A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Era napoleonica e França no séc. 19 (enem/vet/ens.medio)

Pré-visualização | Página 1 de 1

ERA NAPOLEÔNICA E FRANÇA NO SÉCULO 19 
 
Napoleão nasce em 1769 e é destinado ao exército. Se forma como oficial e mora 
em Paris. Como general começa a ser admirado pela sua capacidade militar, 
liderança e carisma. 
 
Napoleão resolve começar uma campanha, "campanha do Egito" mandando 
escavar o Egito a fim de achar relíquias antigas - é exposto posteriormente no 
Louvre. 
 
Napoleão como fator de aglutinação, admirado nas cidades e no campo. 
 
Tentativa legal de transformar o Diretório em Consulado com 3 cônsules, mas 
Napoleão comandaria. Projeto não aprovado. 
"Verdade" Napoleônica para dizer que havia planejamento de atentado de bomba 
para tirar os deputados de Paris. 
 
Dia 18 do Brumário: Napoleão invade com sua tropa pessoal a Câmara dos 
Deputados para discursar - deputados acabam votando a favor da transformação 
da republica para CONSULADO. 
 
 
✅1 etapa do governo: Consulado 
- Paz externa: fim das coligações. 
- Reforma religiosa: vai ao Papa Pio para se reaproximar da Igreja desde que 
Napoleão devolvesse parte das terras (Concordata). Napoleão começou a exigir 
que o Papa apoiasse a França perante os outros países. 
- criar novas leis - CODIGO CIVIL napoleônico 1804. 
- Napoleão volta com a escravidão nas colônias - grande impacto no Haiti. 
- reforma educacional. 
 
1804 Reformula a constituição. Deseja ser IMPERADOR - plebiscito para se tornar 
algo legal. 
Coroação de Napoleão "pelo Papa". 
Adoção de símbolos pagãos e históricos. 
 
 
 
Como imperador: 
- Expandir a França. 
Foi convocada 3 coligação contra a França. Inglaterra, Áustria e Prússia unidas 
contra possível expansão Francesa. Apoio espanhol a França - mas perde por mar. 
Napoleão começa uma campanha terrestre para vencer as coligações - hegemonia 
militar continental - vitorias. 
 
Em 1806 estabelece o Bloqueio Continental em que os países continentais 
europeus não podem fazer comercio com a Inglaterra - colocar a França como 
potencial industrial na Europa. 
Expande domínio militar até a Rússia, coloca como rei da Espanha seu irmão. 
Família real portuguesa vem para o Brasil. 
Avanço liberal na Europa com Napoleão - pais libertador da Europa, mas acaba 
sendo visto como invasor. Nacionalismo dos países invadidos. 
Napoleão se casa com herdeira da Áustria com intenção de fazer aliança. Tenta 
conter revoltas na Espanha. 
Tenta impedir que Rússia saísse do bloqueio continental, mas não consegue e a 
Rússia rompe fazendo comercio com a Inglaterra. Em 1812 Napoleão invade a 
Rússia para invadir saída em massa do Bloqueio continental - 700 mil soldados com 
objetivo de invadir Moscou. As técnicas russas para atacar foram de guerrilhas e da 
"terra arrasada" - destruir o local para as tropas de Napoleão não conseguir agua 
etc. Volta apenas com 70 mil soldados. 
 
Realização da 6 coligação contra a França revolucionaria: Napoleão derrotado em 
uma batalha das nações - assina tratado de Fontainebleau (iria para ilha de Elba) e 
Luís 18 governaria a França (Bourbons). 
 
Napoleão foge da ilha para Paris e faz a marcha para Paris com 30 mil pessoas. Fuga 
de Luis 18. 
 
Feito CONGRESSO DE VIENA: 
Princípio da Restauração das monarquias - só existiria governos que existiam antes 
da revolução francesa - monarquias absolutistas. 
Seria mantido equilíbrio europeu (França e Áustria) não reunificaram o SIRG que 
ficava entre a França e o Império Austríaco, não unificado. 
7 coligação contra a França na Europa: 
Batalha de Waterloo 
 
Derrota de Napoleão - abdica e vai para ilha de Santa Helena (entre América do sul 
e África) - morre em 1821. 
Pós Congresso de Viena 
 
✅1815-1830: monarquia absolutista. 
 
- Utrarrealistas (a favor da volta do modelo absolutista de Luis 14). 
 
- Reação a tentativa de restauração do modelo absolutista de Luis 14 com a 
REVOLUÇÃO DE 1830 (jornadas gloriosas/ rev. de julho). 
 
Revolução de 1830: revolução burguesa liberal (quadro "a liberdade guiando o 
povo"). Derruba definitivamente o absolutismo. 
 
 
✅1830-1848: Monarquia constitucional. 
 
Governo burguês - apoio aos banqueiros. 
Banqueiros lucram com juros e os juros deixam a sociedade endividada. Resultado: 
crise econômica. 
Consequência: REVOLUÇÃO DE 1848 - revolução popular, liberal e socialista. Fim da 
monarquia constitucional. Inicio da 2 Republica. 
 
 
✅1848-1851: 2 Republica 
Segunda Republica com voto distrital - são eleitos burgueses e aristocratas nas 
eleições por distrito. 
 
Nas eleições presidenciais é eleito Luis Bonaparte - sobrinho de Napoleão. 
 
PRIMAVERA DOS POVOS 
Caráter nacionalista. Inicio de lutas por unificações. Ex: Itália e Alemanha 
(pertenciam a Austria) 
 - fim da hegemonia Austríaca. 
 
Luís Bonaparte governa com objetivo de pacificar e industrializar a França. 
Visão roamantica: volta dos tempos de gloria de Napoleão. 
 
Golpe 18 do Brumário de Luís - formação do 2 Império (Napoleão 3). 
 
 
✅1851-1871: 2 Império 
 
-Política imperialista (África e sudoeste da Ásia). 
-Tentou invadir o México mas perdeu. 
-Apoio independências de países pequenos na Europa (fragmentação - dividir para 
conquistar). 
-Derrota na guerra franco-prussiana para Alemanha. FIM DA HEGEMONIA 
FRANCESA. Fim do 2 Império. 
 
 
✅COMUNA DE PARIS: 3 Republica. 
-Durou 70 dias. 
-Governo popular socialista. Oposição aos ideais burgueses. 
-1 experiência de governo socialista na Europa. 
-Oposição de países europeus: medo da expansão dos ideais socialistas. Fez forte 
repressão - 20 mil mortos.