Filo Artropoda
3 pág.

Filo Artropoda


DisciplinaZoologia de Artropodes18 materiais159 seguidores
Pré-visualização1 página
Filo Artropoda 
Subfilo Uniramia 
Classe Insecta (hexapoda) 
 
Sucesso evolutivo dos insetos 
\u27a2 Asas retrates: Fugir de predadores, se alimentar mais, permite ser predador 
\u27a2 Aparentam uma epicutícula: Vantagem é a menor perda de água 
\u27a2 A fase jovem explora alimentos diferentes da fase adulta: evita a competição com a 
fase adulta 
\u27a2 Os ovos são resistentes e nutritivos: Vitelo = lecito 
Parte do ensino médio 
\u27a2 Divisão do corpo em cabeça, tórax e abdômen 
\u27a2 Números de antenas é 1 par- Órgão sensorial que percebe o odor 
\u27a2 Números de pernas é 3 pares 
\u27a2 Presença de mandíbula na maioria (pois existem 5 tipos de aparelhos bucais) 
\u27a2 Presença de asa é na maioria 
\u27a2 Respiração é traqueal (fase adulta) e branquial (fase 
larval) 
\u27a2 Excreção é pelos tubos de Malpihi (geralmente é 
ácido úrico) 
\u27a2 Circulação é aberto sem pigmento 
Estrutura da cutícula 
O tegumento dos insetos é formado por cutícula, 
epiderme e membrana basal (de fora para dentro do corpo dos insetos). A cutícula é 
dividida primeiramente em epicutícula ou cutícula não quitinosa e procutícula ou 
cutícula quitinosa 
Importância 
\u27a2 Tem grande importância na polinização -Ordem Coleóptera (Besouros-pela grande 
quantidade) e Ordem Hymenóptera (Abelhas, vespas e formiga) 
\u27a2 Comercial -Ordem Hemíptera (Cigarra e Percevejo) e Ordem Lepidoptera (o mais útil 
pra polinização e no controle de pragas) 
\u27a2 Medica -Ordem Díptera (Moscas e pernilongos-Aedes Aegypti, Culex pipiens, 
Anopheles ) 
\u27a2 Alimentação- tanto de outros insetos quanto na culinária 
Desenvolvimento dos insetos 
Hormônio que se regula o processo de METAMORFOSE é o que controle muda/ 
metamorfose dos insetos é o hormônio juvenil (HJ) cujo estímulo para a sua síntese varia de 
espécie para espécie, às vezes em função de fatores ambientais. Um fato interessante é 
que os mesmos hormônios regulam tanto a metamorfose completa como a incompleta. 
Tipos de metamorfose 
 
\u27a2 Metamorfose incompleta ou hemimetábolos Ovo Ninfa Adulto 
 
\u27a2 Metamorfose completa ou holometábolos Ovo Larva Pupa Adulto 
 
 Obs: As traças não possuem metamorfose em que vai passar de ovo direto para o adulto 
 Toxidade Solubilidade 
Em agua 
Acido 
Úrico 
Menor Menor 
Amônia Maior Maior 
Ureia 
 
Mais ou 
menos 
Mais ou 
menos 
 
 
Morfologia dos insetos 
Corpo dividido em cabeça, tórax e abdômen 
 
\u27a2 Cabeça Antena 
 Olhos compostos Ocelos 
 Aparelhos bucais 
\u27a2 Tórax Pernas- podem apresentar órgãos sensoriais nas pernas 
 Asas \u2013 existem 5 tipos de asas 
\u27a2 Abdômen é uma parte bastante variável nos insetos em que uns vão variar em 
relação a sua fase adulta e larval. Em que alguns apresentam ferrão, ovoposição, e 
outras estruturas 
Cabeça 
Antenas: os insetos adultos possuem um par de antenas, por isto são chamados de díceros. 
Tais estruturas têm funções sensoriais: olfato, audição, tato e gustação. Supõe-se também 
que apresentem também 
funções de equilíbrio e 
facilitam a cópula, ajudando o 
macho a segurar a fêmea. 
\u27a2 Filiforme: tipo primitivo. 
Ex.: baratas. 
\u27a2 Moniliforme: semelhantes 
a contas de um colar. Ex.: vespa 
de Uganda e alguns 
coleópteros. 
\u27a2 Clavada: o flagelo termina em uma dilatação 
similar a uma clava. Típica de borboletas. 
\u27a2 Capitada: massa apical bastante dilatada. 
Típica da broca-do-café. 
\u27a2 Fusiforme: artículos medianos dilatados, dando à antena aspecto de fuso. Comuns em 
lepidópteros de hábitos crepusculares. 
\u27a2 Serreada: artículos com dilatações em forma de espinhos. Comuns em alguns 
coleópteros. 
 Olhos: Esses órgãos são formados por unidades denominadas omatídios, cuja quantidade e 
tamanho é variável de acordo com os grupos. 
\u27a2 Olhos simples ou ocelos: São pequenos, variando de 1 
a 3. Estão presentes especialmente nas larvas, mas 
também ocorrem nos adultos. São sensíveis à luz e 
sombra. 
 
\u27a2 Olhos compostos: São em número de dois por 
insetos, ocupando a maior parte da cabeça. São 
formados por unidades 
chamadas omatídios, que 
possui forma hexagonal. São 
responsáveis pela formação de imagens. 
Aparelhos bucais: Os insetos são mandibulados ectognatos. Ou 
seja, as peças bucais encontram-se fora do orifício oral ou 
boca. A boca é um orifício que representa a porta de entrada 
do aparelho digestivo e situa-se acima e entre as peças bucais. 
Apresenta 8 pecas bucais que compreende cada pedaço. A 
cavidade que antecede a boca denomina-se cibário ou 
cavidade pré-oral. 
Tipos de Aparelhos bucais 
\u27a2 Mastigador: É o mais primitivo, consistindo de mandíbulas opostas para mastigar e 
triturar alimentos sólidos. Ocorre na maioria das ordens dos insetos. Orthoptera, 
Coleoptera, Himenoptera, Isoptera, Neuroptera, Mallophaga e muitas formas larvais. 
\u27a2 Sugador maxilar: Não apresenta mandíbula que são transformadas em um tubo 
longo e enrolado (quando em repouso) denominado espirotromba. Exp. Adulto de 
lepidopteros. 
\u27a2 M. Lambedor: Ocorre em abelhas (Familia Apidae) que permitem ingerem alimentos 
sólidos e líquidos. 
\u27a2 Picador-sugador (sugador labial): sugar seiva ou sangue, apresenta as peças bucais 
modificadas em estilete. Exp. Pernilongos, Barbeiros, Cigarras, Pulgas, etc. 
Tipos de números de peças bucais Triqueta 
 Tetraqueta (Cigarra) 
 Hexaqueta (Mosquito) 
Posição do aparelho Fitófagos \u2013 Seiva das plantas 
 Predador \u2013 Qualquer outra 
 Hematofagos \u2013 Sangue 
\u27a2 Esponjador: Ocorre na mosca doméstica. Nesse caso o labium é expandido na sua 
forma distal, para formar lóbulos grandes e macios chamado LABELLA.Desse modo 
o inseto bombeia o alimento dissolvido abaixo da labella até a boca. 
Tórax é a parte locomotora do corpo, apresentando as pernas e as asas. Divide-se em três 
segmentos: Protórax, Mesotórax e Metatórax. 
Asas: As asas são evaginações da parede do corpo localizadas dorso lateralmente entre os 
terços e as pleuras. 
\u27a2 Mebranosas: São asas finas e flexíveis, com as nervuras bem distintas. A maioria dos 
insetos possuem o par posterior de asas desse tipo. Exp. Lepidópteros, 
himenópteros, dípteros, odonatas, etc. 
 
\u27a2 Tégminas: São de aspecto pergaminhosos ou coriáceo e normalmente são estreitas 
e alongadas. Exp. Asas anteriores de gafanhotos e louva-deus, baratas e bicho pau. 
 
\u27a2 Élitros: São asas duras, resistentes, que servem de proteção às asas membranosas. 
Exp. Asas anteriores de besouros e dermápteras. 
 
\u27a2 Hemiélitro: São asas que apresentam a parte basal de aspecto coriáceo, e a parte 
apical membranosa, onde se nota facilmente as nervuras. Exp. Asas anteriores de 
percevejos. 
\u27a2 Balancim: Balancins/halteres: par posterior atrofiado servindo para o equilíbrio 
durante o voo. Exp. Dípter. 
Classificação com o número de asas, sendo pela presença ou ausência de asas 
\u27a2 Apteros -Inseto sem asas 
\u27a2 Aptesicos \u2013 Tem asas, mas não usa 
\u27a2 Tetrapteros -Maioria dos insetos 
\u27a2 Dipteros- Apenas um par de asa 
Abdômen 
Geralmente alongado e cilíndrico, caracterizado pela segmentação típica e ausência geral de 
apêndice locomotores. Constituído de 11 segmentos, sendo os terminais modificados para 
copulação ou postura de ovos. Ao longo do lado inferior do tórax e abdome há pequenas 
aberturas, os estigmas, ligados ao sistema respiratório.