A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
59 pág.
Apostila Bioquímica

Pré-visualização | Página 1 de 11

1 
Prof. Cícero Freitas 
 
 
 
 
 
 
 
 
Bioquímica Médica 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Medicina 
2º Período 
Beatriz Mathias 
 2 
Sumário 
 
Aula 1 – Biossinalização ......................................................................................................................................... 3 
Aula 2.1 – Lipídios .................................................................................................................................................... 5 
Aula 2.2 – Síntese de Lipídios .............................................................................................................................. 8 
Aula 3 – Metabolismo de Lipoproteínas ....................................................................................................... 16 
Aula 4 – Função estrutural de Lipídios .......................................................................................................... 22 
Aula 5 – Metabolismo de Aminoácidos ........................................................................................................ 28 
Aula 6 – Insulina ...................................................................................................................................................... 35 
Aula 7 – Glucagon .................................................................................................................................................. 41 
Aula 8 – Adrenalina ............................................................................................................................................... 46 
Aula 9 – Diabetes e obesidade ......................................................................................................................... 51 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 3 
Biossinalização (Transdução de Sinal) 
 
 A transdução de sinais por células, ou Biossinalização, é uma propriedade universal das células vivas, 
isto é, todas as células são capazes de realizar tal tarefa. 
 O processo de conversão de uma informação envolvendo uma mudança química se dá da seguinte 
forma: uma informação é detectada por um receptor específico e convertida em uma resposta celular 
(cascata de sinalização), a qual irá envolver sempre um processo químico. 
 As células são capazes de responder a diferentes tipos de sinais, tais como antígenos, fatores de 
crescimentos, hormônios, luz, entre outros. Alguns hormônios possuem capacidade de atravessar a 
membrana e se ligar a receptores intracelulares ou intranucleares (receptores esteroides). 
 
Características do sistema de transdução de sinal: 
a) Especificidade: uma molécula sinalizadora se liga a sítios de ligação em seu 
receptor complementar, assim outros sinalizadores não se ligam, ou seja, os 
receptores são específicos de cada ligante. Existem, porém, algumas exceções, 
onde o receptor responde a mais de um ligante (hormônio). Nestes casos, a 
seletividade se dá de acordo com a quantidade de cada hormônio. Por exemplo, 
um receptor para adrenalina e glucagon, em altas quantidades de adrenalina, 
ele irá responder apenas a ela, já que está em abundância no meio. 
 
b) Amplificação: quando o sinal recebido por uma enzima é interpretado e esta enzima ativa outras 
enzimas e, assim, o número de moléculas afetadas aumenta geometricamente em uma cascata 
enzimática. 
 
 
 
 
c) Desensibilização/Adaptação: ativação do receptor dispara um circuito de 
“feedback” que desliga o receptor ou o remove da superfície da membrana. 
Uma substância pode causar desensibilização ao seu receptor, ou seja, sua dose 
X se torna insuficiente para gerar estímulo a ele, sendo necessário aumento da 
dose. Isso pode ocorrer por internalização dos receptores (em caso de 
necessidade de renovação por motivos diversos, como dano) e, 
consequentemente, diminui a quantidade deles na membrana. Esta diminuição 
também pode ocorrer pela incapacidade da célula de produzir novos 
receptores. Enquanto ocorre o processo de renovação de receptores pela 
célula, torna-se necessária a mudança da substância/medicamento em questão. 
 
 4 
d) Integração: quando dois sinais têm efeitos opostos em uma característica 
metabólica, tal como na concentração de um segundo mensageiro X ou o 
potencial de membrana Vm, o efeito regulatório resulta na integração da 
respostas geradas por ambos os receptores. 
 
 
Tipos gerais de transdutores de sinal: 
 
 
• Canal Iônico Controlado: abre ou fecha em resposta à concentração do sinal ligante (S) ou potencial 
de membrana. 
• Receptor Enzimático: ligação do ligante em um domínio extracelular estimula a atividade celular em 
um domínio intracelular. Ex: Receptor de insulina. 
 
• Receptor Esteróide: ligação do esteróide a uma proteína receptora nuclear permite que o receptor 
regule a expressão de genes específicos. Ex: Receptor de glicocorticóides. 
• Receptor Serpentínico: ligação de um ligante externo ao receptor (R) ativa uma proteína ligadora de 
GTP(G) intracelular, a qual regula uma enzima (Enz) que gera um segundo mensageiro intracelular 
(X). Ex: Receptor de Epinefrina (b–adrenérgico), Receptor de Glucagon. 
• Receptor sem atividade enzimática intrínseca: interage com proteína kinase citossólica, a qual ativa 
uma proteína reguladora de genes (diretamente ou através de uma cascata de proteínas quinases) 
mudando a expressão gênica. 
• Receptor de Adesão: liga moléculas na matriz, muda a conformação, alterando assim sua interação 
com o citoesqueleto. 
v 
v 
Canal Iônico 
Controlado 
Receptor 
Enzimático 
Receptor Esteroide 
(intranuclear)
 
Receptor 
de Adesão 
Receptor sem atividade 
enzimática intrínseca 
Receptor 
Serpentínico 
 5 
Lipídios 
Características: 
• Formam um grupo quimicamente diverso, com característica comum principal a isolubilidade em 
água. Por outro lado, possuem alta solubilidade em solventes apolares como éter e benzeno, por 
exemplo. 
• São encontrados em todos os tecidos, pincipalmente nas membranas celulares e nas células de 
gordura (adipócitos). 
• Possuem muitas ligações Carbono-Hidrogênio, podendo dizer que são hidratos de carbono 
(hidrocarbonetos). 
• Não formam polímeros apesar de seu agrupamento. 
Funções (energéticas, estruturais e reguladoras): 
• Compõem membranas celulares (fosfolipídeos e colesterol). 
• Reserva de energia (triglicerídeos). 
• Combustível celular. 
• Isolamento térmico sobre a epiderme de muitos animais (tecido adiposo). 
• Isolamento mecânico (proteção de células e órgãos). 
• Isolamento elétrico (presentes em grande quantidade nos tecidos nervosos). 
• Funções especializadas como vitaminas. 
• Sinalização intra e intercelulares (hormônios e prostaglandina) . 
Deficiência de lipídios no organismo: 
 Quando ingeridos em excesso, os lipídios são grandes vilões para a saúde. Entreranto a falta ou 
deficiência do mesmo também pode causar grandes danos metabólicos. Algumas das anomalias geradas 
são: 
• Baixa taxa de crescimento e perda de peso. 
• Falhas na ovulação e lactação e degeneração testicular, causadas pela desnutrição. 
• Aumento da permeabilidade da pele e membrana celular, tornando a pele mais sucetivel a lesão. 
• Dificuldade de cicatrização de feridas. 
• Aumenta a suscetibilidade à infecções e perda de pelos. 
Classificação: 
Lipídios com ácidos graxos: 
• Ácidos graxos 
• Triglicerídeos 
• Fosfoglicerídeos (fosfolípideos) 
• Esfingolipídeos (fosfolípideos) 
Lipídios sem ácidos graxos: 
• Esteróides 
• Terpenos 
• Lipoproteínas 
• Vitaminas lipossolúveis 
Ácidos Graxos: