A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
semana_temática AFOEXERCICIOS

Pré-visualização | Página 1 de 1

Sumário 
Administração Financeira e Orçamentária ................................................... 3 
Gabarito ........................................................................................................ 6 
 
 
QUERIDO ALUNO! 
Este é um material de 
acompanhamento de Aulas 
Gratuitas transmitidas pelo 
AlfaCon em seu Canal Oficial no 
Youtube. 
Inscreva-se para receber o 
melhor conteúdo para concursos 
públicos! 
 
 
 
3 
Semana Temática para o MPU 
Administração Financeira e Orçamentária 
QUESTÕES 
 
Julgue cada um dos itens a seguir como certo (C) ou errado (E). 
 
1. A proposta orçamentária elaborada pelo Poder Executivo Federal embasa-se no conceito de 
orçamento base-zero, segundo o qual a existência de determinada dotação na lei orçamentária do 
exercício anterior não constitui garantia para a sua inclusão no seguinte. 
 
2. Em termos de evolução orçamentária, o orçamento por desempenho estabelece previamente 
metas e objetivos a serem alcançados com os recursos disponibilizados. 
 
3. De acordo com o princípio da unidade, o orçamento deve valer para uma unidade de tempo, 
isto é, para o período de um ano. 
 
4. . As despesas, no orçamento, devem aparecer em seus valores brutos, sem nenhuma dedução. 
 
5. Considera-se respeitado o princípio da unidade orçamentária ainda que a lei orçamentária 
anual seja composta por três orçamentos diferentes, como ocorre no Brasil. 
 
6. Os ingressos extraorçamentários também devem estar previstos na Lei Orçamentária Anual. 
 
7. De acordo com o princípio da exclusividade, é vedado ao Poder Executivo incluir na lei 
orçamentária anual (LOA) autorização para contratação de operação de crédito. 
 
8. . O único crédito adicional que pode ser aberto sem a indicação da fonte dos recursos a serem 
utilizados é o crédito extraordinário. 
 
9. . Obras públicas somente podem ser realizadas quando as despesas de capital 
correspondentes estiverem previstas no plano plurianual, ao passo que as despesas correntes 
necessárias à manutenção predial podem ser realizadas ao final da obra, sem necessidade de inclusão 
no plano plurianual. 
 
10. Se o Congresso Nacional não receber a proposta orçamentária elaborada pelo Poder 
Executivo no prazo fixado pela Constituição Federal, ele deverá elaborar sua própria proposta 
orçamentária, sem prejuízo da imposição de sanções cabíveis. 
 
 
4 
11. Os programas executados de acordo com a técnica do orçamento-programa devem ser 
zerados ao final do exercício financeiro, a fim de que os órgãos públicos sejam obrigados a demonstrar 
os custos e benefícios de cada programa, sob pena de descontinuidade dos programas. 
 
12. É vedado ao Poder Executivo, para efeito de projeção das receitas orçamentárias, aplicar 
índices de reajustes de preços sobre as séries históricas de arrecadação. 
 
13. O princípio da não afetação das receitas veda a vinculação de tributos a órgão, fundo ou 
despesa, ressalvadas as exceções estabelecidas pela Constituição Federal de 1988. 
 
14. O pagamento de restos a pagar processados corresponde a uma despesa extraorçamentária 
da entidade. 
 
15. A duração do plano plurianual é de quatro anos: inicia-se no primeiro ano do mandato 
presidencial e encerra-se no último ano do mesmo mandato. 
 
16. O ciclo orçamentário inicia-se com a elaboração do projeto de lei orçamentária e se encerra 
com a publicação da lei do orçamento pelo Poder Executivo, após sua aprovação pelo Poder 
Legislativo. 
 
17. As diretrizes, os objetivos e as metas da administração pública federal para as despesas 
relativas aos programas de duração continuada serão fixados no plano plurianual. 
 
18. A lei de diretrizes orçamentárias é o instrumento que regula a elaboração da lei orçamentária 
anual e dispõe sobre as prioridades da administração pública para o exercício financeiro subsequente. 
 
19. Arrecadação de receita pública é o ato de transferir aos cofres públicos os valores monetários 
entregues pelos contribuintes. 
 
20. A concessão de um serviço público para um particular representará uma receita de capital 
caso implique cessão de patrimônio imobiliário do Estado a terceiro. 
 
21. O pagamento é o último estágio da despesa pública e, em qualquer hipótese, só será 
realizado após a regular liquidação da despesa. 
 
22. A obrigação de pagamento criada em função de lei e reconhecida como direito do 
reclamante somente em exercício posterior constitui despesa de exercícios anteriores. 
 
23. A previsão de arrecadação na lei orçamentária anual é obrigatória e constitui condição para 
que uma receita seja classificada como orçamentária. 
 
24. Se, na elaboração da lei de diretrizes orçamentárias, forem constatados fatores que possam 
afetar o equilíbrio das finanças públicas, a administração pública deverá incluir não somente as 
 
5 
informações acerca desses possíveis fatores, mas também as medidas que serão adotadas caso as 
previsões se concretizem. 
 
25. Os dividendos recebidos por determinada entidade pública são classificados como receita 
corrente patrimonial. 
 
26. No dia 15 de outubro de determinado ano, o setor de compras de um órgão público adquiriu 
novas cadeiras para seus servidores, tendo realizado o devido empenho dos recursos. Em função de 
problemas na produção, o vencedor da licitação informou que as cadeiras seriam entregues apenas 
no dia 22 de janeiro do ano seguinte. Nessa situação hipotética, a referida despesa, no orçamento 
subsequente, deverá classificada como restos a pagar processados. 
 
27. Assim como as receitas, as despesas podem ser classificadas em duas categorias econômicas: 
correntes e de capital. 
 
28. Receitas de capital são aquelas que provocam alterações no patrimônio líquido do governo. 
 
29. Considere as seguintes informações relativamente à execução da Lei Orçamentária de 
determinado ente público, no exercício de 2016, segundo a Lei Federal n° 4.320/1964. 
 
Nesse caso, pode-se dizer que as receitas correntes arrecadadas somam R$ 555.000. 
 
30. O projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) é enviado anualmente pelo presidente 
da República ao Congresso Nacional, que não pode iniciar seu recesso antes de concluir a votação da 
LDO. 
 
 
 
6 
Gabarito 
1. E 
2. E 
3. E 
4. C 
5. C 
6. E 
7. E 
8. C 
9. E 
10. E 
11. E 
12. E 
13. E 
14. C 
15. E 
16. E 
17. C 
18. C 
19. E 
20. E 
21. C 
22. C 
23. E 
24. C 
25. C 
26. E 
27. C 
28. E 
29. C 
30. C 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Inscreva-se 
http://bit.ly/FabricadeValores