Ativação de linfócitos Th2; 
• Geração de citocinas que promovem diferenciação e ativação de eosinófilos; 
• Produção e liberação de IgE e expressão de receptores para IgE em mastócitos e eosinófilos; 
• Liberação de mediadores como leucotrieno LTB4 e cisteinil leucotrienos (CisLT C4, D4 e E4); 
• Interleucinas IL-4, IL-5, lL-13 e proteínas dos eosinófilos que causam lesões teciduais. 
Asma 
Obstrução recorrente e reversível das vias aéreas, com crises de sibilos, falta de ar e tosse noturna. 
As crises graves causam hipoxemia e colocam a vida em risco. 
Farmacologia para Enfermagem 
AULA 13: FARMACOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
Farmacologia Respiratória 
Farmacologia para Enfermagem 
AULA 13: FARMACOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
Farmacologia Respiratória 
O tratamento é monitorado medindo-se o 
volume expiratório forçado em 1 segundo 
(VEF1) ou o pico do fluxo expiratório e em 
doença grave aguda, a saturação de 
oxigênio e gasometria arterial. 
Os fármacos antiasmáticos compreendem: 
• Broncodilatadores; 
• Anti-inflamatórios; 
Farmacologia para Enfermagem 
AULA 13: FARMACOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
Farmacologia Respiratória 
Fases da asma 
Hiperresponsividade das vias aéreas, a resposta tardia inclui edema e inflamação. 
FEV1 = volume expiratório forçado em 1 segundo. 
Farmacologia para Enfermagem 
AULA 13: FARMACOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
Farmacologia Respiratória 
Fases da asma 
Duas fases da asma demonstradas pelas alterações do volume expirado forçado em 1 segundo 
(VEF1) após a inalação de pólen de grama em indivíduo alérgico. 
Farmacologia para Enfermagem 
AULA 13: FARMACOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
Farmacologia Respiratória 
Fase imediata e 
fase tardia da asma 
Farmacologia para Enfermagem 
AULA 13: FARMACOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
Farmacologia Respiratória 
Asma grave 
Diagrama esquemático de um corte transversal de um bronquíolo, mostrando as alterações que 
ocorrem na asma grave crônica. 
Farmacologia para Enfermagem 
AULA 13: FARMACOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
Farmacologia Respiratória 
Fármacos Broncodilatadores 
Xantinas 
• Teofilina – geralmente formulada como aminofilina. 
• Inibe a fosfodiesterase e bloqueia receptores de adenosina; 
• Os efeitos indesejáveis incluem arritmia cardíaca, crises convulsivas e distúrbios gastrintestinais. 
Agonistas dos receptores beta 2 adrenérgicos. 
• Salbutamol – fármacos de primeira escolha. 
• Atuam como antagonistas fisiológicos dos mediadores espasmogênicos, mas tem pouco ou nenhum 
efeito sobre a hiperreatividade brônquica; 
• Administrado por inalação, seus efeitos se iniciam imediatamente e duram 3 a 5h. 
Antagonistas dos receptores de cisteiniI leucotrienos. 
• Montelucaste – fármaco de terceira escolha para asma; 
• Competem com a cisteinil leucotrienos pelos receptores Cys LT1; 
• São usados principalmente como terapia complementar aos corticosteroides inalatórios e agonistas 
beta2 de ação longa. 
Farmacologia para Enfermagem 
AULA 13: FARMACOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
Farmacologia Respiratória 
Classificação dos antiasmáticos 
Profiláticos, previnem a inflamação: 
• Anticolinérgicos (brometo de ipratrópio); 
• Xantinas (teofilina); 
• Glicocorticoides (budesonide). 
Broncodilatadores Sintomáticos: 
• Beta2 adrenérgicos de ação curta duração (albuterol), de longa duração (salmeterol); 
• Anticolinérgicos (brometo de ipratrópio); 
• Xantinas (teofilina). 
Anti-inflatórios 
• Glicocorticoides. 
Farmacologia para Enfermagem 
AULA 13: FARMACOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
Farmacologia Respiratória 
Agonistas beta 2 adrenérgicos 
Longa duração: 
• salmeterol meia-vida 
cima de 15 horas. 
Curta duração: 
• albuterol, terbutalina e 
fenoterol meia-vida de 
2 a 3 horas. 
Efeitos colaterais: 
• Tremor; 
• Hipocalemia; 
• Taquicardia. 
Farmacologia para Enfermagem 
AULA 13: FARMACOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
Farmacologia Respiratória 
Antagonistas muscarínicos 
Classificação 
Quanto à estrutura: 
• amônio terciário (SNC) – atropina, escopolamina, 
homatropina; 
• amônio quaternário - metantelina, propantelina. 
Quanto à origem: 
• Naturais – atropina, hioscina; 
• Sintéticos – homatropina, metonitrato de atropina, 
pirenzepina, diciclomina, propantelina e oxifenônio. 
Farmacologia para Enfermagem 
AULA 13: FARMACOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
Farmacologia Respiratória 
Antagonistas muscarínicos 
• Brometo de ipratrópio; 
• Fracamente absorvidos e não atravessam a BHE; 
• O efeito máximo de broncodilatação ocorre em 30 
minutos e tem duração de até 5 horas; 
• Eficácia maior na bronquite do que na asma. 
Farmacologia para Enfermagem 
AULA 13: FARMACOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
Farmacologia Respiratória 
Xantinas 
Mecanismo de ação: 
• Bloqueia a enzima fosfodiesterase, aumenta a taxa de AMPc e os receptores da adenosina. 
• Aminofilina – etilenodiamina, são rapidamente metabolizados, não produzem somente 
vasodilatação mas também inibem a ativação de células inflamatórias e infiltração nas vias 
aéreas dos asmáticos. 
Efeitos: 
• Relaxamento do músculo liso; 
• Estímulo do SNC. 
Farmacologia para Enfermagem 
AULA 13: FARMACOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
Farmacologia Respiratória 
Teofilina 
Farmacologia para Enfermagem 
AULA 13: FARMACOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
Farmacologia Respiratória 
Cascata inflamatória 
Farmacologia para Enfermagem 
AULA 13: FARMACOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
Farmacologia Respiratória 
Glicorticoides infiltrados de células inflamatórias 
• Reduzem a formação de edema; 
• Induzem a síntese de lipocortina-1; 
• Interagem com os elementos de resposta aos 
glicorticoides nas células inflamatórias que 
neutralizam os fatores de transcrição para a 
síntese de citocinas (IL5 e TNF). 
Farmacologia para Enfermagem 
AULA 13: FARMACOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
Farmacologia Respiratória 
Glicocorticoides na expressão Gênica 
Farmacologia para Enfermagem 
AULA 13: FARMACOLOGIA DO SISTEMA RESPIRATÓRIO 
Farmacologia Respiratória 
Reação imune 
Fase de indução 
• As APC ingerem, apresentam fragmentos de antígenos aos linfócitos T CD4 ou Th auxiliares (Th0) e as células 
T CD8 
• Células T CD4 – expressam receptores para IL-2 que estimula a produção e proliferação de células T auxiliares 
(Th0);