A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
49 pág.
K217290

Pré-visualização | Página 1 de 9

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES 
PÓS-GRADUAÇÃO “LATO SENSU” 
INSTITUTO A VEZ DO MESTRE 
 
 
 
 
 
LIDERANÇA COMO FERRAMENTA NO PROCESSO DE 
GESTÃO 
 
 
 
 
 
Por: Renata Gomes Dias 
 
 
 
Orientador 
Prof. Jorge Vieira 
 
 
 
 
 
Rio de Janeiro 
2011 
 
 
UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES 
PÓS-GRADUAÇÃO “LATO SENSU” 
INSTITUTO A VEZ DO MESTRE 
 
 
 
 
 
LIDERANÇA COMO FERRAMENTA NO PROCESSO DE 
GESTÃO 
 
 
 
 
 
Apresentação de monografia à Universidade 
Candido Mendes como requisito parcial para 
obtenção do grau de especialista em Gestão 
Empresarial. 
 
Por: Renata Gomes Dias 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
AGRADECIMENTOS 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Ao orientador Jorge Vieira juntamente aos colaboradores do 
corpo docente do curso e aos colegas, que estiveram junto 
comigo em mais essa etapa da minha vida. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
RESUMO 
 
Esta pesquisa tem como objetivo analisar a importância da 
liderança como ferramenta no processo de gestão. A liderança tem sido 
utilizada como ferramenta estratégica para oferecer um direcionamento às 
organizações que buscam no comportamento organizacional um diferencial 
para se tornarem mais competitivas. O presente estudo encontra-se 
estruturado em três capítulos. O primeiro capítulo apresenta o conceito de 
clima organizacional, suas variáveis, a influência da cultura, bem como a 
potencialização da satisfação dos colaboradores. O segundo capítulo trata da 
abordagem sistêmica do comportamento organizacional, a resistência aos 
processos de mudança, o desenvolvimento organizacional, bem como o 
mapeamento das competências, habilidades e atitude. No terceiro capítulo 
apresentou-se a evolução das teorias de liderança, o estilo de liderança 
transacional, liderança transformacional, liderança visionária, e a liderança 
baseada em competência. Concluiu-se que o líder deve identificar as 
competências de seus liderados para direcioná-los a capacitação, 
potencializando suas habilidades e aptidões, preparando-os para 
desempenharem seus papéis num ambiente tão competitivo e instável que são 
as organizações. 
 
Palavras-chave: Liderança; Clima Organizacional; Comportamento 
Organizacional. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
METODOLOGIA 
 
Quanto à metodologia da pesquisa, este estudo valeu-se das 
fontes de pesquisa bibliográfica, com base em livros e revistas acadêmicas da 
área e dos autores que escreveram sobre a referida temática deste estudo. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
SUMÁRIO 
 
 
INTRODUÇÃO 6 
 
CAPÍTULO I 
CLIMA ORGANIZACIONAL 8 
 
CAPÍTULO II 
COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL COMO VANTAGEM 
COMPETITIVA 18 
 
CAPÍTULO III 
LIDERANÇA 32 
 
CONSIDERAÇÕES FINAIS 43 
 
BIBLIOGRAFIA CONSULTADA 45 
 
ÍNDICE 47 
 
 
 
 
 
 
 6
 
INTRODUÇÃO 
 
Fatores como competitividade, globalização e a constante busca 
por resultados são atualmente o grande desafio que as organizações precisam 
enfrentar. Dentro deste contexto nunca foi tão relevante o papel da liderança 
como fator de influência no comportamento organizacional. 
O objetivo deste estudo é analisar a importância da liderança 
como ferramenta no processo de gestão. Nesse sentido, este estudo se 
justifica uma vez que, as organizações são resistentes às mudanças, seja por 
consequência de fatores individuais ou organizacionais, afinal são acima de 
tudo, compostas por pessoas, que juntas formam equipes e, o seu todo reflete 
o que se denomina de comportamento organizacional, o que faz, portanto da 
liderança uma importante ferramenta. 
Se uma organização busca inovar, então precisará analisar de 
forma sistêmica seu comportamento organizacional, a fim de que consiga 
promover os processos de mudança necessários ao desenvolvimento 
organizacional. 
Por entender que as atitudes das pessoas são dinâmicas e 
afetadas também pelas condições de seu trabalho, a liderança tornou-se um 
potencial fator de influencia no comportamento organizacional, pois através de 
seus gestores é possível que a organização consiga vencer a resistência 
natural aos processos de mudança. 
É relevante ressaltar que as pessoas são diferentes, e por isso, os 
líderes devem considerar a organização como uma estrutura permeada de 
variáveis situacionais, muitas vezes incontroláveis, para que possam 
compreender as relações de causa e efeito que constituem o comportamento 
organizacional. 
 7
Outro aspecto a ser considerado por este estudo, refere-se a 
capacidade dos líderes em motivar seus liderados favorecendo a criação de um 
comportamento organizacional favorável as mudanças. 
Acredita-se que as pessoas possam desenvolver suas atividades 
de forma comprometida com as metas e objetivos organizacionais, mas para tal 
precisam estar motivados; e a motivação não pode ser focada apenas no fator 
pecuniário, mas também na valorização do seu trabalho, conhecimentos e 
capacidades, bem como incentivo a novos desafios. 
O líder deve ser capaz de mobilizar um importante potencial para 
protagonizar iniciativas que objetivem não só a melhoria do desempenho 
profissional, mas também o aperfeiçoamento do modus operandi dos 
processos organizacionais, gerando consequências positivas sobre o 
comportamento organizacional. 
 
 8
 
CAPÍTULO I 
CLIMA ORGANIZACIONAL 
 
As pesquisas iniciais de caráter científico sobre o Clima 
Organizacional desenvolveram-se nos Estados Unidos da América, sendo que 
foram evoluindo à medida que evoluíam as teorias organizacionais. De acordo 
com Oliveira (1996), que estudou os aspectos históricos e a evolução do 
conceito de Clima Organizacional, os conceitos apresentados na literatura 
científica podem ser divididos em três abordagens distintas: 
a) os conceitos enfatizam somente os atributos organizacionais. 
As variáveis que constituem o Clima Organizacional nessa abordagem são 
compostas dos seguintes aspectos: tamanho da organização, estrutura, níveis 
da autoridade, complexidade do sistema, e assim por diante. (OLIVEIRA, 
1996). 
Um conceito de clima, representativo dessa linha de pensamento, 
é apresentado em 1964, por Forehand e Gilmer: 
O clima organizacional é um conjunto de características 
que descrevem uma organização, as quais: a) distinguem 
uma organização de outras organizações; b) são 
relativamente duradouras no tempo; e c) influenciam o 
comportamento das pessoas na organização. (OLIVEIRA, 
1996, p. 19); 
b) os conceitos dão destaque aos atributos organizacionais e à 
percepção dos membros da organização. Um dos conceitos mais referenciados 
na literatura é “um conjunto de propriedades mensuráveis do ambiente de 
trabalho, percebido direta ou indiretamente pelas pessoas que vivem e 
trabalham neste ambiente, e que influencia a motivação e o comportamento 
dessas pessoas” (OLIVIERA, 1996, p. 20); 
 9
c) os conceitos passam a dar ênfase aos atributos individuais e à 
percepção dos indivíduos. Dentro da terceira abordagem de formulação de 
conceitos de Clima Organizacional, o enfoque é mais voltado para atributos 
individuais e envolve a mensuração perceptiva dos indivíduos. Desse modo, 
vê-se o clima como um conjunto resultante das percepções particulares e das 
percepções gerais manifestadas pelos indivíduos na organização, avaliadas 
através de recursos perceptuais. 
De acordo com essa abordagem, os