Sistema Cardiovascular
34 pág.

Sistema Cardiovascular


DisciplinaSistemas Corporais102 materiais608 seguidores
Pré-visualização1 página
FISIOLOGIA CARDIOVASCULAR 
 
FISIOLOGIA CARDIOVASCULAR 
 
 
Coração = Bomba 
 
Vasos sanguíneos = Condutos 
Regulam fluxo de sangue 
Função 
 
Entrega de sangue para os tecidos, 
fornecendo nutrientes essenciais às 
células e removendo dejetos 
metabólicos 
 
FISIOLOGIA CARDIOVASCULAR 
 
 
CORAÇÃO 
 
VÁLVULAS ATRIOVENTRICULARES 
 
VASOS SANGUÍNEOS 
 
 
 
 
VÁLVULAS SEMILUNARES 
 
CIRCUITO DO SISTEMA CARDIOVASCULAR 
 
 
 
 
DÉBITO CARDÍACO: 
Sangue bombeado pelos ventrículos 
 
 
RETORNO VENOSO: 
Sangue que retorna para os átrios 
Pulmões 
Coração 
esquerdo 
Coração 
direito 
Fluxo sanguíneo no 
interior do coração 
CIRCUITO DO SISTEMA CARDIOVASCULAR 
 
 
 
 
CORAÇÃO 
 
\uf076 Nas artérias, o que impulsiona o fluxo de sangue é a força gerada pelos batimentos cardíacos 
 
\uf076 A pressão arterial equivale a força exercida pelo sangue sobre a parede dos vasos sanguíneos 
pelo sangue 
 
F (fluxo sanguíneo)=\uf044P (gradiente de pressão)/R(resistência) 
 
VASOS SANGUÍNEOS 
\uf076 A diferença de pressão arterial dentro do sistema vascular mantém o movimento 
do sangue entre áreas de maior para menor pressão 
 
 
VASOS SANGUÍNEOS 
VASOS SANGUÍNEOS 
Alta 
pressão 
Alta 
pressão 
Baixa 
pressão 
Baixa 
pressão 
Fluxo sanguíneo nas veias 
\uf076 Nas veias, o fluxo também se dá pela contração da musculatura 
esquelética e o seu refluxo é impedido por valvas (ou válvulas) 
VASOS SANGUÍNEOS 
\uf076 A resistência refere-se a oposição ao fluxo sanguíneo 
 
\uf076 Quando o raio de um tubo diminui, a resistência ao fluxo aumenta 
 
\uf076 R=8n l (comprimento do vaso)/\uf070r4 
 
VASOS SANGUÍNEOS 
n (viscosidade do sangue) 
l (comprimento do vaso) 
R (raio do vaso) 
 
Fluxo turbulento 
Mais pressão para impelir fluxo 
 
Sopros 
 
 
Anemia (alteração da viscosidade) 
 
 
Trombos (alteração da velocidade) 
FLUXO LAMINAR E TURBULENTO 
 
 
 
 
VASOS SANGUÍNEOS 
\uf076 Nos capilares, a velocidade do fluxo sanguíneo é menor para dar tempo suficiente para a troca 
de nutrientes e a remoção de dejetos metabólicos 
Velocidade do fluxo sanguíneo: intensidade de deslocamento de sangue por unidade de tempo 
 
V= F (fluxo sanguíneo)/A (area tranversal) 
 
 
V = Q/A 
 
ATIVIDADE ELÉTRICA DO CORAÇÃO 
 
 
Inclui todos os processos envolvidos na ativação elétrica para contração do coração 
 
O estímulo para contração do músculo cardíaco é gerado pelas células marcapasso, 
independentes do suprimento nervoso 
 
 
 
SISTEMA DE PURKINJE 
 
A ritmicidade própria do coração, assim 
como o sincronismo na contração de suas 
câmaras, é feito graças a um sistema 
condutor e excitatório presente no tecido 
cardíaco 
 
Este sistema é formado por fibras auto-
excitáveis e que se distribuem de forma 
organizada pela massa muscular cardíaca 
 
 
ATIVIDADE ELÉTRICA DO CORAÇÃO 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
CÉLULAS CONTRÁTEIS 
\uf076 Miocárdio 
 
CÉLULAS CONDUTORAS 
\uf076 Sistema de Purkinje 
 
 Nodo sinoatrial 
Vias internodais dos átrios 
Nodo atrioventricular 
Feixe de His 
Sistema de purkinje 
ATIVIDADE ELÉTRICA DO CORAÇÃO 
 
 
 
 
 
 
 
 
ATIVIDADE ELÉTRICA DO CORAÇÃO 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
ATIVAÇÃO DO MIOCÁRDIO 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
\uf076 No nodo atrioventricular, a transmissão do impulso elétrico é lenta para 
assegurar o enchimento dos ventrículos 
 
\uf076 No feixe de purkinje, a transmissão do impulso elétrico é rápida para 
assegurar a contração eficiente e coordenada dos ventrículos 
MARCAPASSO MIOCÁRDIO 
ATIVIDADE ELÉTRICA DO CORAÇÃO 
 
 
ATIVIDADE ELÉTRICA DO CORAÇÃO 
 
 
 
Nodo SA apresenta automaticidade \u2013 Potencial de membrana instável 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 \uf076 Fase 0: deflexão ascendente (influxo de Ca 2+) 
 \uf076 Fase 1: ausente 
 \uf076 Fase 2: ausente 
 \uf076 Fase 3: repolarização (efluxo de K+) 
 \uf076 Fase 4: potencial marcapasso (influxo lento de Na+) 
CÉLULAS MARCAPASSO 
 
 
CÉLULAS MARCAPASSO 
 
 
CÉLULAS MARCAPASSO 
 
 
CÉLULAS MARCAPASSO 
 
 
Maior abertura de canais de Ca2+ 
Aumenta a saída de K+ e diminui a corrente de Ca2+ 
 \uf076 Fase 0: curso ascendente, 
rápida despolarização 
 
 \uf076 Fase 1: repolarização inicial 
 
 \uf076 Fase 2: platô 
 
 \uf076 Fase 3: repolarização 
 
 \uf076 Fase 4: potencial de repouso 
da membrana 
 
 
MIOCÁRDIO 
MIOCÁRDIO 
ELETROCARDIOGRAMA 
ELETROCARDIOGRAMA 
 
 
 
Diferenças de potenciais sobre superfície do corpo que refletem a atividade 
elétrica do coração 
 
 
 
 
 
Tempo entre o ínício da 
despolarização atrial e 
ventricular 
Repolarização 
ventricular Despolarização 
atrial 
Despolarização 
ventricular 
Tempo entre o fim da 
despolarização e o 
início da repolarização 
ventricular 
Frequência cardíaca 
Conjunto da 
despolarização e 
repolarização dos 
ventrículos 
ELETROCARDIOGRAMA 
 
 
 
 
 
 
Ritmo sinusal Taquicardia 
QUESTÕES DE REVISÃO 
1. Qual a função do sistema cardiovascular? 
2. Qual a função isolada do coração e dos vasos sanguíneos? 
3. Explique os dois circuitos sanguíneos. 
4. O que são as valvas cardíacas, sua localização e função? 
5. Por que o volume de sangue contido nas artérias é denominado 
\u201cestressado\u201d e aquele contido nas veias \u201cnão estressado\u201d? 
6. Por que a velocidade do fluxo sanguíneo é menor nos capilares? Por que 
isso é importante? 
7. Defina pressão sanguínea? 
8. O que mantém o fluxo sanguíneo nas artérias e nas veias? 
9. Como a alteração do calibre dos vasos sanguíneos altera a resistência ao 
fluxo de sangue? 
10. Diferencie fluxo laminar e fluxo turbulento. Como a anemia e os trombos 
afetam o fluxo de sangue? 
11. O são células marcapasso? 
12. O que é o sistema de purkinje? Que estruturas o compõe? 
13. Explique as fases do potencial de ação geradas no nodo sinoatrial. 
14. Como os sistemas simpático e parassimpático interferem na atividade do 
nodo sinoatrial? 
15. Por que a velocidade de condução do potencial de ação no coração é lenta 
no nodo átrioventricular e rápida nas fibras de Purkinge? 
16. Explique as fases do potencial de ação no miocárdio.