0047-2085-jbpsiq-65-3-0262
24 pág.

0047-2085-jbpsiq-65-3-0262


DisciplinaPsico92 materiais196 seguidores
Pré-visualização21 páginas
ARTIGO ORIGINALREVISÃO DE LITERATURA
Recebido em 
2/6/2016
Aprovado em
26/9/2016
DOI: 10.1590/0047-2085000000133
1 Centro Universitário São Camilo, especialização em Nutrição Clínica. 
2 Universidade de São Paulo (USP), Faculdade de Saúde Pública, Departamento de Nutrição. 
Endereço para correspondência: Marle S. Alvarenga
Departamento de Nutrição \u2013 Faculdade de Saúde Pública
Av. Doutor Arnaldo, 715 
01246-904 \u2013 São Paulo, SP, Brasil
Telefone: (11) 99196-1994
E-mail: marlealv@usp.br
Palavras-chave
Cirurgia bariátrica, 
transtornos alimentares, 
obesidade, revisão, 
gastroplastia.
Cirurgia bariátrica e transtornos 
alimentares: uma revisão integrativa
Bariatric surgery and eating disorders: integrative review 
Julia M. Novelle1, Marle S. Alvarenga2
RESUMO
Objetivo: Realizar revisão sobre transtornos alimentares e comportamentos alimentares 
transtornados relacionados à cirurgia bariátrica. Métodos: Revisão integrativa da literatura 
nas bases de dados PubMed, Lilacs, Bireme, portal SciELO com descritores indexados com 
critérios de inclusão: oferecer dado sobre a presença ou frequência de transtorno alimentar 
e/ou comportamentos alimentares disfuncionais previamente e/ou após a cirurgia. Resul-
tados: Foram selecionados 150 estudos (14 nacionais e 136 internacionais): 80,6% eram com 
avaliação de pacientes pré-/pós-cirúrgicos; 12% eram estudos de caso e 7,3% eram estudos 
de revisão. Diferentes instrumentos foram usados para avaliação, principalmente o Question-
naire on Eating and Weight Patterns, a Binge Eating Scale e Eating Disorders Examination Questio-
nnaire. A compulsão alimentar foi o comportamento mais avaliado, com frequências/preva-
lências variando de 2% a 94%; no caso do transtorno da compulsão alimentar as fre quências/
prevalências variaram de 3% a 61%. Houve também a descrição de anorexia e bulimia ner-
vosa, síndrome da alimentação noturna e comportamento beliscador. Alguns estudos apon-
tam melhora dos sintomas no pós-cirúrgico e/ou seguimento enquanto outros apontam 
surgimento ou piora dos problemas. Conclusão: Apesar da variabilidade entre métodos e 
achados, comportamentos alimentares disfuncionais são muito frequentes em candidatos à 
cirurgia bariátrica e podem ainda surgir ou piorar após a intervenção cirúrgica. Profissionais 
de saúde devem considerar de maneira mais cuidadosa tais problemas neste público, dadas 
às consequências para o resultado cirúrgico e qualidade de vida. 
ABSTRACT
Objective: To conduct a revision about disordered eating and eating disorders related to 
bariatric surgery. Methods: Integrative literature\u2019s review on databases PubMed, Lilacs, Bi-
reme, portal SciELO using indexed keywords; inclusion criteria was provide data about the 
presence or frequency of eating disorders or disordered eating behaviors previously and/or 
after surgery. Results: One hundred and fifty studies were selected (14 in Brazil and 136 other 
countries): 80.6% were evaluation of patient\u2019s pre or post-surgery; 12% were case studies 
and 7.3% were revision studies. Diverse scales and questionnaires were used for evaluation, 
mostly the Questionnaire on Eating and Weight Patterns, the Binge Eating Scale and the 
263REVISÃO DE LITERATURA
J Bras Psiquiatr. 2016;65(3):262-85.
Cirurgia bariátrica e transtornos alimentares 
Eating Disorders Examination Questionnaire. Binge eating was the most common behavior 
evaluated, with frequencies/prevalence from 2% to 94%; for Binge Eating Disorder frequen-
cies/prevalence\u2019s range from 3% to 61%. Studies also describe anorexia and bulimia nervosa, 
night eating syndrome and grazing. Some studies point improvement of symptoms while 
others call attention for the emergence or aggravation of problems. Conclusion: Despite 
the variability among methods and results, the presence of disordered eating behaviors is 
highly frequent among bariatric surgery candidates, and could emerge or get worse after 
surgery. Health care providers must consider carefully these problems due their impact on 
surgery results and quality of life.
Keywords
Bariatric surgery, eating 
disorders, obesity, review, 
gastroplasty.
INTRODUÇÃO
A obesidade é dos mais importantes problemas de saúde 
pública da atualidade. No Brasil, entre 1974-1975 e 2008-
2009 houve crescimento de mais de quatro vezes entre os 
homens adultos (2,8% para 12,4%), e mais de duas vezes en-
tre as mulheres adultas (8% para 16,9%)1.
Entre os tratamentos propostos, a cirurgia bariátrica (CB) 
surgiu nos anos 1950 nos Estados Unidos da America (EUA)2. 
No Brasil se iniciou a partir de 1970, com as técnicas cirúrgi-
cas jejuno-ileais. O bypass gástrico, gastroplastia horizontal 
e vertical com anel foram introduzidos a partir de 1980; nos 
anos 1990 desenvolveu-se a derivação biliopancreática de 
Scopinaro e o aprimoramento das derivações gástricas em 
Y de Roux. As derivações obtiveram variantes como a duo-
denal Switch; todas as técnicas foram adaptadas à via video-
laparoscópica3; e mais atualmente a técnica Sleeve (gastrec-
tomia vertical) substituiu a banda gástrica \u2013 estando entre 
as mais utilizadas4. O Brasil é o segundo país no mundo que 
mais realiza a CB, com cerca de 80 mil registros por ano3. A 
última resolução do Conselho Federal de Medicina ampliou 
o rol de comorbidades para indicação5 em pacientes com 
índice de massa corpórea (IMC) entre 35 e 40 kg/m², o que 
pode representar ampliação desses índices.
Enquanto a maioria dos tratamentos convencionais para 
obesidade grave apresenta um impacto modesto e curto, a 
CB tem mostrado resultados em longo prazo na perda de 
peso com melhora das comorbidades clínicas6-8. No entanto, 
consequências adversas também podem surgir, como com-
plicações pós-operatórias e problemas psicossociais relacio-
nados com o funcionamento físico, mental e social \u2013 bem 
como à imagem corporal e a aspectos cognitivos9. Os fato-
res psicológicos e comportamentais relacionados aos piores 
resultados da CB ainda têm recebido pouca atenção10. De 
modo geral, a CB resulta em melhoras físicas e psicológicas, 
mas uma parte dos pacientes não responde positivamente à 
perda de peso11. Mais recentemente, alguns estudos passa-
ram a focalizar o comportamento alimentar e a existência de 
patologia alimentar em pacientes pré- e pós-CB, examinan-
do a relação entre os problemas alimentares e a CB8,12.
 Indica-se que de 20% a 70% dos pacientes que procu-
ram a CB têm histórico de algum transtorno mental e, por-
tanto, os candidatos à CB constituem grupo de risco para 
transtornos psíquicos diversos13 \u2013 incluindo os transtornos 
alimentares (TA), estes caracterizados por graves alterações 
da imagem corporal, comportamento e atitude alimentar; os 
principais quadros são a anorexia nervosa, a bulimia nervosa 
e o transtorno de compulsão alimentar2.
As primeiras publicações sobre os TA e a CB são da déca-
da de 198014-16. A compulsão alimentar em candidatos a CB e 
sua evolução pós-cirúrgica estão documentadas internacio-
nalmente desde 199017,18; e mais especificamente a avaliação 
de TA e outras disfunções, como o transtorno de compulsão 
alimentar (TCA), são descritos internacionalmente a partir 
de 200019,20. No Brasil, relatos de caso surgiram a partir de 
200421,22. A partir de 1993 há descrição da síndrome alimen-
tar noturna também casos pré- e pós-CB18,23. O primeiro estu-
do de revisão internacional é de 2012 nos EUA24, mas trata-se 
da apresentação de investigações empíricas e casos clínicos; 
um estudo mais amplo revisou 15 estudos no mesmo ano8. 
No Brasil, apenas uma revisão seletiva foi realizada13, com 
foco em acompanhamento psiquiátrico de pacientes bariá-
tricos \u2013 com menção a dados relacionados aos TA.
Entre as diversas questões sobre TA e CB, há o relato que 
na presença do TCA pré-/pós-CB há menor perda de peso 
e pior qualidade de vida e persistência de sentimentos de