A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Ortodontia - Oclusão normal

Pré-visualização | Página 1 de 1

Oclusão normal
 Antes de realizar o diagnóstico das más oclusões, é necessário ter uma visão ampla e detalhada da oclusão normal, tanto na dentadura decídua quanto na permanente.
 Partindo-se da premissa que “normal é o mais usual”, observa-se que a oclusão normal individual não coincide com a oclusão ideal. A oclusão ideal no homem é hipotética, não existe e nem poderá existir. Para o estabelecimento de uma oclusão ideal seria necessário ao individuo receber uma herança puríssima, viver em ambiente ótimo e ter uma ontogenia indene de todo acidente, enfermidade ou interferência capaz de modificar o padrão auxológico inerente da oclusão.
Auxologia cuida do crescimento físico de uma pessoa durante a infância
 Pode-se definir oclusão normal individual como: 28 dentes corretamente ordenados no arco e em harmonia com todas as forças estáticas e dinâmicas que sobre eles atuam, ou antes, a oclusão normal é uma oclusão estável, sã e esteticamente atrativa.
 As dez chaves ou princípios da oclusão normal, se constituem nos fundamentos básicos de uma oclusão satisfatória do ponto de vista estático e dinâmico.
Dez chaves de oclusão 
 Às dez chaves de oclusão por Angle, acrescentamos outras quatro (configuração dos arcos dentais, equilíbrio dos dentes, guias de oclusão dinâmica e harmonia facial), por entendermos que o conhecimento dos mesmos é essencial ao sucesso do tratamento ortodôntico que visa uma oclusão normal individual.
 As seis chaves de Angle 
Chave I – relação interarcos 
 Sinônimo relação molar, relação intermolar, chave de oclusão molar de Angle
 Em relação aos molares, a cúspide mesiovestibular do primeiro molar superior oclui no sulco mesiovestibular do primeiro molar inferior (segundo Angle). Conforme Andrews, a crista marginal distal do primeiro molar superior oclui na crista marginal do segundo molar inferior).
Condição de Sine qua Mon (ótima oclusão)
Fator isolado
 Em relação aos pré-molares, as cúspides vestibulares dos pré-molares superiores ocluem nas ameias entre os pré-molares inferiores. As cúspides linguais dos pré-molares superiores ocluem nas fossas distais homólogas inferiores.
 Em relação aos caninos, o canino superior oclui na ameia entre o canino e o pré-molar inferiores (chave de canino).
 O vértice da cúspide do canino superior encontra-se deslocado em sentido mesial em relação à ameia (guia dos caninos lateralidade).
 Em relação aos incisivos superiores, sobrepõem-se aos homólogos inferiores (+2 mm).
Obs: as linhas medianas dos arcos devem coincidir
Chave II: angulação da coroa
Posicionamento mésio-distal dos dentes
 Angle: existe um componente anterior de forças (mastigação, ângulos inclinados cuspídeos) que favorece uma movimentação mesial das peças dentais.
Espaço adequado na arcada dente mais angulado ocupa mais espaço
Estética facial
Sobremordida 
Sobressaliência 
Maria Clara Tabosa
Dentes superiores
IC = 5°
IL = 9°
C = 11°
PM = 2° 
M= 5°
Dentes inferiores
IC = 2°
IL = 2° 
C = 5°
PM = 2°
M = 2°
Chave III: inclinação da coroa
Posicionamento vestíbulo-lingual dos dentes
 Os dentes permanentes não se implantam nos processos alveolares perpendicularmente como os decíduos.
Assentamento correto das cúspides linguais superiores nas fossas das cristas marginais inferiores
As cúspides vestibulares inferiores nas fossas e cristas marginais superiores
Dentes superiores
IC = 7°
IL = 3°
C = -7°
PM = -7° 
M= -9°
IC e IL – valores positivos
Demais – negativos
Dentes inferiores
IC = -1°
IL = -1° 
C = -11°
 1 PM = -17°
2 PM = -22°
1 M = -30°
2 M = -35
Chave IV: ausência de rotações 
A rotação dá a falta de engrenamento correto 
Rotação alterações nas posições dos dentes em torno dos seus longos eixos
Os dentes ocupam mais espaço (molares) ou menos espaço (incisivos)
Deslocamento dos dentes adjacentes
Molares classe II
Obs: a perfeita ordenação dos dentes só é possível se cada peça ocupar seu devido lugar, sem giroversões, torções ou outras alterações. Segundo Andrews, as rotações afetam estética e oclusão (reação em cadeia)
Chave V: contatos interproximais justos
Manutenção da saúde periodontal
Estabilidade da posição mesiodistal
Transmissão das forças de oclusão 
Exceto: IC que se contatam pelas faces mesiais e 3°M que possuem sua face distal livre
Chave VI: curva de Spee
Linha que passa nas cúspides vestibulares de cada dente
Do incisivo central até o ultimo molar
Sobremordida anterior
Aproximação dos planos oclusais superior e inferior
Curvatura no plano oclusal (sagital) plana ou ligeiramente côncava
Eliminação total da curva de Spee
Curva de Spee plana sobrecorreção ortodôntica
Modifica-se após a remoção do aparelho
Conclusões
Uma oclusão ideal, anatômica e funcional apresenta as 6 chaves da oclusão, com a mandíbula em relação cêntrica
Não há duas dentições normais idênticas 
Na prática ortodôntica, elas apresentam-se como metas e julgamento dos resultados
São elementos independentes